Primeiro-ministro palestino Shtayyeh entrega renúncia a Abbas por ‘genocídio’ em Gaza


0

A decisão de Shtayyeh surge no meio da pressão dos EUA sobre a Autoridade Palestiniana para trabalhar numa estrutura política que possa governar um Estado palestiniano após a guerra em Gaza.

Primeiro-ministro palestino
Shtayyeh falando na 60ª Conferência de Segurança de Munique em Munique, Alemanha, no início deste mês [Anna Szilagyi/EPA]

O primeiro-ministro palestiniano, Mohammad Shtayyeh, anunciou a demissão do seu governo, que governa partes da Cisjordânia ocupada, devido à escalada da violência no território ocupado e à guerra em Gaza.

“A decisão de renunciar veio à luz da escalada sem precedentes na Cisjordânia e em Jerusalém e da guerra, do genocídio e da fome na Faixa de Gaza”, disse Shtayyeh, que apresentou a sua demissão ao presidente da Autoridade Palestiniana (AP), Mahmoud Abbas, na segunda-feira.

“Vejo que a próxima fase e os seus desafios exigem novos acordos governamentais e políticos que tenham em conta a nova realidade em Gaza e a necessidade de um consenso palestiniano-palestiniano baseado na unidade palestiniana e na extensão da unidade de autoridade sobre a terra da Palestina. ,” ele disse.

Os comentários de Shtayyeh surgem num momento em que aumenta a pressão dos EUA sobre Abbas para que reorganize a AP e comece a trabalhar numa estrutura política que possa governar um Estado palestiniano após a guerra.

No entanto, o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, rejeitou em numerosas ocasiões os apelos para que a AP sob Abbas assumisse o controlo de um Estado palestiniano e governasse Gaza.

Na semana passada, os legisladores israelitas apoiaram a rejeição de Netanyahu de qualquer reconhecimento “unilateral” de um Estado palestiniano.

“O Knesset reuniu-se numa esmagadora maioria contra a tentativa de nos impor o estabelecimento de um Estado palestiniano, o que não só não conseguiria trazer a paz, mas colocaria em perigo o Estado de Israel”, disse Netanyahu.

Mas o Ministério dos Negócios Estrangeiros palestiniano criticou a votação e acusou Israel de manter os direitos dos palestinianos como reféns devido à ocupação dos territórios palestinianos.

“O ministério reafirma que a plena adesão do Estado da Palestina às Nações Unidas e o seu reconhecimento por outras nações não requer permissão de Netanyahu”, afirmou num comunicado.

Desde a assinatura dos Acordos de Oslo, no início da década de 1990, poucos progressos foram feitos no sentido de alcançar uma solução de dois Estados.

INTERATIVO Assentamentos israelenses na Cisjordânia ocupada na Palestina

Enquanto o Tribunal Internacional de Justiça ouve cerca de 50 países sobre as implicações legais da ocupação da Cisjordânia por Israel, o ministro das Finanças israelense de extrema direita, Bezalel Smotrich, anunciou na quinta-feira planos para construir mais de 3.300 novas casas em resposta a um tiroteio que matou um civil israelense.

Smotrich disse que a decisão iniciaria um processo de aprovação para 300 novas casas no assentamento Kedar e 2.350 em Maale Adumim, onde ocorreu o ataque.

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, disse estar “desapontado” ao ouvir o anúncio israelita dos novos colonatos.

“Tem sido uma política de longa data dos EUA, tanto sob administrações republicanas como democratas, que novos colonatos são contraproducentes para alcançar uma paz duradoura”, disse ele em Buenos Aires.

“Eles também são inconsistentes com o direito internacional. A nossa administração mantém uma firme oposição à expansão dos colonatos e, na nossa opinião, isso apenas enfraquece, e não fortalece, a segurança de Israel.”

A violência na Cisjordânia ocupada aumentou significativamente após o ataque do Hamas, em 7 de Outubro, ao sul de Israel, que matou 1.139 pessoas. Os bombardeamentos retaliatórios de Israel em Gaza mataram mais de 29 mil civis palestinos, segundo o Ministério da Saúde da faixa.

Autoridades de saúde palestinas também afirmam que pelo menos 401 pessoas foram mortas por fogo israelense na Cisjordânia ocupada durante o mesmo período.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *