Qual é a relação entre obesidade e falta de ar?


0

A falta de ar relacionada ao excesso de peso corporal pode não ser apenas falta de condicionamento físico. A obesidade e a falta de ar podem indicar inflamação subjacente e alterações na função pulmonar.

A obesidade é um acúmulo excessivo de gordura corporal que aumenta o risco de efeitos adversos à saúde e condições como diabetes, doenças cardiovasculares e hipertensão.

Um dos muitos sintomas associados ao excesso de peso é a falta de ar, também conhecida como dispneia. Embora a dispneia possa ter muitas causas, uma pesquisa australiana de representação nacional de 2022 descobriu que a obesidade era responsável por aproximadamente 25% de todos os sintomas de falta de ar.

Quando a falta de ar causada pela obesidade atinge uma gravidade específica, pode ser diagnosticada como síndrome de hipoventilação da obesidade (SHO).

Como a obesidade pode causar problemas respiratórios?

A obesidade pode afetar a função pulmonar por restrição direta e por processos fisiológicos indiretos.

Quando você ganha peso, ele cai dentro dois padrões: obesidade central e obesidade periférica.

A obesidade central é o acúmulo de peso ao redor do tórax e abdômen, criando um tipo de corpo em “formato de maçã”. A obesidade periférica cria um tipo de corpo em “formato de pêra” porque a gordura é depositada principalmente ao redor dos quadris, coxas e membros.

A falta de ar na obesidade geralmente está associada ao ganho de gordura central. A gordura armazenada no peito e no abdômen pode restringir a capacidade de expansão dos pulmões, mesmo em repouso. Isso pode alterar a forma como você respira regularmente, criando um padrão respiratório superficial e persistente.

Além disso, a obesidade pode causar o estreitamento das vias aéreas e, em casos extremos, o fechamento completo das vias aéreas.

A obesidade central também impacta significativamente os processos fisiológicos do corpo ligados a desafios respiratórios. Ele cria uma inflamação crônica de baixo grau que pode contribuir para a síndrome metabólica, superprodução hormonal e distúrbios respiratórios do sono.

Sintomas da síndrome de hipoventilação da obesidade

A síndrome de hipoventilação da obesidade (SHO), ou síndrome de Pickwick, é diagnosticada quando a obesidade está presente e os níveis de gases no sangue atingem um limite específico.

OHS geralmente é indicado se a pressão parcial arterial de dióxido de carbono (PaCO2) for maior que 45mmHg.

Quais são os níveis de gases no sangue?

Seus níveis de gases no sangue indicam o quão bem seus pulmões estão funcionando. Níveis de PaCO2 muito altos, por exemplo, podem indicar que seus pulmões não estão expelindo dióxido de carbono suficiente.

Os intervalos aceitáveis ​​de PaCO2 são 35mmHg a 45mmHg.

Isto foi útil?

A SHO é diagnosticada apenas quando outras condições respiratórias, neuromusculares ou metabólicas não conseguem explicar os sintomas.

Os sintomas incluem:

  • falta de ar
  • tontura
  • fadiga
  • dores de cabeça
  • sonolência diurna ou letargia
  • ronco alto
  • sufocando ou ofegante
  • chiado no peito
  • dificuldade em respirar à noite

Nem todas as pessoas com obesidade e falta de ar têm SHO. A obesidade pode causar falta de ar mesmo que não atenda aos critérios diagnósticos de OHS.

Como é diagnosticada a síndrome de hipoventilação da obesidade?

Um diagnóstico de OHS requer que critérios específicos sejam atendidos. Parte desse processo envolve descartar outras condições que podem criar dispneia.

Seu médico discutirá seus sintomas com você e realizará um exame físico. Seu peso, altura, índice de massa corporal (IMC) e medidas de cabeça e cintura serão considerados.

Os testes pulmonares podem ajudar a indicar a função pulmonar. Você pode precisar de:

  • gasometria arterial
  • testes de óxido nítrico exalado fracionado (FeNO)
  • teste de capacidade de difusão pulmonar
  • teste de volume pulmonar
  • espirometria
  • oximetria de pulso

Além dessas avaliações do desempenho pulmonar, o diagnóstico por imagem pode ajudar a descartar outras condições conhecidas por causar falta de ar.

Esses procedimentos incluem:

  • radiografias
  • Tomografia computadorizada
  • ressonância magnética
  • broncoscopia

Para garantir um diagnóstico correto, seu médico pode sugerir mais testes, como:

  • hemograma completo (CBC)
  • estudo do sono
  • estudos cardíacos

Quando nenhuma outra condição pode estar associada aos seus sintomas, a obesidade foi confirmada e os níveis de gases arteriais estão em um ponto específico, a SHO pode ser diagnosticada.

Tratamento para obesidade e falta de ar

Os tratamentos de SHO e dispneia relacionada à obesidade concentram-se na normalização da ventilação e na redução do peso corporal.

A Revisão de 2018 na OHS indica que a pressão positiva contínua nas vias aéreas (CPAP) é o tratamento imediato de escolha para casos estáveis ​​de obesidade e falta de ar. O CPAP usa uma máscara respiratória para aplicar pressão consistente nas vias respiratórias, permitindo que o corpo expulse toxinas e sature os níveis de oxigênio de maneira adequada.

CPAP é uma das duas terapias de pressão positiva nas vias aéreas (PAP) disponíveis. Seu médico pode recomendar pressão positiva de dois níveis nas vias aéreas (BPAP). O BPAP é semelhante ao CPAP, mas usa dois níveis de pressão em vez de um nível consistente.

O PAP em qualquer uma das formas é feito regularmente. Será prescrita uma máquina caseira que pode precisar ser usada por horas seguidas.

A oxigenoterapia suplementar é recomendada juntamente com o tratamento com CPAP quando os níveis de oxigênio estão gravemente esgotados.

Em alguns casos, se a obesidade e a falta de ar progredirem até o fechamento completo das vias aéreas, pode ser necessária uma traqueostomia para manter as vias aéreas, principalmente enquanto você dorme.

Perder peso pode ajudar com falta de ar?

Quando a falta de ar está relacionada à obesidade, reduzir o peso é a principal forma de melhorar os sintomas.

Vários estudos mostram que a perda de peso está associada à melhora dos sintomas de SHO. À medida que o peso é reduzido, os níveis de dióxido de carbono diminuem e a função pulmonar melhora.

Embora qualquer perda de peso seja positiva, a perda inicial alvo para tratar a SHO é 25% a 30% do seu peso corporal.

Seguir consistentemente um plano de dieta e uma rotina de exercícios por tempo suficiente para atingir esse objetivo nem sempre é sustentável para as pessoas. Por esse motivo, a cirurgia bariátrica é frequentemente recomendada. A cirurgia bariátrica envolve a modificação do estômago ou intestinos para permitir a redução da ingestão de alimentos, diminuir a fome e aumentar a sensação de saciedade.

Se você optar pela dieta alimentar, seu médico e nutricionista podem ajudá-lo a criar um plano que reduza o peso de forma segura. Perder peso muito rapidamente pode ter impactos negativos na saúde, mesmo se você estiver tentando controlar uma condição como a SHO.

Quais medicamentos podem tratar a SHO?

Nenhum medicamento foi considerado eficaz no tratamento da OHS.

Resultado final

A obesidade e a falta de ar estão intimamente ligadas. O ganho excessivo de peso pode alterar a função pulmonar e contribuir para um processo fisiológico de inflamação que dificulta ainda mais a respiração.

Quando a dispneia relacionada à obesidade atinge determinado ponto, pode ser diagnosticada como síndrome de hipoventilação da obesidade.

As terapias PAP são tratamentos de primeira linha enquanto você inicia sua jornada para perder peso. A perda de peso segura leva tempo e, durante esse tempo, o PAP pode ajudá-lo a respirar com mais facilidade.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *