Cisjordânia ‘território não ocupado’, diz Ron DeSantis


0

Falando ao grupo sionista cristão, o governador da Flórida e candidato republicano à presidência dos Estados Unidos promete apoio a Israel.

Ron DeSantis está de terno e gravata na frente de um banner com o logotipo da CUFI
O governador republicano Ron DeSantis fala na Cúpula dos Cristãos Unidos por Israel em 17 de julho em Arlington, Virgínia [Kevin Wurm/Reuters]

Washington DC – O governador da Flórida, Ron DeSantis, que busca a nomeação presidencial republicana, reiterou as alegações de que a Cisjordânia não está ocupada, sugerindo que Israel deveria poder continuar a construir assentamentos no território palestino sem interferência dos Estados Unidos.

Falando aos Cristãos Unidos por Israel (CUFI) na segunda-feira, DeSantis destacou sua boa-fé pró-Israel, incluindo seus esforços para reprimir empresas que boicotam o aliado dos EUA.

“Judéia e Samaria não são território ocupado”, disse DeSantis, referindo-se à Cisjordânia por um nome bíblico.

Ele acrescentou que, embora a terra seja disputada, os israelenses têm “a mais forte reivindicação de direito” à Cisjordânia. “Eles têm todo o direito de ter comunidades muito fortes nessas áreas”, disse DeSantis.

Ron DeSantis atrás de um pódio, em frente a uma tela que mostra o Capitólio e a sigla CUFI
O governador da Flórida, Ron DeSantis, é um dos vários candidatos presidenciais a falar na Cúpula dos Cristãos Unidos por Israel deste ano [Kevin Wurm/Reuters]

O governador da Flórida expressou tais sentimentos antes, mesmo antes de sua entrada na corrida presidencial dos EUA em maio. Em novembro, por exemplo, ele disse à conferência anual da Coalizão Judaica Republicana que a Cisjordânia “não estava ocupada”, mas sim “disputada”.

“Não me importa o que o Departamento de Estado diz”, acrescentou.

Mas seus comentários na segunda-feira sinalizam que os candidatos presidenciais republicanos vão avançar com posições firmemente pró-Israel enquanto tentam apelar para sua base de direita.

A Cisjordânia é território palestino. Israel capturou a terra em 1967 e tem construído assentamentos para seus cidadãos na área, violando o direito internacional, enquanto tem controle de fato sobre milhões de palestinos no mesmo território.

Vários grupos de direitos humanos, incluindo a Human Rights Watch e a Anistia Internacional, concluíram que Israel está impondo o apartheid aos palestinos. Especialistas das Nações Unidas disseram que os assentamentos equivalem a crimes de guerra.

A CUFI é uma das maiores organizações sionistas cristãs, representando um eleitorado conservador significativo de evangélicos americanos que apóiam Israel por motivos religiosos.

Os candidatos presidenciais republicanos Nikki Haley e Mike Pence também devem discursar na conferência de dois dias, que termina na terça-feira em Washington, DC.

Na corrida para a eleição, DeSantis tem lutado para diminuir a liderança maciça do ex-presidente Donald Trump entre os eleitores republicanos nas primárias, de acordo com pesquisas de opinião pública. As primárias devem começar no início do ano que vem.

Embora o atual presidente Joe Biden tenha apoiado o apoio incondicional a Israel, DeSantis criticou as políticas do líder democrata na segunda-feira.

“Também temos que rejeitar a tentativa do governo Biden de forçar uma ‘solução de dois estados’ com fronteiras anteriores a 1967”, disse DeSantis.

“Em primeiro lugar, essas fronteiras são indefensáveis. Eles querem dividir Jerusalém e tudo mais, mas é o seguinte: você não pode ter paz com pessoas que não acreditam que você tem o direito de existir como um estado judeu”.

O governador da Flórida também criticou Biden por não convidar o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, à Casa Branca e por criticar o esforço para reformar o judiciário de Israel. O plano, que enfraqueceria a supervisão judicial do governo, provocou protestos contínuos em Israel.

“Essa reforma judicial, Biden precisa se livrar disso e deixar Israel governar a si mesmo. Posso dizer o seguinte: como presidente, darei as boas-vindas ao primeiro-ministro Netanyahu para visitar a Casa Branca”, disse ele.

Os comentários de DeSantis foram feitos no momento em que o presidente israelense Isaac Herzog – que desempenha um papel amplamente cerimonial – deve visitar Washington, DC, na terça-feira, levantando questões sobre por que Netanyahu não foi convidado.

Mais tarde na segunda-feira, o gabinete de Netanyahu disse que Biden convidou o primeiro-ministro israelense para conversas nos EUA durante um telefonema entre os dois líderes, sem especificar um prazo ou onde a reunião aconteceria.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *