‘A era de paz na Europa acabou’, diz Ucrânia, enquanto Avdiivka cai


0

As forças russas capturam a sua primeira cidade em mais de nove meses, em parte como resultado da falha na entrega de armas por parte dos aliados.

Um militar ucraniano da 65ª Brigada Mecanizada das Forças Armadas Ucranianas inspeciona um carro russo danificado perto da vila de Robotyne, na linha de frente [Stringer/Reuters]

A Rússia alcançou o seu primeiro grande sucesso territorial em mais de nove meses na guerra da Ucrânia, capturando a cidade oriental de Avdiivka na semana passada.

A outrora movimentada comunidade de 30.000 civis desapareceu e era duvidoso que o empregador local, a maior coqueria da Europa, pudesse voltar a funcionar em breve. Mas a captura deu ao presidente russo, Vladimir Putin, o direito de se gabar antes das eleições que enfrentará em março.

As forças russas começaram a pressionar seriamente os defensores ucranianos em Outubro passado, depois de a contra-ofensiva de Verão da Ucrânia, que durou três meses, ter terminado, prometendo desferir um golpe de Inverno na Ucrânia.

Eles formaram uma pinça ao norte e ao sul da cidade e, durante os quatro meses de combates mais intensos, o comandante das forças ucranianas de Tavria, Oleksandr Tarnavskyi, estimou que sofreram 47.000 baixas e perderam 364 tanques, 248 sistemas de artilharia, 748 veículos blindados de combate. e cinco aeronaves.

A notícia caiu como uma bomba na Conferência de Segurança de Munique, onde os aliados ocidentais da Ucrânia se reuniram para avaliar uma perspectiva sombria para 2024.

“A era de paz na Europa acabou”, disse Dmytro Kuleba, ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, aos presentes.

“E cada vez que os soldados ucranianos se retiram de uma cidade ucraniana por falta de munições, pensem nisso não apenas em termos de democracia e de defesa da ordem mundial, mas também em termos de soldados russos que se aproximam alguns quilómetros das vossas cidades. .”

INTERATIVO-QUEM CONTROLA O QUE NA UCRÂNIA-1708519394
(Al Jazeera)

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, também aproveitou o momento para pressionar os aliados a obterem mais fornecimentos de armas.

“Infelizmente, manter a Ucrânia com défices artificiais de armas, particularmente défices de artilharia e capacidades de longo alcance, permite a Putin adaptar-se à actual intensidade da guerra. Este enfraquecimento da democracia ao longo do tempo prejudica os nossos resultados conjuntos”, disse Zelenskyy na conferência.

Muitos ucranianos culpam abertamente os Estados Unidos pelo encorajamento da Rússia, enquanto uma medida de assistência militar de 60,6 mil milhões de dólares à Ucrânia permanece paralisada no Congresso.

“Em 2022, o [US] administração [of Joe Biden] apresentou pedidos de financiamento na primavera, quase imediatamente após a invasão”, escreveu o diretor da Escola de Economia de Kiev, Tymofiy Mylovanov.

“Mas em 2023, esperou até meados do outono para anunciar o que pretende apresentar”, disse ele.

“Avdiivka demonstra o custo destes atrasos políticos: vidas humanas, território perdido e incentivou a Rússia. Se esse é o plano de ‘estar com a Ucrânia o tempo que for necessário’, então os atrasos dos EUA na ajuda apenas prolongaram a guerra.”

Como a Rússia fez isso?

A chave para quebrar o impasse de meses no terreno parece ter vindo do ar.

“As forças russas parecem ter estabelecido temporariamente uma superioridade aérea limitada e localizada e foram capazes de fornecer às tropas terrestres apoio aéreo aproximado durante os últimos dias da sua operação ofensiva”, disse o Instituto para o Estudo da Guerra, um think tank com sede em Washington.

Sergei Shoigu, ministro da Defesa russo, disse que as forças de Moscou realizaram 450 ataques aéreos de alta precisão nos últimos dias da campanha por Avdiivka.

Muitas delas vieram na forma de bombas planadoras, enormes munições sem energia equipadas com aletas ajustáveis ​​para viajar mais longe do que as bombas inerciais comuns e atacar com maior precisão. Um soldado ucraniano relatou que 60 foram derrubados somente no dia 17 de fevereiro.

O uso do poder aéreo avançado teve um custo. A Ucrânia abateu dois Sukhoi-34 e um Sukhoi-35 sobre Donetsk no sábado, enquanto realizavam missões para lançar bombas planadoras. Na segunda-feira, eles abateram outro Sukhoi-34 e um Sukhoi-35 que atacavam posições ucranianas com bombas planadoras, e um Sukhoi-34 na quarta-feira.

Ao todo, a Ucrânia disse ter abatido sete aviões em cinco dias.

INTERATIVO - QUEM CONTROLA O QUE NO LESTE DA UCRÂNIA copy-1708519380
(Al Jazeera)

Os primeiros sinais de que as defesas da Ucrânia em torno de Avdiivka estavam a falhar surgiram na quinta-feira, quando imagens geolocalizadas mostraram as forças russas avançando para novas posições ao sul da cidade.

No sábado, o recém-nomeado comandante-em-chefe da Ucrânia, Oleksandr Syrskii, disse que ordenou que as unidades ucranianas se retirassem no início da manhã, a fim de evitar o cerco e a captura. Imagens geolocalizadas mostraram tropas russas entrando em Avdiivka ao longo de uma linha férrea que passa por pedreiras no nordeste da cidade e até a coqueria no leste. À noite, a Rússia reivindicou “controle total” sobre Avdiivka.

Shoigu também afirmou que as forças ucranianas se retiraram em grande desordem, sofrendo um grande número de mortos, feridos e capturados. Ele pode ter exagerado no caso.

O New York Times citou autoridades ocidentais não identificadas que confirmaram que um número “significativo” de tropas ucranianas pode ter sido capturado. Dois soldados ucranianos estimaram o número entre 850 e 1.000. Mas o porta-voz do Grupo Tavria, Dmytro Lykhovyi, disse que o relatório foi influenciado pelas operações de informação russas e que o número real capturado foi muito menor.

INTERATIVO-QUEM CONTROLA O QUE NO SUL DA UCRÂNIA-1708519386
(Al Jazeera)

Continua em aberto a questão de saber se as forças russas conseguirão continuar a repetir a fórmula que as ajudou a capturar Avdiivka noutras áreas da frente. Na última semana, as forças russas também intensificaram os seus ataques às cidades orientais de Lyman e Kupiansk, que alguns observadores acreditam serem os seus próximos alvos, a Robotyne, no oeste de Zaporizhia, que a Ucrânia recapturou no ano passado, e às posições ucranianas na margem esquerda. do rio Dnipro em Kherson.

Para além da perda simbólica de outra cidade, a primeira desde a queda de Bakhmut em Maio do ano passado, Avdiivka pode oferecer à Rússia poucas vantagens estratégicas.

“Avdiivka oferece às forças russas caminhos limitados para avanços futuros”, disse o ISW. “As forças ucranianas há muito que fortificam muitos dos assentamentos vizinhos, que as forças russas também estão lutando para capturar.”

Apoio ocidental à Ucrânia

A semana também trouxe boas notícias para a Ucrânia.

A queda de Avdiivka levou o primeiro-ministro da Dinamarca a doar todos os restantes activos de artilharia do país à Ucrânia, levando outros a uma mudança semelhante de atitudes.

“Nós, Dinamarca, decidimos transferir toda a nossa artilharia para a Ucrânia”, escreveu Mette Frederiksen no X, antigo Twitter.

“Há equipamento militar na Europa… Temos armas, munições, sistemas de defesa aérea, que ainda não utilizamos. Eles devem ser entregues à Ucrânia.”

A França e a Alemanha comprometeram-se a liderar uma coligação aérea para fornecer à Ucrânia um milhão de drones com visualização em primeira pessoa, com um total de nove países afirmando que planeiam aderir. A Alemanha e a Ucrânia assinaram um acordo plurianual de cooperação em defesa, incluindo 7,5 mil milhões de dólares em transferências de defesa só este ano.

A Lituânia disse que estava intensificando a entrega de cartuchos de artilharia para a Ucrânia, e o fabricante de munição norueguês-finlandês Nammo disse que estava adotando um cronograma 24 horas por dia em uma fábrica na Suécia para aumentar a produção de cartuchos de artilharia de 155 mm para a Ucrânia.

O chefe da OTAN, Jens Stoltenberg, também disse que a aliança estava abrindo um centro de treinamento para pessoal ucraniano na Polônia.

INTERATIVO Refugiados da Ucrânia-1708519366
(Al Jazeera)

Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *