Análise: Os pequenos avanços de Pirro da Rússia no leste da Ucrânia


0

A Rússia está a fazer incursões graduais no leste da Ucrânia e poderá em breve controlar a cidade estratégica de Avdiivka.

Soldados ucranianos consertam os trilhos de um veículo BMP-1 em 7 de dezembro de 2023 em Avdiivka, Ucrânia. A Rússia continua uma longa campanha para capturar a cidade, localizada na região oriental de Donetsk, na Ucrânia. [Vlada Liberova/Libkos/Getty Images]

Kyiv, Ucrânia – As forças russas estão perto de invadir um reduto ucraniano de imensa importância estratégica e simbólica.

As tropas quase cercaram Avdiivka, uma cidade no sudeste que foi quase arrasada depois de quase uma década de ataques de combatentes separatistas pró-Moscou.

A cidade está repleta de crateras de explosões, veículos blindados queimados e corpos não recolhidos de soldados russos e separatistas que duplicaram os seus esforços em outubro.

Avdiivka fica a apenas 20 km ao norte da capital separatista de Donetsk e é crucial para o objetivo do Kremlin de tomar toda a região sudeste de Donbass, que tem sido parcialmente controlada por rebeldes desde 2014.

O Kremlin mudou para esta estratégia há um ano, depois de a sua blitzkrieg para conquistar toda a Ucrânia ter falhado e as suas forças terem retirado dos arredores de Kiev e da maior parte do norte da Ucrânia.

Mas a tão esperada contra-ofensiva de Verão de Kiev para recuperar áreas perdidas para a Rússia no ano passado não produziu resultados tangíveis. As forças ucranianas carecem de apoio aéreo e de mísseis de médio alcance para interromper as linhas de abastecimento russas e romper as instalações de defesa russas fortemente fortificadas ao longo da linha de frente em forma de meia-lua, com 1.000 km de comprimento.

As forças ucranianas de contra-ataque consistem em grande parte de militares recentemente treinados que substituíram veteranos mortos e feridos. Falta-lhes coesão no campo de batalha e, devido à sua inexperiência, não esperavam encontrar milhares de quilómetros de trincheiras e túneis russos recentemente construídos, alguns dos quais ficam a 30 metros (33 jardas) de profundidade.

Moscovo também destacou centenas de milhares de militares recentemente mobilizados para guarnecer as linhas de defesa e colocar até cinco minas terrestres por metro quadrado de terra de ninguém.

Como resultado, as forças ucranianas não conseguiram atingir o seu objectivo de chegar ao Mar de Azov e cortar a “ponte terrestre” da Rússia para a península anexada da Crimeia, no meio de pesadas e debilitantes perdas de mão-de-obra e armamento, incluindo veículos blindados fornecidos pelo Ocidente.

O principal analista militar da Ucrânia alertou que nos meses gelados de inverno, os militares do país terão que circular nos vagões e se concentrar na defesa enquanto reavaliam a estratégia ofensiva do próximo ano com os aliados ocidentais, aumentam a produção interna de armamento e mobilizam dezenas de milhares de homens a mais. .

“Hoje em dia, estamos concentrados em mudar para a defesa e, para aumentar a sua eficácia, em equipar e explorar as áreas mais ameaçadoras. [front-line] áreas e use esse tempo para acumular recursos”, disse o tenente-general Ihor Romanenko, ex-vice-chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas Ucranianas, à Al Jazeera.

Ele e outros analistas atribuem os fracassos da Ucrânia aos atrasos no fornecimento de armamento ocidental, bem como à perícia da Rússia na utilização em larga escala de veículos aéreos não tripulados, especialmente os drones kamikaze FPV (visão em primeira pessoa).

Esses drones baratos equipados com câmeras carregam pequenos explosivos e podem entrar em bueiros ou abrir escotilhas de veículos blindados – tudo isso enquanto seus pilotos os operam em esconderijos seguros.

Este ano, a Rússia iniciou a produção industrial massiva de drones FPV, enquanto a Ucrânia ainda depende em grande parte da produção de oficinas improvisadas, cujo número cresceu rapidamente em todo o país e onde voluntários adaptam modelos fabricados na China.

“Este ano, [Russians] conseguiu nos alcançar e ir à nossa frente, e produzir grandes quantidades de veículos aéreos não tripulados”, disse Romanenko.

No entanto, alguns analistas afirmam que as vantagens dos drones FPV são um tanto exageradas.

“Eles são mais baratos e mais simples, mas também menos eficazes em comparação com meios de destruição de alta precisão, incluindo tipos avançados de munições ociosas”, disse Pavel Luzin, pesquisador visitante da Universidade Tufts de Boston, à Al Jazeera.

Avdiivka marcada pela cratera
Soldados ucranianos caminham pela cidade de Avdiivka, cheia de crateras, que agora está quase cercada pelas forças russas, em 7 de dezembro de 2023 [Kostya Liberov/Libkos/Getty Images]

Tomando o químico

Para assumir o controle de Avdiivka, as forças russas precisam tomar The Chemist, um distrito que leva o nome de uma fábrica próxima, de acordo com Rybar, um canal pró-Rússia do Telegram.

“Isso permitirá que eles dividam o agrupamento ucraniano em Avdiivka, para quebrar o sistema unificado de defesa e para simplificar significativamente o ataque a todo o local de defesa”, postou Rybar, uma das principais fontes de notícias sobre a ofensiva russa, na segunda-feira.

Moscou precisa levar Avdiivka para fins publicitários. O presidente russo, Vladimir Putin, anunciou que concorrerá às eleições de 2024 e precisa de uma vitória que a mídia controlada pelo Kremlin possa alardear.

“Putin precisa dessa vitória antes da votação, considerando que a situação nas linhas de frente está num limbo para ambos os lados”, disse o analista Igar Tyshkevich, baseado em Kiev, à Al Jazeera.

O Kremlin e os seus altos escalões ignoram em grande parte a situação dos seus militares, que chegam às linhas da frente sem qualquer ou quase nenhum treino e têm morrido em massa.

“Avançar dois quilômetros pela floresta apenas para saltar de uma metralhadora e morrer em dois segundos é a história da vida real de um stormtrooper russo”, escreveu um militar ucraniano no Telegram em agosto.

Isto levou a perdas catastróficas.

Cerca de 315 mil militares russos foram mortos ou feridos desde o início da guerra em fevereiro de 2022, o que representa 87 por cento das tropas terrestres em serviço ativo de Moscou, de acordo com uma avaliação militar dos EUA desclassificada divulgada na terça-feira.

Além do ataque incessante a Avdiivka, as forças russas também pretendem avançar noutras áreas-chave da frente oriental – as cidades de Kupiansk, Lyman e Bakhmut.

Este último foi assumido em maio, principalmente por mercenários Wagner liderando milhares de prisioneiros russos que se inscreveram para o serviço militar em troca de um perdão presidencial no que ficou conhecido como “marchas da carne”.

Nos meses seguintes, a Ucrânia retomou posições-chave em torno de Bakhmut – e os russos estão a morrer numa tentativa de recuperá-las.

Mas verdadeiros triunfos militares não estão nos planos de Moscovo, disse outro analista.

“Não se deve esperar quaisquer avanços para as forças russas. Eles atingiram em várias direções, só um pouco. Gaste a munição que eles acumularam, bem como contrate soldados e [recruited] presidiários”, disse Nikolay Mitrokhin, da Universidade Alemã de Bremen, à Al Jazeera.

As forças russas poderão conseguir tomar Avdiivka, provavelmente restaurarão as suas posições em torno de Bakhmut e melhorarão a sua logística cruzando o rio Zherebets, perto de Lyman, disse ele.

“A Rússia considerará [these steps] a grande vitória da campanha de inverno”, disse Mitrokhin.

Nessa fase, é provável que Moscovo fique sem soldados e armamento, mas “isto constituirá mais ganhos territoriais do que os da Ucrânia este ano”, acrescentou Mitrokhin.

Não importa quão minúsculos sejam, os avanços russos certamente bloquearão qualquer avanço ucraniano na frente sul, disse Mitrokhin.

Bakhmut depois que a Rússia o retomou
Prédios destruídos em Bakhmut, no leste da Ucrânia, são mostrados em 23 de maio de 2023, quando os mercenários de Wagner assumiram o controle da cidade. Nos meses seguintes, a Ucrânia retomou posições-chave à sua volta [Defense Ministry of Ukraine/Handout/Anadolu Agency via Getty Images]

Resistência ucraniana

Mais a sul, no Mar Negro, porém, a Ucrânia está em vantagem.

Durante 2023, os seus drones marítimos e aéreos abateram vários navios de guerra russos e forçaram Moscovo a transferir a maior parte da sua Frota do Mar Negro da Crimeia anexada para o porto de Novorossiysk.

Isto reduziu significativamente o bombardeamento das cidades costeiras ucranianas – e ajudou a revitalizar o “corredor de cereais” através do qual o trigo ucraniano é transportado para o Mediterrâneo.

“Foi assim que garantimos o funcionamento do corredor de grãos”, disse Romanenko.

Entretanto, a inteligência ucraniana fez incursões profundas no território inimigo.

Ilya Kyva, um controverso legislador ucraniano de um partido pró-Moscou que apelou ao assassinato em massa de homossexuais e fugiu para a Rússia pouco antes da guerra, foi morto a tiro nos arredores de Moscovo, em 6 de dezembro.

Ele estaria prestes a gravar um vídeo instando o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, a se matar.

A mídia ucraniana afirmou que a SBU, a principal agência de inteligência da Ucrânia, estava por trás do assassinato.

No dia 1 de Dezembro, explosões atribuídas à inteligência ucraniana descarrilaram dois comboios de carga na estratégica ferrovia Baikal-Amur, paralisando a principal ligação de transporte da Rússia com a China, a Coreia do Norte e o Japão.

A Rússia anunciou a prisão de um cidadão bielorrusso com ligações à SBU que supostamente plantou os explosivos.

“A explosão de dois comboios carregados de combustível seguidos, a milhares de quilómetros de distância das linhas da frente, num túnel estratégico e numa linha de desvio para paralisar a ligação da Rússia central e da Sibéria com o Extremo Oriente, bem como com a China, a Coreia do Norte e o Japão, é uma operação absolutamente única”, disse o analista Mitrokhin.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *