Qual é a greve global que exige cessar-fogo em Gaza?


0

Ativistas e organizações de base em todo o mundo estão em greve na segunda-feira para protestar contra o bombardeio de Gaza por Israel.

Manifestantes pró-palestinos exibem cartazes durante um protesto nos Estados Unidos.
Manifestantes exibem cartazes pedindo cessar-fogo durante protesto em Massachusetts [Steven Senne/AP]

Organizações palestinianas e activistas populares apelaram a uma greve mundial na segunda-feira, exigindo um cessar-fogo imediato em Gaza, que foi devastada por mais de dois meses de bombardeamentos israelitas.

Quase 18 mil palestinos foram mortos em bombardeios israelenses desde 7 de outubro. Israel afirma ter como alvo os combatentes do Hamas que realizaram um ataque em Israel que matou mais de 1.000 pessoas.

Mas grupos de direitos humanos dizem que Israel usou força desproporcional no enclave sitiado de 2,3 milhões de pessoas, matando esmagadoramente civis.

O que é a greve global?

Os palestinianos e os seus apoiantes em todo o mundo planeiam participar numa greve global que envolve “todos os aspectos da vida pública” para expressar solidariedade com os palestinianos em Gaza e apelar ao fim do bombardeamento israelita.

As pessoas foram instadas a faltar à escola e ao trabalho. Além disso, as pessoas em greve estão ficando em casa e evitando ir a restaurantes, bancos e lojas. Eles também não estão fazendo nenhuma transação ou compra online.

Numa publicação no Instagram, o cineasta palestiniano Bisan Owda apelou a uma greve da “vida económica e do movimento quotidiano”. Tal como a Owda, muitos activistas e organizações da Palestina e de outros lugares fizeram publicações semelhantes em diferentes plataformas de redes sociais, algumas usando a hashtag #StrikeForGaza.

Quem está por trás da greve e por quê?

O apelo ao ataque foi anunciado pelas forças nacionais e islâmicas palestinianas, uma coligação das principais facções palestinianas.

“Este movimento opõe-se ao genocídio aberto em Gaza, à limpeza étnica e ao assentamento colonial na Cisjordânia”, afirmou um comunicado divulgado pela coligação. “A greve também se opõe às tentativas de minar a justa causa nacional do povo palestino”, acrescentou.

Muwafaq Sahwil, secretário do partido político Fatah em Ramallah e el-Bireh, disse que o ataque é uma rejeição ao veto dos Estados Unidos à recente resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas que pede um cessar-fogo em Gaza.

“Esta é uma mensagem para a administração dos EUA que se posiciona contra as aspirações do nosso povo”, disse ele à Al Jazeera.

Quem está participando da greve global?

Os apelos à greve reuniram apoio global.

O Líbano anunciou o encerramento de escritórios e instituições governamentais em todo o país. Numa declaração oficial no domingo, o secretário-geral do Conselho de Ministros do Líbano, Mahmoud Mekkiya, anunciou que o primeiro-ministro Najib Mikati tomou a decisão em resposta a um apelo global para uma greve “em solidariedade com Gaza e o povo palestiniano”.

Além disso, a União Internacional de Acadêmicos Muçulmanos, que é uma organização global de teólogos muçulmanos, apelou à greve.

Ali Al-Qaradaghi, secretário-geral do sindicato, enfatizou a importância da greve como opção de protesto, dado o fracasso da comunidade internacional em parar a guerra em Gaza.

Qual é o significado da greve?

O activista palestiniano Abdullah Abu Rameh acredita que é significativo atacar em solidariedade com Gaza, protestando na sexta-feira contra o veto dos EUA. “Esta é uma guerra contra os civis, não contra o Hamas”, disse Abu Rameh à Al Jazeera.

O número de mortos em Gaza é de 17.997, enquanto 49.229 ficaram feridos desde 7 de outubro, informou a agência humanitária da ONU, OCHA, no domingo. Pelo menos 1.550 famílias perderam vários parentes.

“Milhões de pessoas em greve, que não vão trabalhar, que não compram online, que não compram de grandes corporações que apoiam Israel terão uma influência na economia dos grandes países, especialmente dos países que apoiam Israel”, disse Aitemad Muhanna-Matar, especialista em pesquisa sobre a Palestina. e trabalhou com o Middle East Centre da London School of Economics, disse à Al Jazeera. “Isso faria com que os líderes repensassem o seu apoio a Israel”, acrescentou ela.

Por que Israel está bombardeando Gaza?

A recente escalada de violência de Israel na Faixa de Gaza ocorreu após o ataque mais mortal em solo israelense, em 7 de outubro.

Uma trégua temporária de uma semana terminou na manhã de 1 de Dezembro e desde então Israel intensificou os ataques no sul do enclave – áreas que anteriormente eram declaradas zonas seguras.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *