Netanyahu diz que zona fronteiriça entre Gaza e Egito deveria estar sob controle israelense


0

O primeiro-ministro israelita também prevê que a guerra em Gaza e noutras frentes regionais durará muitos meses.

Uma foto tirada de Rafah mostra fumaça subindo sobre Khan Yunis, no sul da Faixa de Gaza, durante o bombardeio israelense em 30 de dezembro de 2023
Fumaça subindo sobre Khan Younis, no sul da Faixa de Gaza, durante o bombardeio israelense, vista de Rafah [AFP]

A zona fronteiriça entre a Faixa de Gaza e o Egipto deveria estar sob o controlo de Israel, disse o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, ao prever que a guerra no enclave palestiniano e noutras frentes regionais duraria muitos meses.

Quando Israel entrou na 13ª semana de guerra em Gaza, no sábado, Netanyahu deu uma conferência de imprensa onde renovou a sua promessa de eliminar o Hamas e trazer para casa todos os israelitas mantidos cativos em Gaza.

“O Corredor Filadélfia – ou, para ser mais correto, o ponto de parada ao sul [of Gaza] – deve estar em nossas mãos. Deve estar fechado. É claro que qualquer outro acordo não garantiria a desmilitarização que procuramos”, disse ele.

Israel afirmou que pretende destruir o Hamas em Gaza e desmilitarizar o território para evitar qualquer repetição da onda de assassinatos e sequestros transfronteiriços de 7 de Outubro pelo grupo armado.

“A guerra está no auge. Estamos lutando em todas as frentes. Alcançar a vitória exigirá tempo. Enquanto o [Israeli army] disse o chefe de gabinete, a guerra continuará por muitos mais meses”, disse Netanyahu.

Ele também acrescentou uma rara ameaça de atacar o Irã diretamente durante as trocas quase diárias de tiros na fronteira entre Israel e Líbano.

“Se [the Iran-backed Lebanese armed group] O Hezbollah expande a guerra, sofrerá golpes com os quais não sonhou – e o mesmo acontecerá com o Irão”, disse Netanyahu sem dar mais detalhes.

A guerra desencadeou receios de uma conflagração regional no meio de tensões crescentes com outros grupos alinhados com o Irão no Líbano, na Síria, no Iraque e no Iémen.

Os bombardeamentos implacáveis ​​e a ofensiva terrestre de Israel em Gaza desde 7 de Outubro mataram pelo menos 21.672 pessoas, a maioria delas mulheres e crianças, com milhares de outras soterradas sob os escombros.

A operação militar também deslocou quase todos os 2,3 milhões de habitantes do território sitiado.

Cerca de 1.140 pessoas foram mortas pelo Hamas em Israel nos ataques de 7 de outubro.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *