Análise: Rússia apanhada pela dupla ofensiva da Ucrânia


0

As forças ucranianas continuam a retomar o território na região de Kharkiv, enquanto os russos abandonam as principais cidades de Kupyansk e Izyum.

Forças ucranianas posam em Kupiansk
Forças ucranianas posam para uma foto na cidade recentemente libertada de Kupyansk, na região de Kharkiv [Press Service of the State Security Service of Ukraine/Handout via Reuters]

Kyiv, Ucrânia – As forças ucranianas retomaram mais de 2.500 quilômetros quadrados (965 milhas quadradas) de território no nordeste do país em apenas três dias, de acordo com o Instituto para o Estudo da Guerra, um centro de estudos.

Dezenas de assentamentos foram recapturados das tropas russas, que iniciaram uma retirada precipitada para a relativa segurança da província de Luhansk.

Kupyansk, um entroncamento ferroviário e importante centro logístico para os russos, foi retomado pelas forças ucranianas, apesar dos fortes reforços russos na área.

Artilharia e blindados russos foram levados às pressas para Kupyansk e a cidade de Izyum, enquanto unidades aerotransportadas russas foram enviadas para reforçar a defesa russa sitiada.

A tomada de Kupyansk pela Ucrânia significa que as unidades russas ao norte terão mais dificuldade em reabastecer, já que os militares russos dependem em grande parte das ferrovias para manter suas forças alimentadas, abastecidas e armadas.

A mídia russa informou que as forças russas abandonaram Izyum e estão recuando depois que a captura de Kupyansk tornou a defesa da cidade insustentável.

Forças ucranianas patrulham em Kupiansk
Kupyansk, um entroncamento ferroviário e importante centro logístico para os russos, foi retomado pelas forças ucranianas [State Security Service of Ukraine/Handout via Reuters]

A importância do sul

Os planejadores militares ucranianos têm sido hábeis em manter a Rússia adivinhando onde o principal impulso da ofensiva se concentraria – seja na frente sul de Kherson ou no nordeste ao redor de Kharkiv.

Um ataque no sul parecia ser uma escolha provável, já que Kherson é estrategicamente importante para ambos os lados. O controle da cidade para a Rússia significa que ela controla o porto, protege o canal de água doce que alimenta a Crimeia ocupada pelos russos e pode servir como ponto de partida para qualquer viagem futura em direção a Odesa.

Para a Ucrânia, é igualmente importante retomar Kherson, uma porta de entrada para o sul. Foi uma das primeiras cidades a serem tomadas pela Rússia nos primeiros dias de sua invasão em grande escala em fevereiro e sua recaptura seria um grande impulso moral para os ucranianos. Também permitiria que as forças ucranianas cruzassem o rio Dnieper e potencialmente se dirigissem para o leste, cortando o canal que abastece a Crimeia.

Militares ucranianos disparam arma antiaérea
Militares ucranianos disparam contra posições russas de uma arma antiaérea na região de Kharkiv, Ucrânia [File: Andrii Marienko/AP Photo]

O canal era um objetivo estratégico da guerra russa, pois fornecia 85% da água doce da Crimeia e foi bloqueado pela Ucrânia desde que a Rússia anexou ilegalmente a península em 2014.

Um avanço ucraniano bem-sucedido para o leste também tornaria a ocupação russa da Usina Nuclear de Zaporizhzhia cada vez mais insustentável, já que as forças russas dentro e ao redor da cidade vizinha de Enerhodar provavelmente seriam isoladas e presas na curva do rio.

A Ucrânia habilmente prendeu cerca de 20.000 soldados russos contra o rio Dnieper, afastando-os de unidades russas dentro da própria cidade de Kherson.

As forças russas foram trazidas do leste para reforçar as defesas russas do bolsão de Kherson, mas foram isoladas, em grande parte cortadas do reabastecimento e efetivamente contidas.

Finta do sul, golpe do norte

Parece que a Rússia foi apanhada, acreditando que o sul seria o principal foco de operações da Ucrânia.

Apesar do valor estratégico do sul, parece que os ataques ucranianos foram uma simulação dos planejadores militares, com o principal impulso da ofensiva ucraniana vindo do nordeste, onde seu relâmpago causou o colapso da resistência russa.

De acordo com a mídia russa, a cidade de Izyum foi abandonada e uma retirada geral russa está em andamento, não apenas da cidade, mas também da região.

Para capitalizar seus ganhos, as forças ucranianas estão pressionando Lyman, outra cidade de entroncamento ferroviário estrategicamente valiosa, em um esforço para manter o ímpeto da ofensiva e capitalizar a sensação de pânico sentida nas fileiras russas. Fala-se abertamente de derrota na região nos canais de telegramas russos.

Resta saber quanto vapor resta no avanço nordeste da Ucrânia. As forças russas provavelmente recuarão para uma linha defensiva, onde esperam verificar a ofensiva da Ucrânia e interromper a retirada da Rússia.

É provável que o foco estratégico da Ucrânia volte para o sul em algum momento, pois há muito em jogo neste setor vital.

Por enquanto, está claro que a Rússia sofreu uma derrota militar significativa no nordeste e está retirando suas forças, com suas defesas desmoronando diante de um ataque militar ucraniano.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *