Coreia do Norte adverte EUA sobre retaliação nuclear à medida que as tensões aumentam


0

O alerta ocorre dias depois que os EUA enviaram um submarino nuclear à Coreia do Sul pela primeira vez em décadas.

lançamento de míssil
Um míssil balístico intercontinental Hwasong-18 lançado de um local não revelado na Coreia do Norte em 13 de julho de 2023 [KCNA via Reuters]

O ministro da Defesa da Coreia do Norte alertou os Estados Unidos de que a implantação de ativos nucleares na Coreia do Sul poderia atender às condições para o uso de armas nucleares, segundo a mídia estatal.

Os comentários de Kang Sun Nam, relatados na quinta-feira pela Agência Central de Notícias da Coreia (KCNA), vieram em resposta ao envio pelos EUA de um submarino com mísseis balísticos com armas nucleares para a Coreia do Sul esta semana pela primeira vez em décadas.

“A visibilidade cada vez maior da implantação do submarino nuclear estratégico e de outros ativos estratégicos pode se enquadrar nas condições de uso de armas nucleares especificadas na lei da RPDC”, disse Kang em comunicado, referindo-se ao seu país pelo nome oficial, República Popular Democrática da Coreia.

As tensões entre os EUA e a Coreia do Norte aumentaram nas últimas semanas, com Pyongyang aumentando seus testes de mísseis balísticos em desafio a Washington e às sanções internacionais.

No final da semana passada, os EUA, a Coreia do Sul e o Japão divulgaram uma declaração conjunta condenando o lançamento de um míssil balístico intercontinental norte-coreano dias antes.

“Os Estados Unidos reiteraram que seus compromissos de defender a República da Coreia [Republic of Korea, or South Korea] e o Japão são blindados e apoiados por toda a gama de capacidades, incluindo nuclear”, disse o comunicado.

Os três aliados realizaram um exercício militar conjunto no domingo.

Na quarta-feira, a Coreia do Sul e o Japão informaram que a Coreia do Norte havia lançado mais dois mísseis balísticos.

Os EUA e a Coréia do Sul também realizaram sua primeira reunião do chamado Grupo Consultivo Nuclear nesta semana. A Casa Branca disse que forneceu uma chance para os EUA reafirmarem seu compromisso de fornecer “dissuasão estendida” à Coreia do Sul.

“Qualquer ataque nuclear da Coreia do Norte contra os Estados Unidos ou seus aliados é inaceitável e resultará no fim desse regime, e os EUA e os lados da República da Coreia destacaram que qualquer ataque nuclear da RPDC contra a República da Coreia será recebido com uma resposta rápida, esmagadora e decisiva”, disse a Casa Branca em um comunicado após as negociações.

Na quinta-feira, a Coreia do Norte criticou a reunião nuclear. “A fase de um confronto militar na península coreana surgiu como uma realidade perigosa”, disse o relatório da KCNA.

Soldado americano cruza fronteira com a Coreia do Norte

Em meio à escalada, o soldado americano Travis King, de 23 anos, cruzou intencionalmente para a Coreia do Norte esta semana. As autoridades americanas acreditam que ele está agora sob custódia norte-coreana.

King cumpriu quase dois meses em uma prisão sul-coreana por agressão e deveria viajar de volta aos Estados Unidos, mas pulou o voo, juntou-se a um grupo de turismo para a zona desmilitarizada e, posteriormente, cruzou a fronteira com a Coreia do Norte na vila de Panmunjom.

Na quarta-feira, o Departamento de Estado dos EUA disse que o Pentágono havia procurado os militares norte-coreanos sobre o caso, mas “essas comunicações ainda não foram respondidas”.

O ex-presidente dos EUA, Donald Trump, manteve conversas diretas com o líder norte-coreano Kim Jong Un durante seu mandato, mas as reuniões de alto nível entre os dois países foram interrompidas sob o atual presidente dos EUA, Joe Biden.

Após o primeiro encontro entre Trump e Kim em 2018, as nações disseram em um comunicado conjunto que a Coreia do Norte estava comprometida em “trabalhar para a desnuclearização completa da Península Coreana”.

Mas a promessa nunca foi seguida de esforços para acabar com o programa de armas nucleares do país.

A Coreia do Norte realizou seu primeiro teste de armas nucleares em 2006, violando uma proibição internacional de tais testes. Desde então, o Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou por unanimidade inúmeras resoluções que impuseram sanções ao país devido ao seu programa nuclear.

No ano passado, a Rússia e a China vetaram uma proposta do Conselho de Segurança para impor mais penalidades à Coreia do Norte, argumentando que as sanções não foram eficazes para conter seus programas nuclear e de mísseis.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *