‘A Ucrânia é um país tolerante’, diz o único parlamentar negro de Kyiv


0

Beleniuk diz que é o ‘melhor exemplo’ de como os ucranianos percebem as pessoas de diferentes raças.

Beleniuk é o primeiro membro negro do parlamento da Ucrânia [Courtesy: Zhan Beleniuk/Al Jazeera]

Enquanto o presidente Vladimir Putin justifica sua invasão da Ucrânia dizendo que a Rússia deve livrar seu vizinho dos neonazistas, Zhan Beleniuk pinta seu país natal como aquele que acolhe todas as raças.

“Meu objetivo é mostrar que a Ucrânia é um país tolerante”, disse Beleniuk, o primeiro e único parlamentar negro da Ucrânia, à Al Jazeera.

“Acho que sou o melhor exemplo de como os ucranianos percebem as pessoas de diferentes cores de pele”, disse o homem de 31 anos, que se identifica como afro-ucraniano.

Beleniuk, que está com o partido liberal Servo do Povo do presidente Volodymyr Zelenskyy, nasceu em Kyiv em 1991, filho da mãe ucraniana Svitlana Beleniuk e Vincent Ndagijimana, um ruandês.

Ndagijimana, um piloto que estudou em Kyiv, onde conheceu a mãe de Beleniuk, morreu em 1994 durante o genocídio contra o povo tutsi em Ruanda.

Aos nove anos de idade, o wrestling tornou-se o principal passatempo de Beleniuk.

Zhan Beleniuk
Além de ser o primeiro deputado negro da Ucrânia, Beleniuk é também o primeiro medalhista de ouro olímpico negro do país [Courtesy: Zhan Beleniuk/Al Jazeera]

Aos 15 anos, começou a treinar no Centro Olímpico de Koncha Zaspa, em Kyiv, com o objetivo de se tornar o campeão ucraniano de luta greco-romana.

E a partir de 2006 passou a treinar quase diariamente no solo.

Mas depois de 24 de fevereiro deste ano, ele começou a visitar o centro por diferentes motivos.

Trabalhando como político, em vez de esportista, nos dois primeiros meses da guerra, ele ajudou a alimentar, apoiar e realocar milhares de pessoas deslocadas pela invasão russa do local.

Ele organizou o transporte para muitos que tentavam chegar ao oeste da Ucrânia, longe do pesado bombardeio russo.

“Antes dessa escalada em 24 de fevereiro, eu não achava que a Rússia invadiria a Ucrânia. Agora estamos nessa guerra há oito meses, e agir logicamente não tem sido o ponto forte da Federação Russa. Mas esperamos”, disse.

“Não é apenas Kyiv sob ataque de mísseis, mas Zaporizhia, Dnipro e Kharkiv também. A maioria das pessoas dessas cidades está falando em russo. A Rússia diz: ‘Precisamos salvar o povo russo’ e atacam territórios onde vivem pessoas que falam umas com as outras na língua russa. Isso não faz nenhum sentido.

“Ainda esperamos que o pensamento racional e a lógica prevaleçam.”

Conhecendo Zelenskyy

Em 2010, Beleniuk começou a ganhar medalhas no Campeonato Europeu de Luta Livre e no Campeonato Mundial.

À medida que o perfil do jovem atleta crescia, ele apareceu na televisão, e foi assim que conheceu Volodymyr Zelenskyy, então ator e produtor de televisão que se tornaria presidente da Ucrânia.

Zelenskyy gostou das opiniões de Beleniuk. Os dois homens se deram bem e, em 2019, Zelenskyy abordou Beleniuk sobre concorrer à eleição como membro de seu recém-formado partido liberal Servant of the People.

“Contei a ele sobre meu objetivo principal no wrestling”, disse Beleniuk. “Fiquei em segundo lugar nos Jogos Olímpicos do Rio [de Janeiro] e eu precisava tentar me superar nos próximos jogos em Tóquio. E essa conversa foi em 2019 e no ano que vem, pensamos que os Jogos Olímpicos começariam, mas os jogos foram adiados por causa do COVID e adiados para 2021.”

INTERATIVO - Quem é Zhan Beleniuk_

Beleniuk juntou-se à equipe de Zelenskyy e foi eleito vice da Verkhovna Rada em julho de 2019. Ele também conseguiu manter o wrestling.

“Eu era um político e um esportista. Foi muito difícil, foram muitos desafios. Não tinha tempo para nada, só para a política e para o ginásio com o meu treinador, que estava a preparar-me para os Jogos Olímpicos.”

O trabalho duro valeu a pena, e Beleniuk acabou ganhando a única medalha de ouro da Ucrânia em Tóquio em 2021.

Mas agora com a Rússia travando guerra em seu país natal, as apostas são muito maiores – e não há segundas chances.

Ser desportista e político não poderia ser mais diferente, mas alguns princípios que Beleniuk aprendeu como atleta provaram ser úteis na política.

Zhan Beleniuk
Beleniuk foi eleito para o parlamento da Ucrânia em julho de 2019 [Courtesy: Zhan Beleniuk/Al Jazeera]

“O esporte me ensina a manter a calma, porque quando você tem uma grande luta, você precisa se concentrar em todas as atividades da maneira certa. Então é por isso que eu não começo a entrar em pânico e, em vez disso, tento ajudar aqueles que precisam.”

O wrestling também o ensinou a permanecer forte e nunca desistir, mesmo quando as coisas ficam difíceis.

Ficou particularmente difícil quando as forças russas chegaram a Kyiv. Beleniuk mantinha três armas debaixo de sua mesa para proteção.

As armas agora estão guardadas em um cofre, mas ele ainda frequenta regularmente aulas de treinamento de tiro para o caso de os russos retornarem à capital ucraniana.

neutralidade africana

Enquanto as bombas russas choviam, Beleniuk visitou nações africanas em uma tentativa de angariar mais apoio no continente para a Ucrânia.

“Precisamos começar uma comunicação mais próxima com diferentes países da África”, disse ele.

Ele se encontrou com autoridades em Ruanda, terra natal de seu pai, em meados de outubro e legisladores na África do Sul.

Na entrevista, ele faz comparações entre a luta da Ucrânia contra a Rússia e a luta da África do Sul para romper com o governo racista do apartheid em 1994 e pede aos países que não adotaram uma resolução da ONU de outubro condenando a Rússia a mudar de ideia.

Várias nações africanas, incluindo a África do Sul, se abstiveram.

Embora muitos países africanos tenham pedido a paz, eles não chegaram a condenar diretamente a Rússia.

Alguns têm fortes relações com Moscou porque a Rússia tem presença no continente “há muito tempo”, desde os dias da União Soviética, disse Belenuik.

Embora a Ucrânia forneça 12% das importações de trigo da África, bem como commodities cruciais como fertilizantes e óleo de girassol, o país do leste europeu só se tornou independente da União Soviética em 1991, então pode parecer que não investe na África há muito tempo. tempo, disse Belenuik.

Zhan Beleniuk
Nascido em Kyiv em 1991, filho de mãe ucraniana e pai ruandês, Beleniuk se identifica como afro-ucraniano [Courtesy: Zhan Beleniuk/Al Jazeera]

Ele disse que as autoridades russas retocaram a história de uma maneira que faz parecer que apenas a Rússia moderna ajudou os países africanos durante os tempos soviéticos, apesar da Ucrânia ser parte da União Soviética naquela época.

Seu pai nunca teria conhecido sua mãe se não fosse pela política de imigração da União Soviética em relação aos ruandeses, disse ele.

“É como eles [Russia] falou sobre a Segunda Guerra Mundial – as autoridades russas disseram que só a Rússia ganhou essa guerra, mas esqueceram-se de uma coalizão que ajudou a fazer isso que tentou conquistar essa vitória apenas por si mesma”, disse o legislador.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *