Os benefícios da música para pessoas com Alzheimer ou demência


0

Vários estudos apoiam o uso de musicoterapia e outras atividades musicais para ajudar a reduzir os sintomas da doença de Alzheimer. Demonstrou-se que diferentes tipos de intervenções musicais afetam diferentes sintomas da doença de Alzheimer.

um adulto mais velho cantando em um microfone enquanto seu neto e um amigo tocam piano
Pamela Joe McFarlane / Getty Images

A doença de Alzheimer é uma doença progressiva que afeta negativamente a memória, o aprendizado e o comportamento. De acordo com o Instituto Nacional do Envelhecimento, mais de 6 milhões Adultos norte-americanos têm Alzheimer.

Não há cura para a doença de Alzheimer. O tratamento geralmente envolve tomar vários medicamentos para reduzir os sintomas ou retardar a progressão da doença. Algumas pessoas também podem se beneficiar de tratamentos alternativos como acupuntura e aromaterapia.

Pesquisar sugere que a música também afeta positivamente a saúde das pessoas com doença de Alzheimer. Também pode ajudar a retardar o aparecimento da doença de Alzheimer em pessoas em risco.

Seja sob a orientação de um musicoterapeuta certificado ou como parte de uma atividade em grupo, as intervenções musicais podem ajudar a reduzir os sintomas e melhorar a vida das pessoas com Alzheimer e dos seus cuidadores.

Alzheimer vs. demência

Demência é um termo geral para declínio cognitivo grave.

A doença de Alzheimer é uma doença específica e a mais comum causa da demência.

Alguns dos estudos mencionados neste artigo enfocam especificamente a doença de Alzheimer, enquanto outros podem enfocar a demência em geral.

Isto foi útil?

O que é musicoterapia?

A musicoterapia é uma abordagem baseada em evidências que usa música para melhorar os resultados de saúde. Um musicoterapeuta qualificado pode criar um programa personalizado para ajudar você ou um ente querido com necessidades físicas, emocionais, sociais ou cognitivas.

De acordo com a American Music Therapy Association (AMTA), a musicoterapia pode ajudar:

  • memória
  • expressão e comunicação
  • gerenciamento de estresse
  • alívio da dor
  • reabilitação física

Musicoterapia vs. outras intervenções musicais

A musicoterapia deve envolver um musicoterapeuta certificado que possa criar um plano individualizado para um paciente ou cliente. A pesquisa sugere que os planos individualizados são mais eficazes do que os planos gerais.

Pesquisar também sugere que as intervenções musicais em grupo também podem melhorar a saúde mental e o bem-estar, mesmo que não sejam conduzidas por um musicoterapeuta. Mas estas intervenções também requerem reflexão e planeamento.

A Dra. Carol Beynon, professora emérita da Western University em Londres, Canadá, observa que o sucesso de tais intervenções muitas vezes depende de líderes ponderados e informados. “Os principais componentes incluem qual música está sendo usada, como ela está sendo usada e quem está ensinando”, comenta Beynon.

Beynon pesquisou o desenvolvimento e os resultados do Projeto Coro Intergeracional, que uniu pessoas com demência e seus cuidadores a alunos do ensino médio e seu professor de música. O projeto foi iniciado pela Sociedade de Alzheimer local, que proporcionou treinamento ao professor e aos alunos antes de suas interações.

“Deve ser um currículo planejado e sequencial, não apenas uma série de atividades.” Beynon acrescenta: “É preciso haver um plano, mas você também precisa ser flexível”.

O que são intervenções musicais ativas e passivas?

As intervenções musicais podem ser ativas ou passivas. De acordo com Pesquisa 2021intervenções ativas e passivas envolvem diferentes partes do cérebro.

Intervenções musicais ativas

A musicoterapia ativa ou intervenções envolvem você na criação de música. Exemplos de intervenções ativas incluem:

  • círculos de tambor
  • canto em grupo
  • tocando um instrumento musical
  • compondo música

Essas atividades geralmente envolvem um componente de movimento. Se o movimento não fizer parte regularmente da atividade musical, um musicoterapeuta ou líder de atividade poderá adicionar movimentos simples. Pesquisa de 2022 sugere que o elemento movimento pode aumentar o efeito terapêutico.

A Estudo de 2021 descobriram que as intervenções ativas foram melhores do que as intervenções passivas na melhoria da cognição, do comportamento e da função motora em pessoas com doença de Alzheimer.

Intervenções de escuta musical

As intervenções passivas ou receptivas envolvem ouvir música. O objetivo é fazer com que a música evoque uma resposta emocional ou estimule a memória.

Um estudo de 2018 descobriu que as intervenções passivas foram melhores do que as intervenções ativas na redução da ansiedade, agitação e problemas de comportamento em pessoas com demência.

Pessoas com Alzheimer podem participar de música?

A Associação de Alzheimer observa que as pessoas nos estágios iniciais e intermediários da doença de Alzheimer podem participar e se beneficiar de atividades musicais.

A Revisão de pesquisa de 2022 afirma que pessoas com Alzheimer podem aprender e lembrar novas músicas. Pode ser mais desafiador nos estágios posteriores, mas eles ainda poderão tocar ou cantar junto com a música.

Isto foi útil?

Como a música ajuda as pessoas com Alzheimer ou demência?

Beynon comenta que cantar no Projeto Coro Intergeracional proporcionou às pessoas com Alzheimer “apoio espiritual e estético que, por sua vez, reforça uma melhor saúde e bem-estar”. Ela observa que os participantes se sentiram energizados e apresentaram sintomas reduzidos por 2 a 24 horas após cada sessão.

A pesquisa médica parece confirmar as observações de Beynon de que as intervenções musicais podem ajudar das seguintes maneiras.

Melhorar a memória

A música pode ajudar as pessoas com Alzheimer a recordar detalhes de suas vidas. Pesquisadores chamo essas memórias autobiográficas evocadas pela música, que muitas vezes podem ser vívidas e detalhadas. O efeito é mais forte com músicas conhecidas, mas mesmo músicas desconhecidas podem ter efeito.

Melhorar a cognição

A Revisão de estudos de 2023 de três continentes descobriram que a musicoterapia ajudou a melhorar as funções cognitivas em pessoas com Alzheimer. Os autores também observaram que as intervenções ativas tiveram mais efeito.

Reduzir sintomas comportamentais e psicológicos

Pesquisar sugere que algumas intervenções musicais podem ajudar as pessoas com demência a reduzir os sintomas de:

  • ansiedade
  • depressão
  • agitação
  • apatia

Cantar e técnicas musicais combinadas foram mais eficazes. Os resultados foram mistos ao ouvir música ou tocar instrumentos musicais.

Melhorar a fluência verbal

Testes clínicos descobriram que a musicoterapia pode melhorar as habilidades verbais e de linguagem em pessoas com demência. Cantar, compor e ler letras de músicas ajudaram a melhorar essas habilidades. A Teste de 2018 notaram o efeito positivo especificamente em pessoas com doença de Alzheimer leve.

Melhorar a qualidade de vida

A Revisão de 2022 de 26 estudos encontraram melhora significativa na qualidade de vida relacionada à saúde mental entre pessoas com Alzheimer quando a musicoterapia foi adicionada ao tratamento padrão. Os autores do estudo também encontraram uma leve melhora na qualidade de vida relacionada à saúde física. Mas alertaram contra generalizações porque havia muita variação nos resultados.

Que tipo de música ajuda pessoas com Alzheimer ou demência?

Não existe um estilo ou gênero de música que ajude todas as pessoas com Alzheimer ou demência. A AMTA observa que vários estilos podem ser úteis. Um musicoterapeuta qualificado considerará suas preferências, circunstâncias e objetivos de tratamento ou de seu ente querido ao decidir qual música incluir como parte da terapia.

Ainda um Revisão de 2017 dos ensaios clínicos que usaram musicoterapia revelam algumas preferências. As intervenções ativas tendem a envolver música familiar à pessoa com Alzheimer. Podem ser canções da sua cultura, melodias clássicas familiares (como “Ode à Alegria” de Beethoven) ou música popular familiar.

Beynon também acha bom incluir músicas novas. “Usámos música popular principalmente dos anos 1940 até aos anos 1990 para promover a recordação, bem como a recuperação de memórias, mas também incluímos música coral que eles provavelmente não conheciam para promover novas aprendizagens.”

As canções familiares exploradas no Projeto Coro Intergeracional incluem:

  • “Você nunca andará sozinho”
  • “Rio de lua”
  • “Além do arco-íris”
  • “Chattanooga Choo-Choo”
  • “Carol dos Sinos”
  • um medley de “A Noviça Rebelde”

Quando se tratava de ouvir música, os ensaios clínicos usavam com mais frequência música clássica ocidental. Exemplos específicos incluem:

  • “Sonata para Dois Pianos em Ré Maior, K. 448” de Mozart
  • “Cânon em Ré” de Pachelbel
  • “Primavera” de “Quatro Estações” de Vivaldi

Existem desvantagens na musicoterapia para pessoas com doença de Alzheimer ou demência?

Como a maioria das terapias, a musicoterapia apresenta alguns riscos. Algumas pessoas podem sentir aumento da ansiedade devido à participação ativa na música.

Selecionar a música errada também pode fazer com que a audição produza resultados negativos. Os possíveis riscos incluem:

  • superestimulação
  • ansiedade ou confusão
  • desencadeando memórias negativas

Como encontrar um musicoterapeuta qualificado

Os musicoterapeutas são formados em musicoterapia por um programa credenciado. Eles podem então fazer um exame para receber a certificação.

Você pode procurar um musicoterapeuta qualificado através da AMTA.

Você pode verificar a certificação de um musicoterapeuta por meio do Conselho de Certificação de Musicoterapeutas.

Isto foi útil?

Remover

A pesquisa sugere que as intervenções musicais podem afetar positivamente a qualidade de vida de algumas pessoas com Alzheimer ou outras formas de demência. Intervenções individualizadas lideradas por um musicoterapeuta são normalmente mais eficazes. Mas outras intervenções também podem ser bem-sucedidas com um planeamento criterioso e uma liderança especializada.

As atividades musicais podem ser ativas ou passivas. As intervenções ativas, que envolvem criar ou reagir à música, podem produzir melhores resultados do que as intervenções passivas, que envolvem apenas ouvir música.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *