Tribunal do Paquistão restaura símbolo eleitoral do ex-primeiro-ministro Imran Khan preso


0

O partido de Khan afirmou que a medida do órgão eleitoral visava impedi-lo de disputar as eleições de 8 de fevereiro.

As pessoas passam por uma imagem do astro do críquete que virou político Imran Khan, presidente do Paquistão Tehreek-e-Insaf (PTI) em um mercado
Pessoas passam por uma imagem do astro do críquete que virou político Imran Khan, em um mercado em Islamabad [Athit Perawongmetha/Reuters]

Um tribunal no Paquistão decidiu que o partido do antigo primeiro-ministro Imran Khan pode disputar eleições usando o seu logótipo de taco de críquete – um alívio para o líder da oposição preso antes das eleições nacionais.

O Supremo Tribunal da cidade de Peshawar, no noroeste, suspendeu na terça-feira a ordem da semana passada da Comissão Eleitoral do Paquistão, proibindo o partido Paquistão Tehreek-e-Insaf (PTI) de Khan de usar o seu símbolo eleitoral.

“A decisão da comissão eleitoral contra o PTI, na qual o seu símbolo eleitoral, o taco de críquete, foi injustamente revogado através de uma ordem ilegal, foi suspensa”, disse o advogado do PTI, Syed Ali Zafar.

“Foi ainda instruído que nosso símbolo seja reintegrado”, disse ele.

Num país onde a taxa de alfabetização de adultos é de apenas 58 por cento, de acordo com dados do Banco Mundial, os símbolos eleitorais são ferramentas de campanha vitais para diferenciar os candidatos nos boletins de voto.

A comissão eleitoral disse que tomou a medida devido ao fracasso do partido em realizar eleições internas de acordo com a sua constituição.

Mas o PTI disse que a medida foi mais um golpe para impedir Khan – uma ex-estrela do críquete – de disputar as eleições, marcadas para 8 de fevereiro.

Khan, que conta com o apoio de um grande número de paquistaneses, foi afastado do cargo de primeiro-ministro no ano passado, depois de se desentender com os poderosos líderes militares do Paquistão.

Ele está atualmente na prisão e enfrenta vários processos, incluindo a acusação de ter vazado documentos confidenciais do Estado – um crime que acarreta pena de prisão de até 14 anos ou até mesmo pena de morte.

Desde a prisão de Khan no início deste ano, o PTI tem enfrentado uma forte repressão por parte do governo, com muitas figuras do partido presas ou “forçadas” a deixar o partido, alegadamente sob pressão dos militares.

Na sexta-feira, o PTI disse que havia apresentado os documentos de nomeação de Khan para que ele disputasse as eleições gerais.

Mas a nomeação pode ser contestada com base no facto de a comissão eleitoral o ter desqualificado do cargo devido a uma condenação por corrupção no início deste ano.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *