Turquia se oferece para sediar negociações de paz entre Rússia e Ucrânia, enquanto Erdogan hospeda Zelenskyy


0

Erdogan se apresenta como intermediário, Zelenskyy indica que a Rússia não seria convidada para a primeira reunião.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, à esquerda, aperta a mão do seu homólogo turco, Tayyip Erdogan, durante uma conferência de imprensa em Istambul, Turquia
O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, à esquerda, aperta a mão do seu homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan, em Istambul [Umit Bektas/Reuters]

A Turquia está pronta para acolher uma cimeira entre a Ucrânia e a Rússia para acabar com a guerra, disse o presidente Recep Tayyip Erdogan após conversações com o seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, em Istambul.

Falando após a reunião de sexta-feira, Erdogan, que manteve relações equilibradas com Moscovo e Kiev ao longo da guerra de dois anos, falou das “oportunidades que a Turquia pode oferecer com a sua posição”.

“Enquanto continuamos a nossa solidariedade com a Ucrânia, continuaremos o nosso trabalho para acabar com a guerra com uma paz justa com base em negociações”, disse ele.

Zelenskyy disse que as conversações foram “sinceras e frutíferas”, embora se tenha abstido de aludir à cimeira de paz discutida num comunicado divulgado no X após a reunião.

No entanto, o líder ucraniano, que tem a missão de obter mais munições e armamento dos aliados para travar o avanço do seu inimigo na frente oriental, foi citado pela agência de notícias Reuters como tendo dito que a Rússia não seria convidada para a primeira reunião do cimeira, que terá lugar na Suíça.

Zelenskyy também agradeceu a Erdogan pelos seus esforços na negociação da libertação de prisioneiros ucranianos “detidos em prisões e campos russos sob condições extremamente duras e desumanas”.

Erdogan, que reiterou o apoio da Turquia à “integridade territorial, soberania e independência” da Ucrânia, disse que ele e Zelenskyy discutiram a segurança portuária, a segurança no Mar Negro, as trocas de prisioneiros e a segurança alimentar.

Mediação estratégica

A localização estratégica da Turquia no Mar Negro e o seu controlo do Estreito de Bósforo conferem-lhe um papel militar, político e económico único no conflito.

Pouco depois da invasão em grande escala da Ucrânia pela Rússia, em Fevereiro de 2022, a Turquia acolheu negociações fracassadas de cessar-fogo entre Kiev e Moscovo.

“Ambos os lados atingiram agora o limite do que podem alcançar através da guerra”, disse este mês o ministro dos Negócios Estrangeiros turco, Hakan Fidan.

“Achamos que é hora de iniciar um diálogo rumo a um cessar-fogo.”

Em Julho de 2022, Ancara intermediou com as Nações Unidas o acordo de cereais do Mar Negro, o acordo diplomático mais significativo até agora alcançado entre Kiev e Moscovo. Mas Moscovo abandonou a iniciativa um ano depois, queixando-se de que os termos eram injustos.

Desde então, Kiev tem usado uma rota marítima alternativa ao longo da costa para evitar águas internacionais contestadas.

A reunião Erdogan-Zelenskyy ocorre uma semana depois de o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov, se ter encontrado com o seu homólogo turco, Fidan, num fórum diplomático em Antalya.

O presidente russo, Vladimir Putin, deveria visitar a Turquia no mês passado, mas adiou a viagem, segundo a mídia turca e russa citando fontes diplomáticas. O Kremlin disse que está remarcando a visita.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *