Como a quimioterapia é usada no tratamento da esclerose múltipla (EM)?


0

Um tipo de medicamento quimioterápico, chamado mitoxantrone, pode potencialmente tratar a esclerose múltipla (EM), suprimindo as células sanguíneas que atacam a mielina, a camada protetora que cobre o cérebro e os nervos espinhais.

Aproximadamente 400.000 pessoas nos Estados Unidos têm esclerose múltipla (EM). A EM não tem cura, mas médicos e profissionais de saúde prescrevem medicamentos para reduzir a atividade imunomediada e ajudar as pessoas a controlar seus sintomas.

A Food and Drug Administration (FDA) aprovou um tipo de drogas quimioterápicas para tratar a EM. Mitoxantrone (Novantrone) é aprovado para pessoas com:

  • EM secundária progressiva
  • EM recidivante progressiva
  • agravamento da EM remitente-recorrente

A mitoxantrona não é aprovada para tratar pessoas com EM progressiva primária.

Às vezes, a quimioterapia também é combinada com transplante autólogo de medula óssea para tratar a EM. Em um transplante autólogo de medula óssea, os médicos geralmente usam um tipo diferente de medicamento quimioterápico, como ciclofosfamida (Cytoxan).

Este procedimento envolve:

  1. removendo as células-tronco da medula óssea que produzem células sanguíneas
  2. submetidos a uma alta dose de quimioterapia
  3. infundindo as células-tronco de volta ao seu sangue

Continue lendo para saber mais sobre como a quimioterapia é usada para tratar a EM e quando um médico pode recomendá-la.

O que é quimioterapia?

A quimioterapia é uma terapia medicamentosa que contém produtos químicos que destroem células de crescimento rápido em seu corpo. É mais frequentemente usado para tratar o câncer.

A quimioterapia pode danificar as células saudáveis ​​do corpo que se dividem rapidamente, como as células dos folículos pilosos ou do trato gastrointestinal (digestivo). Muitos efeitos colaterais da quimioterapia se desenvolvem a partir de danos a essas células saudáveis.

Isto foi útil?

Qual é o objetivo da quimioterapia para EM?

A esclerose múltipla é um distúrbio progressivo que se desenvolve quando os glóbulos brancos atacam a camada gordurosa protetora ao redor dos nervos do cérebro e da medula espinhal chamada mielina e neurodegeneração (comprometimento cognitivo, depressão, fadiga).

O medicamento quimioterápico mitoxantrona pode potencialmente tratar a EM, suprimindo a atividade dos glóbulos brancos que atacam a mielina e reduzindo os danos ao sistema nervoso central.

Um terapia emergente para a EM é a quimioterapia combinada com um transplante autólogo de medula óssea. A combinação de quimioterapia com um transplante de medula óssea permite que os médicos administrem uma dose mais alta de quimioterapia – normalmente ciclofosfamida (Cytoxan) – do que de outra forma seriam capazes.

A quimioterapia com transplante autólogo de medula óssea pode ser uma opção de tratamento para pessoas com EM grave remitente-recorrente que não responde a outros tratamentos.

Durante um transplante autólogo de medula óssea, as células-tronco que criam células sanguíneas são removidas da medula óssea antes de você receber a quimioterapia. Eles são reinfundidos em seu sangue posteriormente para que seu sistema imunológico possa crescer novamente.

Quais medicamentos quimioterápicos são usados ​​para EM?

Mitoxantrone, vendido sob a marca Novantrone, é o único medicamento quimioterápico aprovado pela FDA para tratar a EM nos Estados Unidos.

O medicamento alemtuzumab (Lemtrada) também é aprovado pela FDA para tratar a EM. É considerado um medicamento de terapia direcionada e não um medicamento quimioterápico tradicional. Ele funciona visando uma proteína em seus glóbulos brancos chamada CD52. Essa reação esgota e repovoa os glóbulos brancos que circulam no sangue.

Semelhante ao alemtuzumabe, o rituximabe (Rituxan) também é um tratamento direcionado que não é necessariamente considerado quimioterapia. Também é usado em vários tipos diferentes de tratamento do câncer. rituximabe não é aprovado pela FDA para MS, mas é freqüentemente usado off-label para tratar MS.

Novos tratamentos promissores

A quimioterapia combinada com um transplante de medula óssea ainda é considerada um procedimento experimental e ainda não foi aprovado pela FDA. Dois regimes de medicamentos diferentes são frequentemente usados. Estes incluem o regime de globulina antitimócito (ATG) BEAM, que inclui os seguintes medicamentos quimioterápicos:

  • carmustina
  • etoposido
  • citarabina-arabinósido
  • melfalano
  • ATG

E o regime de ciclofosfamida, que inclui:

  • ciclofosfamida
  • ATG

Quais são os ciclos típicos de quimioterapia para EM?

A mitoxantrona é normalmente administrada na dosagem de 12 miligramas por metro quadrado (mg/m2) por meio de uma infusão intravenosa (IV) por 5 a 15 minutos a cada 3 meses. Pode ser altamente tóxico, então os médicos geralmente administram uma dose máxima vitalícia de 140 mg/m2.

As dosagens e medicamentos usados ​​na quimioterapia combinados com um transplante autólogo de células-tronco variam entre os ensaios clínicos. O procedimento geralmente consiste em cinco fases:

  1. identificação pré-transplante de riscos potenciais
  2. remoção de células-tronco
  3. quimioterapia
  4. reinfusão de células-tronco
  5. cuidados de suporte pós-transplante

Quais são os possíveis efeitos colaterais da quimioterapia para EM?

Os medicamentos quimioterápicos podem causar muitos efeitos colaterais. A insuficiência cardíaca congestiva (ICC) é uma complicação rara que pode ocorrer durante a terapia ou meses ou anos após a terapia com mitoxantrona. O risco de cardiotoxicidade aumenta com a dose total ao longo da vida.

Outros efeitos colaterais podem incluir:

  • náusea
  • vômito
  • diarréia
  • dor de cabeça
  • fadiga
  • febre e calafrios
  • aftas
  • constipação
  • sintomas como os da gripe
  • cor anormal da urina
  • perda de cabelo
  • menstruação atrasada

A mitoxantrona também tem sido associada a um risco aumentado de desenvolver leucemia mielóide aguda.

Saiba mais sobre os efeitos colaterais da quimioterapia.

Quão eficaz é a quimioterapia para EM?

A mitoxantrona tem sido associada a efeitos colaterais significativos. Isso é caiu em desgraça apesar de sua potencial eficácia no tratamento da EM.

Em um 2021 estudaros pesquisadores compararam a droga mitoxantrona com o anticorpo monoclonal rituximabe em pessoas com EM recidivante avançada.

Progressão da incapacidade foi observada em 21% das pessoas que receberam rituximabe e 32,9% das pessoas que receberam mitoxantrona. Rituximab teve um perfil de segurança mais favorável. Os pesquisadores concluíram que a mitoxantrona só deve ser usada em casos raros e excepcionais.

Quimioterapia combinada com transplante autólogo de células-tronco

Estudos ainda estão em andamento para avaliar a eficácia da quimioterapia combinada com um transplante autólogo de células-tronco. Em um 2022 análiseos pesquisadores descobriram que um transplante de células-tronco é potencialmente uma opção altamente eficaz e relativamente segura para EM altamente ativa.

A estudo 2021 observa que os melhores candidatos para a quimioterapia combinada com um transplante autólogo de células-tronco são pessoas com menos de 50 anos com uma duração mais curta de EM. Os pesquisadores do estudo recomendam que o procedimento seja realizado apenas em centros com experiência e especialização substanciais.

Em um 2017 estudaros pesquisadores descobriram que a EM não progrediu em um período de 5 anos em 46% das pessoas depois que você recebeu um transplante autólogo de células-tronco.

Remover

A quimioterapia envolve tomar medicamentos que contêm produtos químicos que matam as células do corpo que se multiplicam rapidamente.

O medicamento quimioterápico mitoxantrona é aprovado pela FDA para tratar a EM. Funciona destruindo os glóbulos brancos que atacam a camada protetora em torno de seus nervos chamada mielina.

A quimioterapia combinada com um transplante de células-tronco é um tratamento emergente, mas ainda não foi aprovado pela FDA para tratar a EM. Pode ser uma opção de tratamento para pessoas com EM grave remitente-recorrente.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *