Indonésia aprova novo código penal e proíbe sexo fora do casamento


0

Mudanças polêmicas alimentaram protestos quando foram propostas pela primeira vez em 2019 e ainda podem ser contestadas no tribunal.

O Parlamento aprovou a controversa lei na terça-feira [Willy Kurniawan/Reuters]

A Indonésia aprovou um controverso novo Código Penal que inclui a proibição do sexo fora do casamento e da coabitação, em mudanças que os críticos afirmam que podem minar as liberdades no país do Sudeste Asiático.

As novas leis se aplicam a indonésios e estrangeiros e também restauram a proibição de insultar o presidente, instituições estatais ou a ideologia nacional da Indonésia conhecida como Pancasila.

O novo código penal, aprovado por unanimidade pelo parlamento na terça-feira, substitui uma estrutura que estava em uso desde a independência em 1946 e era uma mistura de lei holandesa, lei consuetudinária conhecida como hukum adat e lei indonésia moderna.

“Fizemos o possível para acomodar as questões importantes e as diferentes opiniões que foram debatidas. No entanto, é hora de tomarmos uma decisão histórica sobre a emenda do código penal e deixarmos para trás o código penal colonial que herdamos”, disse Yasonna Laoly, ministra da Justiça e dos Direitos Humanos, ao parlamento antes da votação.

O código planejado gerou protestos liderados por estudantes em todo o país quando um rascunho completo foi lançado em setembro de 2019, em meio a temores de que isso restringiria as liberdades pessoais. Pelo menos 300 pessoas ficaram feridas nos distúrbios, que também foram alimentados por preocupações de que novas leis prejudicariam a luta contra a corrupção.

As revisões subseqüentes não foram liberadas na íntegra.

O novo código ainda deve ser assinado pelo presidente, segundo o vice-ministro de Direito e Direitos Humanos, Edward Hiariej. Também não será de aplicação imediata, prevendo-se que a transição do antigo código para o novo demore no máximo três anos.

Um grupo de mulheres fora do parlamento faz um protesto contra o novo código penal.  Eles estão mascarados e segurando cartazes.  Atrás deles estão bandeiras em vermelho e branco e uma grande faixa dizendo 'TOLAK' (Rejeitar)
Protestos foram realizados fora do parlamento na segunda-feira em meio a preocupações sobre o impacto do novo código [Adek Berry/AFP]

‘Indo para trás’

Uma cópia do novo código vista pela Associated Press mostrou que a acusação de insulto a um presidente em exercício acarreta pena de prisão de até três anos.

Hiariej disse que o governo forneceu “a explicação mais estrita possível que distingue entre insultos e críticas”.

Sexo antes do casamento não era ilegal na Indonésia antes da aprovação do código, embora o adultério fosse.

Sob a nova lei, pais ou filhos poderão denunciar casais não casados ​​à polícia se suspeitarem que eles estão fazendo sexo – algo que os críticos disseram ser um movimento em direção ao policiamento moral e também pode ser usado para atingir membros da comunidade LGBTQ.

Tanto o sexo antes do casamento quanto o adultério serão puníveis com até um ano de prisão ou multa de acordo com o código.

A coabitação será punida com seis meses de prisão ou multa, mas apenas se denunciada à polícia pelos pais, filhos ou cônjuge.

Grupos de direitos dizem que as propostas ressaltam o crescente conservadorismo de um país há muito aclamado por sua tolerância religiosa, com o secularismo consagrado em sua constituição.

“Estamos retrocedendo… as leis repressivas deveriam ter sido abolidas, mas o projeto de lei mostra que os argumentos de acadêmicos no exterior são verdadeiros, que nossa democracia está indiscutivelmente em declínio”, disse à agência de notícias AFP Usman Hamid, diretor da Amnistia Internacional Indonésia.

O código penal pode ser contestado no Tribunal Constitucional se se considerar que não foi seguido o procedimento correcto antes da sua aprovação, incluindo a procura de uma participação pública relevante e transparente.

Os sindicatos usaram essa abordagem para contestar a Lei de Criação de Empregos, aprovada em outubro de 2020 e considerada “inconstitucional” um ano depois. O governo recebeu dois anos para corrigir essa legislação ou corre o risco de se tornar permanentemente inválida.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *