Putin diz que governo não fornece ao exército russo ‘tudo o que ele pede’


0

Líder russo diz que não há limite para assistência financeira ao exército, que sofreu várias derrotas na Ucrânia.

O presidente Vladimir Putin disse que o exército russo deve aprender e consertar os problemas que sofreu na Ucrânia e prometeu dar aos militares tudo o que for necessário para continuar a guerra de 10 meses.

Em um discurso durante uma reunião televisionada com altos oficiais militares em Moscou na quarta-feira, Putin disse que não há limites financeiros para o que o governo fornecerá em termos de equipamentos e hardware.

“Não temos restrições de financiamento. O país e o governo estão providenciando tudo o que o exército pede”, afirmou.

Putin reconheceu, não pela primeira vez, que a convocação de 300.000 reservistas que ele ordenou em setembro não foi tranquila.

“A mobilização parcial que foi realizada revelou alguns problemas, como todos bem sabem, que devem ser prontamente resolvidos”, afirmou.

A convocação atraiu fortes críticas até mesmo de aliados do Kremlin, pois ficou claro que os comissários militares estavam recrutando muitos homens fisicamente inaptos ou muito velhos, e os novos recrutas careciam de equipamentos básicos, como sacos de dormir e roupas de inverno.

Putin também se referiu a outros problemas não especificados nas forças armadas e disse que críticas construtivas devem ser consideradas.

“Peço ao Ministério da Defesa que esteja atento a todas as iniciativas civis, inclusive levando em conta as críticas e respondendo corretamente, em tempo hábil”, afirmou.

“É claro que a reação de quem vê problemas – e sempre há problemas em trabalhos tão grandes e complexos – pode ser emotiva, mas precisamos ouvir quem não esconde os problemas existentes, mas se empenha em contribuir para sua solução. .”

Na reunião, o ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, propôs aumentar o número de combatentes do exército russo na Ucrânia para 1,5 milhão de soldados, bem como aumentar o limite de idade para o serviço militar.

“É necessário aumentar o número de tropas armadas para 1,5 milhão de militares, incluindo 695.000 soldados contratados”, disse Shoigu a Putin, que “concordou” com as propostas.

Shoigu também propôs aumentar a idade para o serviço militar obrigatório na Rússia para uma nova faixa de 21 a 30, em comparação com 18 a 27 no momento, e disse que a Rússia está acelerando o emprego de armas modernas.

Ele se referiu a um relatório que dizia que as forças russas estavam destruindo ativamente o potencial militar da Ucrânia e acusou o Ocidente de tentar “prolongar” o conflito.

Putin também afirmou que a Rússia não teve escolha a não ser enfrentar as arrogantes potências ocidentais e chamou o conflito contínuo de uma “tragédia compartilhada”.

“O que está acontecendo é, claro, uma tragédia – nossa tragédia compartilhada. Mas não é o resultado da nossa política. É o resultado da política de terceiros países”, afirmou.

Na terça-feira, Putin disse aos agentes de segurança que a situação nas quatro regiões que a Rússia anexou em outubro era “altamente complicada”. No início deste mês, ele antecipou que a Rússia poderia lutar na Ucrânia por um longo tempo.

Desde que lançou sua invasão em 24 de fevereiro, Moscou ocupou uma enorme faixa do leste e sul da Ucrânia ao longo de uma frente que se estende por cerca de 1.100 km (685 milhas). Nos últimos meses, no entanto, sofreu uma série de derrotas que mudaram o ímpeto da guerra a favor de Kyiv.

As contra-ofensivas da Ucrânia, apoiadas e aceleradas pelos EUA e aliados, expulsaram as forças russas de partes dos territórios ucranianos, incluindo a cidade de Kherson, a primeira e única capital regional capturada por Moscou em quase 10 meses de conflito.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, foi a Washington para se encontrar com o líder dos EUA, Joe Biden, e se dirigir ao Congresso na quarta-feira “para fortalecer a resiliência e as capacidades de defesa de [Ukraine]”, escreveu Zelenskyy em um tweet.

A Rússia lançou drones “kamikaze” de fabricação iraniana contra vilas e cidades ucranianas, bem como infraestrutura crítica de energia. Segundo as autoridades ucranianas, mais de 10 milhões de pessoas estão sem eletricidade devido às temperaturas abaixo de zero.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *