Ucrânia diz ter atingido dois navios russos na Crimeia ocupada


0

Uma autoridade regional instalada em Moscou diz que 10 mísseis foram abatidos durante um grande ataque aéreo ucraniano.

Esta imagem de satélite divulgada em 23 de setembro de 2023 pelo Planet Labs PBC mostra uma vista aérea da cidade de Sebastopol depois que um ataque de mísseis atingiu o quartel-general da frota de Moscou no Mar Negro, na Crimeia anexada, em 22 de setembro de 2023.
Uma imagem de satélite mostra uma vista aérea da cidade de Sebastopol depois que um ataque com mísseis atingiu o quartel-general da Frota do Mar Negro de Moscou, na Crimeia anexada pela Rússia, em setembro de 2023. [File: Handout Planet Labs PBC/via AFP]

Os militares ucranianos afirmaram ter atingido dois grandes navios de desembarque russos em ataques noturnos na península ocupada da Crimeia, bem como outras infraestruturas utilizadas pela marinha russa no Mar Negro.

“As forças de defesa da Ucrânia atingiram com sucesso os grandes navios de desembarque Azov e Yamal, um centro de comunicações e também várias instalações de infraestrutura da Frota Russa do Mar Negro na Crimeia temporariamente ocupada”, disseram os militares ucranianos no domingo.

A declaração militar não disse como atingiu os alvos, mas um oficial instalado em Moscou na região relatou um grande ataque aéreo ucraniano e disse que as defesas aéreas derrubaram mais de 10 mísseis sobre o porto de Sebastopol, na Crimeia.

“Foi o ataque mais massivo dos últimos tempos”, disse o governador de Sebastopol nomeado pela Rússia, Mikhail Razvozhayev, em uma postagem no Telegram.

Disse que um homem de 65 anos morreu e quatro pessoas ficaram feridas e que as infra-estruturas de transporte, incluindo barcos de passageiros e autocarros, foram parcialmente danificadas, com janelas partidas em cinco barcos.

Três ônibus de passageiros, 13 ônibus escolares e um trólebus estavam entre os veículos danificados, acrescentou.

Imagens compartilhadas nas redes sociais mostraram uma grande explosão na cidade, lançando uma bola de fogo e uma nuvem de fumaça preta no ar, bem como o que pareciam ser defesas aéreas russas interceptando projéteis que se aproximavam.

A Ucrânia afirmou ter destruído cerca de um terço da frota russa do Mar Negro desde que a Rússia invadiu a Ucrânia em fevereiro de 2022, geralmente em ataques noturnos usando drones marítimos carregados de explosivos.

Imagens de satélite mostram que a Rússia deslocou grande parte da frota para leste, para o porto de Novorossiysk, no meio da onda de ataques.

Patrick Bury, analista de defesa e segurança da Universidade de Bath, disse que o ataque não teria um impacto estratégico na guerra.

“Até algumas semanas atrás, isso teria sido muito importante porque os russos estavam usando essas embarcações de desembarque para reabastecer as tropas no sul. Mas parece que agora construíram uma linha ferroviária, por isso não terá um impacto estratégico”, disse Bury à Al Jazeera.

“Mas ao empurrar a Frota do Mar Negro para mais a leste e para fora do Mar Negro, essencialmente, está a permitir que a Ucrânia obtenha mais exportações de cereais, o que é importante para a economia de guerra”, acrescentou.

Aumento da frequência de ataques russos

A Rússia intensificou significativamente os seus ataques aéreos contra a Ucrânia nos últimos dias, no que diz ser uma retaliação a uma onda de ataques ucranianos nas suas regiões fronteiriças.

Nas primeiras horas de sexta-feira, Moscovo lançou as suas maiores barragens aéreas contra o sector energético da Ucrânia desde o início da guerra.

Moscou também voltou a atacar a capital ucraniana, Kiev. No domingo, Kiev e a região ocidental de Lviv sofreram um “massivo” ataque aéreo russo, segundo autoridades ucranianas. Eles disseram que, embora não tenha havido vítimas, a Rússia disparou 29 mísseis de cruzeiro e 28 drones contra o seu território durante a noite.

As forças russas também procuram aproveitar a sua vantagem em termos de mão-de-obra e munições, numa altura em que Kiev enfrenta atrasos no fornecimento de ajuda ocidental adicional.

No sábado, Moscou afirmou ter tomado uma vila na periferia oeste de Bakhmut, no leste da Ucrânia.

A captura de Adviivka, no mês passado, perto do reduto russo de Donetsk, foi o primeiro grande ganho territorial obtido pela Rússia desde que a cidade devastada de Bakhmut foi tomada há 10 meses.

O presidente russo, Vladimir Putin, saudou esse sucesso como um sinal de que as forças russas estavam de volta à ofensiva.

“[Ukraine’s President Volodymyr] O próprio Zelenskyy disse que a Rússia venceu o inverno e penso que o ímpeto mudou, pelo menos, para as forças russas no terreno. Adviivka é a prova disso”, disse Bury.

“A grande questão agora é se há algo acontecendo provavelmente no mês de maio, quando a lama começar a secar naquela área da Ucrânia. Portanto, teremos de esperar para ver”, disse ele, acrescentando que os russos farão o seu melhor para camuflar qualquer tipo de aumento de tropas se uma ofensiva de primavera estiver prevista.

Míssil russo viola espaço aéreo polonês

Entretanto, o exército polaco disse que um dos mísseis russos disparados contra o oeste da Ucrânia entrou no seu espaço aéreo.

“O espaço aéreo polonês foi violado por um dos mísseis de cruzeiro disparados durante a noite pelas forças aéreas… da Federação Russa”, postou o exército no X.

“O objeto voou pelo espaço aéreo polonês acima da vila de Oserdow [in Lublin province] e permaneceu por 39 segundos”, disse.

A Polónia, que tem sido uma forte aliada da sua vizinha Ucrânia nos dois anos desde a invasão, disse no domingo que exigiria uma explicação de Moscovo.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *