Ex-primeiro-ministro do Paquistão, Imran Khan, e principal assessor pegam 10 anos de prisão em caso de segredos de estado


0

Khan e seu vice, Shah Mahmood Qureshi, foram condenados no chamado caso cifrado, cerca de uma semana antes das eleições gerais de 8 de fevereiro.

Ex-primeiro-ministro do Paquistão, Imran Khan
O ex-primeiro-ministro paquistanês Imran Khan está preso desde agosto do ano passado [File: KM Chaudary/AP]

Islamabad, Paquistão – Um tribunal do Paquistão condenou o antigo primeiro-ministro Imran Khan e o seu assessor próximo, o antigo ministro dos Negócios Estrangeiros Shah Mahmood Qureshi, a 10 anos de prisão num caso relacionado com a fuga de segredos de Estado.

O tribunal especial criado numa prisão em Rawalpindi anunciou na terça-feira a sentença no chamado caso cifrado, que se refere a um telegrama diplomático que Khan afirma provar a sua alegação de que a sua destituição do poder em 2022 foi uma conspiração.

O tribunal estabelecido pela Lei de Segredos Oficiais considerou Khan culpado de uso indevido do telegrama confidencial enviado por um ex-embaixador do Paquistão nos Estados Unidos.

Khan negou repetidamente a acusação, dizendo que o documento continha provas de que a sua destituição do cargo de primeiro-ministro foi uma conspiração arquitetada pelos seus opositores políticos e pelos poderosos militares, com a ajuda da administração dos EUA. Washington e o exército paquistanês rejeitam a acusação.

Khan foi primeiro-ministro do Paquistão de agosto de 2018 a abril de 2022, quando perdeu um voto de confiança no parlamento. Ele está preso desde agosto do ano passado, enfrentando julgamento em vários casos.

Julgamento realizado de ‘maneira ilegal’

A sentença contra o principal líder da oposição do país surge cerca de uma semana antes das eleições gerais, marcadas para 8 de fevereiro.

Syed Zulfiqar Bukhari, porta-voz do partido Paquistão Tehreek-e-Insaf (PTI), de Khan, disse à Al Jazeera que o PTI contestará a decisão do tribunal.

“Isso foi praticamente uma escrita na parede”, disse ele, acrescentando que o julgamento foi realizado de “maneira ilegal”.

“Nossos advogados não foram autorizados a representar Imran Khan. Eles nem sequer foram autorizados a interrogar as testemunhas. O que estava acontecendo no tribunal era apenas uma charada e uma farsa”, disse Bukhari.

É a segunda condenação de Khan em menos de um ano. Em Agosto, foi condenado a três anos num caso de corrupção, que o impediu de concorrer às eleições nacionais.

A votação segue-se a uma repressão massiva contra o PTI, que resultou na demissão de dezenas dos seus líderes do partido e na prisão de milhares dos seus membros e apoiantes.

Recentemente, o partido também perdeu o seu símbolo eleitoral – um taco de críquete – e foi forçado a apresentar os seus candidatos como independentes.

Mas Bukhari disse que o veredicto contra Khan e Qureshi só funcionará a favor do partido sitiado.

“Com a sentença a chegar num momento em que faltam menos de 10 dias para as eleições, isso apenas irá motivar os nossos apoiantes e ajudá-los a sair em massa. Parece que as autoridades querem suprimir o PTI e a sua base eleitoral, mas os seus actos apenas nos levarão a votar em números maiores”, disse ele à Al Jazeera.

A analista política Benazir Shah disse que ficou “claro desde o início do processo judicial [against Khan] que o Estado tinha pouco interesse em investigar de forma justa o caso, independentemente da sua gravidade”.

“Em vez disso, o Estado estava a usá-lo apenas como mais um meio para impedir que Khan chegasse ao poder após as eleições”, disse ela à Al Jazeera, acrescentando que era “profundamente preocupante” que o julgamento estivesse “envolto em segredo, impedindo os jornalistas de cobrirem o procedimentos apesar das ordens judiciais de um julgamento aberto”.

O advogado Abdul Moiz Jaferii disse que a sentença exigia que houvesse um vazamento “deliberado e intencional” de segredos de Estado em conluio com um inimigo, com o entendimento de que isso seria prejudicial ao Estado.

“Mal posso esperar para ver como o tribunal de primeira instância enquadrará esse círculo. E quem é o inimigo com quem Khan e Qureshi queriam conspirar”, disse ele à Al Jazeera.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *