Netanyahu de Israel sugere novo acordo em andamento para libertar reféns em Gaza


0

Os comentários do líder israelense foram feitos depois que o Catar confirmou que estavam em andamento negociações para uma possível nova trégua.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, participa da reunião semanal de gabinete no gabinete do primeiro-ministro em Jerusalém
Netanyahu participa da reunião semanal de gabinete no gabinete do primeiro-ministro em Jerusalém [File: Ronen Zvulun/Reuters]

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, fez comentários, sugerindo que estavam em curso novas negociações para recuperar reféns detidos pelo Hamas.

Numa conferência de imprensa televisiva no sábado, Netanyahu qualificou o conflito como uma “guerra existencial” que deve ser travada até à vitória, apesar da pressão e dos custos, e disse que Gaza seria desmilitarizada e sob controlo de segurança israelita.

Suas declarações foram feitas um dia depois que as forças israelenses mataram por engano três dos mais de 100 prisioneiros.

Netanyahu disse que a ofensiva de Israel em Gaza ajudou a fechar um acordo parcial de libertação de reféns em novembro e prometeu manter intensa pressão militar sobre o Hamas.

“A instrução que estou dando à equipe de negociação baseia-se nesta pressão, sem a qual não temos nada”, disse ele.

Os comentários de Netanyahu foram feitos depois que o chefe do Mossad, a agência de inteligência israelense, se encontrou com o primeiro-ministro do Catar, um país mediador entre Israel e o Hamas, e cujos esforços resultaram em uma trégua de sete dias e troca de reféns no mês passado.

No início do sábado, o Catar confirmou que estavam em andamento negociações para uma possível nova trégua.

Netanyahu evitou uma pergunta sobre a reunião supostamente realizada na Europa, mas confirmou que deu instruções à equipe de negociação.

“Temos sérias críticas ao Qatar… mas neste momento estamos a tentar completar a recuperação dos nossos reféns”, disse ele.

Uma declaração do Hamas disse mais tarde que o grupo “afirma a sua posição de não abrir quaisquer negociações para troca de prisioneiros, a menos que a agressão contra o nosso povo cesse de uma vez por todas”.

“O movimento comunicou esta posição a todos os mediadores”, acrescentou.

Na sexta-feira, as forças israelenses admitiram ter matado por engano três reféns mantidos pelo Hamas, todos na faixa dos 20 anos, na área de Shijaiyah, na cidade de Gaza, onde as tropas estão envolvidas em combates ferozes com o Hamas.

Israel continua a atacar Gaza, matando quase 19 mil palestinos desde 7 de outubro. Teme-se que outros milhares estejam enterrados sob os escombros.

Israel afirma que pelo menos 1.147 pessoas foram mortas no ataque do Hamas em seu território há dois meses.

A guerra de 10 semanas arrasou grande parte do norte de Gaza e deslocou 85% da população do território, de 2,3 milhões de pessoas, das suas casas.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *