Guerra Rússia-Ucrânia: lista dos principais eventos, dia 667


0

À medida que a guerra entra no seu 667º dia, estes são os principais desenvolvimentos.

Um bombeiro trabalhando no local de um armazém danificado por um ataque de drone russo.  Ele está lutando sobre os escombros.
A Rússia conduziu ondas de ataques com drones e mísseis em Kiev e outras partes da Ucrânia [Press service of the State Emergency Service of Ukraine in Kyiv Oblast via Reuters]

Esta é a situação na sexta-feira, 22 de dezembro de 2023.

Brigando

  • O ministro do Interior ucraniano, Ihor Klymenko, disse que pelo menos três pessoas morreram e cinco ficaram feridas depois que a Rússia bombardeou duas minas de carvão em Toretsk, na região oriental de Donetsk. Cerca de 32 mineiros que estavam no subsolo no momento do ataque foram trazidos em segurança para a superfície, acrescentou. O ataque também danificou edifícios e equipamentos administrativos.
  • O governador regional, Serhiy Lysak, disse que duas mulheres foram mortas e um homem de 86 anos ficou ferido no bombardeio russo na cidade de Nikopol, no sul da Ucrânia, que fica às margens do rio Dnipro. O fogo da artilharia russa também matou outra mulher na aldeia de Tyagynka, na região de Kherson, disseram autoridades.
  • A Força Aérea da Ucrânia disse que as defesas aéreas derrubaram 34 dos 35 drones Shahed de fabricação iraniana lançados em um grande ataque russo a 12 regiões ucranianas. Os drones foram lançados em diversas ondas durante a noite. Não houve relatos imediatos de grandes danos ou vítimas.
  • Na sua actualização regular da frente, o Estado-Maior das forças armadas ucranianas disse que as forças ucranianas repeliram pelo menos 30 ataques russos perto de Avdiivka e mais 11 perto de Maryinka – dois dos pontos mais quentes na linha da frente no leste da Ucrânia – com mais um sete fora de Bakhmut.
  • O porta-voz da Força Aérea Ucraniana, Yuriy Ihnat, disse que a Rússia lançou cerca de 7.400 mísseis e 3.700 drones de ataque Shahed contra o país desde que iniciou sua invasão em grande escala da Ucrânia em fevereiro de 2022. Ihnat disse que as defesas aéreas foram capazes de abater 1.600 dos mísseis e 2.900. dos drones. Menos mísseis foram destruídos devido ao uso de mísseis balísticos supersônicos pela Rússia e porque os sistemas de defesa aérea Patriot dos aliados ocidentais só chegaram em abril deste ano, acrescentou.

Política e diplomacia

  • O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, que é um aliado próximo do presidente russo, Vladimir Putin, disse que aceitou o convite do presidente ucraniano, Volodymyr Zelenksyy, para realizar uma reunião bilateral no futuro. Orban disse que Zelenskyy solicitou discussões sobre as ambições da Ucrânia de aderir à União Europeia. Orban não deu uma data para a reunião, que seria a primeira desde a invasão da Ucrânia pela Rússia, em fevereiro de 2022.
  • A UE pagou a parcela final de um pacote de apoio multibilionário à Ucrânia para ajudar a manter à tona a sua economia devastada pela guerra. A UE enviou 1,5 mil milhões de euros (1,6 mil milhões de dólares) todos os meses este ano para garantir a estabilidade macroeconómica e reconstruir infra-estruturas críticas destruídas na guerra. O dinheiro também ajudou a pagar salários e pensões, a manter hospitais e escolas a funcionar e a fornecer abrigo a pessoas forçadas a abandonar as suas casas. O apoio financeiro futuro não é claro porque a Hungria está a bloquear um novo plano de ajuda de 54 mil milhões de dólares.
  • O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergey Lavrov, reagiu com raiva a uma proposta alemã para confiscar activos congelados no valor de mais de 720 milhões de euros (790 milhões de dólares) da conta bancária de Frankfurt de uma instituição financeira russa. Questionado sobre o plano numa conferência de imprensa na Tunísia, Lavrov criticou os líderes alemães como um “grupo de ladrões”.
  • Um tribunal russo prendeu dois homens, um deles ucraniano, por financiarem um alegado grupo ultranacionalista na Ucrânia através da venda de drogas ilegais. Os dois homens foram condenados a penas de prisão de 16 e 17 anos depois de serem considerados culpados de “financiar atividades extremistas”.

Armas

  • O chefe do Estado-Maior russo, Valery Gerasimov, disse que Moscou estabeleceu uma cooperação de defesa “abrangente” com a Coreia do Norte, mas não entrou em detalhes. Os Estados Unidos e a Coreia do Sul afirmaram que Pyongyang poderia enviar armas à Rússia para utilização na guerra na Ucrânia, em troca do conhecimento tecnológico russo. A Rússia negou a acusação.

Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *