Rússia confirma que Ucrânia destruiu seu navio de guerra no ataque na Crimeia


0

Uma pessoa foi morta em um ataque que teve como alvo o Novocherkassk, que a Ucrânia disse estar sendo usado para transportar drones russos.

Fumaça negra subindo de um navio no porto.  O céu atrás é azul claro e laranja.
Fumaça subindo acima de um navio de guerra danificado após o ataque ucraniano ao sul da Crimeia ocupado pela Rússia [Telegram/@VentdeCrimee via AFP]

A Rússia reconheceu que um ataque ucraniano danificou um navio de guerra no porto ocupado de Feodosia, na Crimeia, no que a Ucrânia e os seus aliados ocidentais consideraram um grande revés para a marinha russa.

A Força Aérea da Ucrânia disse anteriormente que tinha “destruído” o navio de desembarque Novocherkassk, com o presidente Volodymyr Zelenskyy brincando nas redes sociais que o navio agora se juntou à “frota subaquática russa do Mar Negro”.

O ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, informou o presidente Vladimir Putin “sobre os danos ao nosso grande navio de desembarque” num “relatório muito detalhado”, disse o porta-voz do presidente, Dmitry Peskov, aos jornalistas.

O Novocherkassk é um grande navio de desembarque que pode ser usado para transportar soldados, bem como tanques e veículos blindados, e a Ucrânia disse que atacou o navio numa base na costa sul da Crimeia ocupada pela Rússia. Kiev disse suspeitar que o navio transportava drones explosivos de fabricação iraniana que a Rússia tem usado regularmente para atacar a Ucrânia desde que iniciou sua invasão em grande escala em fevereiro de 2022.

Uma pessoa morreu e quatro ficaram feridas no ataque, disse o governador da Crimeia empossado em Moscou, Sergey Aksyonov, acrescentando que seis edifícios foram danificados e seus moradores evacuados.

Aksyonov disse que o ataque desencadeou um incêndio que foi controlado.

A Rússia anexou a Crimeia da Ucrânia em 2014, numa medida que a Ucrânia e o Ocidente condenaram como ilegal e não foi reconhecida internacionalmente.

Feodosia, que tem uma população de cerca de 69.000 pessoas.

Alcance da Ucrânia ‘aumentando’

As autoridades ucranianas celebraram o ataque, que ocorre em meio a violentos combates na linha de frente no leste do país.

O comandante ucraniano Mykola Oleshchuk compartilhou um vídeo de uma explosão na base naval de Feodosia e escreveu: “A frota na Rússia está ficando cada vez menor! Obrigado aos pilotos da Força Aérea e a todos os envolvidos pelo trabalho de filigrana!”

No Telegram, Zelenskyy escreveu: “Sou grato à nossa Força Aérea pelo impressionante reabastecimento da frota subaquática russa do Mar Negro com outro navio. Os ocupantes não terão um único lugar pacífico na Ucrânia.”

O Mar Negro, de onde a Ucrânia necessita para exportar os seus cereais, tem sido um campo de batalha fundamental na guerra contínua.

A Frota Russa do Mar Negro está baseada no porto de Sebastopol e Moscovo usou a frota para disparar mísseis contra cidades ucranianas e para bloquear a costa da Ucrânia.

A Ucrânia intensificou os ataques à Crimeia, ajudando-a a recuperar o controlo limitado do Mar Negro e, por vezes, a empurrar os navios de guerra russos mais para leste.

Yuriy Ihnat, porta-voz da Força Aérea Ucraniana, disse acreditar que seria difícil para o Novocherkassk voltar ao serviço.

“Podemos ver o quão poderosa foi a explosão, como foi a detonação. Depois disso, é muito difícil para um navio sobreviver, porque isto não era um foguete, isto é a detonação de munições”, disse ele à Rádio Europa Livre.

Reivindicações e reconvenções

A Ucrânia e a Rússia exageraram frequentemente as perdas que afirmam ter infligido um ao outro desde que a Rússia lançou a sua invasão em grande escala da Ucrânia em Fevereiro de 2022.

Nos últimos dias, Moscovo afirmou ter assumido o controlo da cidade oriental de Maryinka, o que Kiev negou.

A Ucrânia e a Rússia também reivindicaram sucesso no abate dos aviões de combate um do outro, com cada lado negando quaisquer perdas.

Em abril de 2022, a Ucrânia afundou o cruzador Moskva, o carro-chefe da era soviética da Frota Russa do Mar Negro.

Moscou disse que “uma detonação de munição” provocou um incêndio e forçou a evacuação da tripulação, e o navio afundou enquanto era rebocado para o porto.

Sergei Markov, ex-conselheiro do Kremlin, disse no Telegram que era óbvio que a Rússia não divulgaria informações detalhadas sobre o ataque em tempos de guerra, mas que precisava fazer mais para proteger os seus bens na Crimeia.

“É claro que os sistemas de defesa aérea da Crimeia devem ser reforçados. E é claro que [Ukraine] precisa ser privado da oportunidade de atingir a Rússia”, disse Markov.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *