Google concorda em excluir dados de navegação no modo de navegação anônima


0

O Google concordou em excluir registros de dados de navegação privada de suas “centenas de bilhões” de usuários do navegador Chrome como parte de um acordo de ação coletiva que alegou que rastreava pessoas sem o seu conhecimento.

Google concorda em excluir modo de navegação anônima e dados de navegação

Google concorda em excluir dados de navegação no modo de navegação anônima

Os termos do acordo foram arquivado na segunda-feira no tribunal federal de Oakland, Califórnia, e exigir a aprovação da juíza distrital dos EUA, Yvonne Gonzalez Rogers, no Distrito Norte da Califórnia.

Além disso, o processo pede US$ 5 bilhões em indenização do Google, mas a gigante da tecnologia não está pagando nenhum dano aos seus consumidores como parte do acordo. No entanto, os indivíduos podem processar a empresa individualmente por danos, apresentando queixas contra o Google nos tribunais estaduais dos EUA. O advogado dos demandantes já apresentou 50 queixas no tribunal estadual da Califórnia, e mais serão apresentadas nos próximos meses.

“Este acordo é um passo histórico ao exigir que as empresas de tecnologia dominantes sejam honestas em suas representações aos usuários sobre como as empresas coletam e empregam os dados dos usuários, e que excluam e corrijam os dados coletados”, disseram os advogados dos demandantes no processo.

A ação coletiva foi movida em junho de 2020, depois que vários usuários do Google acusaram o gigante das buscas de coletar secretamente dados de pessoas, apesar de configurar seu popular navegador Chrome para o modo “incógnito” e outros navegadores para o “modo privado”. A empresa também não informou adequadamente aos usuários os dados coletados para medir o tráfego da web e vender anúncios.

“Mesmo quando os usuários navegam na internet em ‘modo de navegação privada’, o Google continua a rastreá-los. O rastreamento do Google ocorreu e continua a ocorrer, não importa quão sensíveis ou pessoais sejam as atividades online dos usuários”, disseram os demandantes no processo.

De acordo com o acordo, o Google atualizará as divulgações sobre o que coleta dos usuários no modo de navegação privada. A empresa afirma que já está trabalhando na implementação dessas mudanças. Além disso, permitirá que usuários anônimos bloqueiem “cookies” de rastreamento de terceiros por padrão por cinco anos.

“O resultado é que o Google coletará menos dados das sessões de navegação privada dos usuários e ganhará menos dinheiro com os dados”, disseram os advogados dos demandantes.

O porta-voz do Google, Jose Castaneda, disse que a empresa ficou satisfeita em resolver a ação coletiva e a chamou de “sem mérito”.

“Temos o prazer de resolver esse processo, que sempre acreditamos ser improcedente. Nunca associamos dados aos usuários quando eles usam o modo de navegação anônima. Temos o prazer de excluir dados técnicos antigos que nunca foram associados a um indivíduo e nunca foram usados ​​para qualquer forma de personalização”, disse Castaneda em comunicado.

Embora o acordo preliminar tenha sido alcançado no final de dezembro, evitando um julgamento agendado para 5 de fevereiro de 2024, a aprovação final está prevista para a juíza norte-americana Yvonne Gonzalez Rogers, no Distrito Norte da Califórnia, em 30 de julho.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *