Rússia concede anistia fiscal para encorajar tropas que lutam na Ucrânia


0

As forças russas também podem receber ‘recompensas e presentes’ por seus serviços na Ucrânia, de acordo com o novo decreto.

O ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu [right] e General Sergei Surovikin [right]comandante das forças russas na Ucrânia, visita o quartel-general das tropas russas envolvidas na guerra da Ucrânia, dezembro de 2022 [File: Gavriil Grigorov/Sputnik/Kremlin via Reuters]

As autoridades russas anunciaram que soldados e funcionários estatais destacados para lutar na Ucrânia serão isentos de imposto de renda, o mais recente esforço de Moscou para incentivar o apoio a uma campanha militar contra Kyiv que sofreu vários reveses e derrotas.

A nova medida tributária diz respeito a todas as tropas russas que lutam nos quatro territórios ucranianos que Moscou declarou como seus – Donetsk, Luhansk, Kherson e Zaporizhia – embora não controle completamente as quatro regiões.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, citou na sexta-feira uma isenção contida em uma lei anticorrupção, cujos detalhes as autoridades russas publicaram na noite de quinta-feira.

Soldados, polícias, membros dos serviços de segurança e demais funcionários do Estado ao serviço das quatro regiões deixam de ser obrigados a fornecer informações sobre “os seus rendimentos, as suas despesas, os seus bens”, de acordo com o decreto.

As forças russas na Ucrânia também têm o direito, segundo o decreto, de receber “recompensas e presentes” se forem de “caráter humanitário” e recebidos como parte do que a Rússia chama de “operação militar especial” na Ucrânia. A redução de impostos também se aplica aos parceiros e filhos daqueles que servem e é retroativa a 24 de fevereiro de 2022 – a data em que a Rússia lançou sua invasão à Ucrânia.

O Moscow Times informou que o presidente russo, Vladimir Putin, assinou um decreto na quinta-feira removendo os requisitos para funcionários do governo divulgarem suas declarações de imposto de renda durante a guerra da Rússia na Ucrânia.

“Antes do decreto, a lei russa exigia que os servidores públicos divulgassem publicamente as declarações de imposto de renda para si e seus familiares imediatos, em um esforço para reduzir a corrupção endêmica. Oficiais militares também foram obrigados a divulgar suas declarações fiscais ao serem nomeados ou demitidos”, informou o Moscow Times.

“O decreto também isenta os soldados que lutam na Ucrânia, bem como os membros dos serviços de segurança de liberarem suas declarações de impostos, bem como os funcionários que viajaram para as regiões da Ucrânia anexadas à Rússia para trabalhar”, informou o Times.

O Kremlin lançou uma série de incentivos para os russos que lutam na Ucrânia, oferecendo bônus em dinheiro e prometendo ajuda financeira às famílias em caso de morte ou ferimento de entes queridos.

No início desta semana, foi anunciado que os soldados russos que lutam na Ucrânia podem ter seu esperma congelado gratuitamente em criobancos.

A notícia de que o estado russo financiará o congelamento de esperma para suas forças armadas segue relatos em outubro de que a demanda por congelamento de esperma aumentou depois que Putin anunciou uma mobilização parcial para canalizar mais tropas para apoiar a guerra de Moscou.

A campanha de mobilização de Moscou levou centenas de milhares de russos a fugir do país para evitar o recrutamento.

Milhares de ucranianos também fugiram para evitar entrar na guerra, informou a agência de notícias alemã DPA na sexta-feira. A DPA disse que “quase 12.000 homens foram pegos tentando cruzar a fronteira ilegalmente, indo na direção dos países ocidentais”.

Citando as tropas de fronteira ucranianas, a agência de notícias disse que 15 homens morreram enquanto tentavam fugir do país para evitar o serviço militar, incluindo “dois supostamente morrendo congelados nas montanhas dos Cárpatos a caminho da Romênia”.

O ministro da Defesa da Ucrânia, Oleksii Reznikov, disse que, dada a extensão das perdas de equipamentos e tropas da Rússia na Ucrânia, o exército de Moscou levaria pelo menos cinco anos para recuperar sua antiga força.

“De acordo com a inteligência da OTAN, os russos têm enormes perdas de tanques, artilharia, veículos blindados e soldados”, disse Reznikov ao jornal Ukrainska Pravda. “As forças armadas regulares da Federação Russa podem ser restauradas em cinco anos no mínimo, talvez não em 10 anos”, disse ele.

Reznikov não deu detalhes sobre as forças armadas da Ucrânia, mas os lados sofreram pesadas perdas desde o início da guerra em fevereiro.

O general dos Estados Unidos Mark Milley estimou em novembro que cerca de 100.000 soldados russos foram mortos ou feridos desde a invasão em fevereiro. Ele disse que as forças armadas de Kyiv “provavelmente” sofreram um nível semelhante de baixas.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *