Arábia Saudita inicia negociações com a Ucrânia que excluem a Rússia


0

Cerca de 40 países participarão de uma reunião em Jeddah para discutir um conjunto de princípios comuns para acabar com a guerra na Ucrânia.

Uma foto de folheto fornecida pela Agência de Imprensa Saudita (SPA) em 19 de maio de 2023 mostra o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman
Em maio, o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman recebeu o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, durante a cúpula da Liga Árabe em Jeddah [File: Bandar Al-Jaloud/SPA via AFP]

A Arábia Saudita deu início a uma cúpula de fim de semana em Jeddah, na qual altos funcionários de cerca de 40 países – mas não da Rússia – terão como objetivo esboçar princípios-chave sobre como acabar com a invasão da Ucrânia pela Rússia.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, deu boas-vindas na sexta-feira à ampla gama de países representados nas negociações que começaram no sábado, incluindo países em desenvolvimento duramente atingidos pelo aumento nos preços dos alimentos desencadeado pela guerra.

“Isso é muito importante porque, em questões como segurança alimentar, o destino de milhões de pessoas na África, Ásia e outras partes do mundo depende diretamente da rapidez com que o mundo se move para implementar a fórmula da paz”, disse ele.

A Rússia interrompeu no mês passado sua participação em um acordo de grãos negociado pelas Nações Unidas que permitia o embarque de produtos ucranianos através do Mar Negro para partes do mundo que lutam contra a fome.

Zelenskyy disse esperar que a iniciativa leve a uma “cúpula de paz” de líderes mundiais neste outono para endossar os princípios, que ele acredita que devem ser baseados na fórmula de 10 pontos de Kiev para um acordo.

A fórmula da Ucrânia inclui o respeito à sua integridade territorial e a retirada das tropas russas dos territórios que Moscou afirma ter anexado.

O fórum exclui a Rússia, que rejeitou a fórmula de paz da Ucrânia. O Kremlin disse que vai “ficar de olho” na reunião.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse no início desta semana que a Rússia “precisaria entender quais metas foram definidas e o que será discutido”.

“Qualquer tentativa de promover um acordo pacífico merece uma avaliação positiva”, disse ele.

Step Vaessen, da Al Jazeera, reportando de Kiev, disse que a cúpula foi importante para a Ucrânia, pois apresentou uma oportunidade de alcançar nações que permaneceram neutras, incluindo Índia e Brasil.

Especialmente significativa foi a presença da China, um forte aliado da Rússia. “O que a Ucrânia realmente espera é que a China endosse o plano de paz de Zelenskyy”, acrescentou Vaessen.

A China, que se diz neutra no conflito, mas foi criticada pelas capitais ocidentais por se recusar a condenar a invasão da Ucrânia, anunciou na sexta-feira que participará das negociações de Jeddah enviando o enviado especial para assuntos eurasianos, Li Hui.

“Temos muitas divergências e ouvimos posições diferentes, mas é importante que nossos princípios sejam compartilhados”, afirmou.

Wang Wenbin, porta-voz do ministério chinês, disse em comunicado que: “A China está disposta a trabalhar com a comunidade internacional para continuar a desempenhar um papel construtivo na promoção de uma solução política para a crise na Ucrânia”.

Pequim e Moscou falaram repetidamente sobre suas fortes relações desde que os presidentes Xi Jinping e Vladimir Putin anunciaram uma parceria “sem limites” em fevereiro de 2022, quando Putin visitou Pequim.

No entanto, a embaixada da China na Rússia criticou na sexta-feira o tratamento dado a cinco cidadãos chineses que tiveram sua entrada negada na Rússia, chamando o incidente de inconsistente com as relações amistosas entre os dois países.

A Arábia Saudita disse que as negociações do fim de semana enfatizaram a “prontidão de Riad para exercer seus bons ofícios para contribuir para alcançar uma solução que resultará em paz permanente”, disse a Agência de Imprensa Saudita oficial (SPA).

A Arábia Saudita, maior exportadora de petróleo bruto do mundo, que trabalha em estreita colaboração com a Rússia na política de petróleo, divulgou seus laços com Moscou e Kiev e se posicionou como um possível mediador na guerra.

O relatório da SPA disse que o reino antecipou que a reunião reforçaria “o diálogo e a cooperação … para garantir uma solução para a crise por meios políticos e diplomáticos”.

O príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, governante de fato do reino, foi isolado após o assassinato em 2018 de Jamal Khashoggi, um colunista saudita do The Washington Post, no consulado saudita em Istambul. Mas a crise energética produzida pela guerra na Ucrânia elevou a importância global da Arábia Saudita, ajudando a facilitar sua reabilitação.

A Arábia Saudita apoiou as resoluções do Conselho de Segurança da ONU denunciando a invasão da Rússia, bem como sua anexação unilateral de território no leste da Ucrânia.

A reunião ocorre após conversas organizadas pela Ucrânia em Copenhague em junho, que foram planejadas para serem informais e não renderam uma declaração oficial.

Em maio, o reino recebeu Zelenskyy em uma cúpula da Liga Árabe em Jeddah, onde o presidente ucraniano acusou alguns líderes árabes de fechar os olhos para os horrores da invasão russa.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *