11 sinais de um bebê superestimulado e como acalmá-los


0

JuFagundes / Getty Images

Bebês, assim como adultos e crianças mais velhas, podem ficar superestimulados. Coisas como muito barulho, novas pessoas ou novos ambientes podem levar a um bebê superestimulado.

Cada bebê é diferente, mas alguns bebês tendem a ser superestimulados com mais facilidade do que outros. Os sinais de um bebê superestimulado podem incluir irritabilidade, choro ou pegajosidade.

Veja como reconhecer os sinais de um bebê superestimulado – e algumas dicas de como lidar com a situação.

O que é um bebê superestimulado?

Comecemos pelo princípio: o que exatamente é superestimulação em um bebê?

“A superestimulação ocorre quando um bebê ou criança experimenta mais estímulos do que eles podem suportar ou estão acostumados”, explica o Dr. Kevin Kathrotia, neonatologista e pediatra.

De acordo com Kathrotia, a superestimulação em bebês ocorre com bastante frequência. “É mais comum entre 2 semanas e 3 a 4 meses de idade”, explica ele.

As crianças mais velhas também podem ficar superestimuladas. Por exemplo, você pode descobrir que seu filho pequeno ou em idade pré-escolar teve um colapso após um longo dia com amigos e família.

11 sinais de um bebê superestimulado

A superestimulação parece um pouco diferente em cada criança, mas existem alguns sinais comuns que você pode notar em um bebê:

  • chorando, geralmente mais alto do que o normal

  • retirando-se do seu toque ou virando a cabeça para longe de você
  • querendo ser abraçado
  • querendo mamar com mais frequência
  • sendo muito exigente ou irritável
  • cerrando os punhos ou agitando os braços e as pernas
  • agindo com medo
  • tendo acessos de raiva
  • movendo-se de forma frenética ou espasmódica
  • agindo muito cansado
  • engajar-se em medidas auto-calmantes, como chupar as mãos ou punhos

Bebês e crianças mais velhas podem ter sinais diferentes de superestimulação. Por exemplo, você pode notá-los:

  • chorando sem conseguir explicar o que está errado
  • jogando-se no chão com raiva
  • encenando
  • recusando-se a ouvir
  • agindo mal-humorado, agressivo ou hiper

Causas de superestimulação em bebês

Cada bebê é diferente, mas algumas das coisas que podem sobrecarregar seu filho incluem:

  • Ambiente. Alguns bebês podem ficar sobrecarregados por lugares barulhentos, lotados, bem iluminados ou coloridos.
  • Uso excessivo da tela. TVs, telefones e outros dispositivos podem ser demais para o cérebro de um bebê processar antes de ter pelo menos 18 meses de idade. É por isso que a Academia Americana de Pediatria recomenda evitar o uso de telas antes dos 2 anos – e limitar a exposição a cerca de 1 hora de programação educacional por dia até os 5 anos.
  • Muita atividade. Há um motivo pelo qual as crianças às vezes têm um colapso no final da festa de aniversário ou um longo dia ao ar livre em um parque: muita atividade pode sobrecarregar seus sentidos.
  • Perder um cochilo ou ir para a cama tarde. Estar excessivamente cansado pode sobrecarregar rapidamente o seu bebê.
  • Perturbação da rotina. Os bebês são criaturas de hábitos, e uma mudança de horário pode torná-los irritadiços.
  • Muitas pessoas. Alguns bebês podem gostar de conhecer muitas pessoas, enquanto outros ficarão rapidamente sobrecarregados por novos rostos ou multidões.
  • Temperatura. Ficar muito frio ou quente pode desempenhar um papel na superestimulação.
  • Dentição. Embora temporária, a dentição pode irritar o bebê e torná-lo menos tolerante a outros estímulos.
  • Certas condições médicas. Por exemplo, crianças autistas têm um sistema sensorial mais sensível, então é mais fácil para imagens, sons, toques, cheiros ou gostos dominá-los. Uma criança que está sofrendo de uma doença também pode ficar superestimulada com mais facilidade.

Como acalmar um bebê superestimulado

Se você tem um bebê superestimulado nas mãos, existem alguns passos que você pode seguir para acalmá-lo.

1. Remova-os da situação

Quando você perceber que seu bebê está superestimulado, o primeiro passo que você deve dar é mudar o ambiente para um lugar mais silencioso e escuro, diz Kathrotia.

Pode ser o berçário, um cômodo escuro da casa, um envoltório ou portador de bebê no peito, um carrinho de bebê ou até mesmo a cadeirinha do carro. Certifique-se de que o quarto esteja silencioso e fale com seu bebê com uma voz calma e suave.

Se possível, evite cores brilhantes porque podem ser estimulantes.

2. Enrole seu bebê

Você também pode querer enfaixar seu bebê. Enrolar aplica uma pressão constante, imita o aconchego do útero e embota seu reflexo de sobressalto, que alguns bebês consideram reconfortante.

No entanto, nem todos os bebês gostam de ser enrolados – então, se o seu não gosta, tudo bem.

3. Acalme-os com ruído branco

Você também pode tocar música suave ou ligar uma máquina de som ou uma máquina de ruído branco. Evite TVs ou telefones – os especialistas concordam que eles são estimulantes demais para crianças menores de 2 anos.

4. Segure seu bebê, mas esteja preparado para dar espaço a ele

Alguns bebês querem ser segurados ou tocados, mas muitos não.

Na verdade, diz Kathrotia, bebês na “fase púrpura de choro” de seu desenvolvimento – que é aproximadamente entre as idades de 2 semanas e 4 meses – podem resistir a toques e abraços quando são superestimulados porque é exatamente isso que os está superestimulando.

Se o seu filho parecer se afastar do seu toque, deite-o de costas em um lugar seguro, como o berço, e sente-se perto até que se acalme.

Calmantes e crianças mais velhas

Quando a superestimulação acontece em crianças mais velhas, é importante que você controle suas emoções (o que pode ser desafiador, nós sabemos). Mas se você estiver calmo, você os ajudará a aprender a ficar calmos também.

Se puder, deixe o ambiente superestimulante e encontre um lugar tranquilo para ir.

Se você não pode deixar o ambiente, tente reduzir o ruído e a atividade ao redor do seu filho:

  • desligar música ou TV
  • pedindo às pessoas para falarem em voz baixa
  • escurecendo as luzes
  • fechando persianas e cortinas

Você também pode oferecer atividades calmantes ao seu filho, como:

  • lendo um livro
  • deitando-se
  • brincar com brinquedos não eletrônicos
  • afago
  • jogo sensorial

Também é útil ter certeza de que seu filho está fisicamente confortável. Por exemplo, ajude-os a esfriar se estiverem superaquecidos ou ofereça cobertores aconchegantes se estiverem com frio.

Algumas crianças são especialmente sensíveis a coisas como roupas que coçam ou sensações como sede ou fome, portanto, certifique-se de que suas necessidades físicas sejam atendidas.

Quando ver um medico

É completamente normal que o seu bebê fique superestimulado às vezes.

Em alguns casos, a superestimulação frequente pode ser o sinal de outra coisa, como problemas sensoriais ou autismo.

Você pode querer falar sobre o comportamento do seu filho com o seu médico se:

  • O comportamento do seu filho interrompe as rotinas diárias.
  • Seu filho está tendo problemas para se mover ou ficar de pé.
  • As reações de seu filho são muito difíceis de controlar sozinho.

Você também deve certificar-se de manter todas as consultas de saúde do seu filho, para que o médico possa monitorar o desenvolvimento e o comportamento. Se seu filho parece não atingir os marcos de desenvolvimento para sua idade – ou se seu filho está regredindo em relação aos marcos – converse com um médico.

Como prevenir a superestimulação em um bebê

Quando seu bebê está superestimulado, qualquer estímulo – incluindo sons, imagens, cheiros e toque – pode facilmente oprimi-lo e causar um colapso.

Isso pode ser difícil para qualquer pai ou mãe e pode piorar se não for tratado.

“Se um bebê não for retirado desse tipo de ambiente, isso pode resultar em sono reduzido ou irregular e até mesmo afetar a alimentação”, explica Kathrotia.

É por isso que, diz ele, a melhor coisa que você pode fazer é aprender o que estimula demais seu bebê. Em seguida, você pode evitar situações que os desencadeiem, planejar com antecedência ou removê-los rapidamente quando mostrarem sinais de estarem superestimulados.

“Todos nós ficamos superestimulados, mas sabemos e somos capazes de nos afastar de certas situações”, observa Kathrotia. “Os bebês não podem e dependem de nós para saber quando dizer quando falar para eles.”

Aqui estão algumas coisas que você pode fazer para limitar ou evitar que seu filho fique superestimulado:

  1. Pausas na programação. Certifique-se de que seu filho tenha um tempo de inatividade entre diferentes atividades ou eventos. Por exemplo, se você for ao parque, certifique-se de que seu bebê tenha tempo para tirar uma soneca em casa depois. Ou, se você estiver apresentando seu bebê para amigos e familiares, leve-os para um quarto silencioso para pequenos intervalos de todos aqueles aconchegos. Os intervalos devem ser em locais tranquilos e familiares que o seu bebê conheça bem.
  2. Mantenha as coisas curtas. Seu bebê – especialmente nos primeiros meses – não está pronto para dias de maratona cheios de tarefas, reuniões e muito mais. Tente agendar passeios em incrementos curtos e previsíveis.
  3. Crie uma rotina e cumpra-a. Tente manter um horário definido de alimentação / refeição, hora da soneca e hora de dormir, mesmo se você estiver longe de casa.
  4. Limite as telas. Telas devem ser evitadas especialmente para menores de 2 anos.
  5. Respeite a personalidade do seu filho. Se seu bebê fica superestimulado perto de grandes multidões, respeite isso. Você não vai mudar a personalidade deles oprimindo-os – isso só vai testar sua paciência e tornar as coisas mais difíceis para você.
  6. Entre em contato se precisar de ajuda. Um médico pode ajudá-lo a diferenciar entre o que é normal e o que não é – e eles podem compartilhar dicas para ajudá-lo a lidar com a situação.

Remover

Pode ser difícil lidar com um bebê superestimulado, mas lembre-se: naquele momento, seu filho oprimido não sabe como lhe dizer que está desconfortável.

A melhor maneira de tornar as coisas melhores para você e seu filho é remover os estímulos que o perturbam e ajudá-lo a se acalmar.

Você também pode planejar com antecedência para tentar minimizar a probabilidade de seu filho ficar superestimulado em primeiro lugar. Se as coisas estiverem ficando difíceis de controlar, converse com o pediatra de seu filho para obter ajuda.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Choose A Format
Personality quiz
Series of questions that intends to reveal something about the personality
Trivia quiz
Series of questions with right and wrong answers that intends to check knowledge
Poll
Voting to make decisions or determine opinions
Story
Formatted Text with Embeds and Visuals
List
The Classic Internet Listicles
Countdown
The Classic Internet Countdowns
Open List
Submit your own item and vote up for the best submission
Ranked List
Upvote or downvote to decide the best list item
Meme
Upload your own images to make custom memes
Video
Youtube, Vimeo or Vine Embeds
Audio
Soundcloud or Mixcloud Embeds
Image
Photo or GIF
Gif
GIF format