Tropas ucranianas se retiram da cidade de Avdiivka, na linha de frente, diz chefe do Exército


0

Oleksandr Syrskii diz que a decisão foi tomada para preservar a vida dos soldados e evitar o seu cerco.

FOTO DE ARQUIVO: Uma vista mostra edifícios residenciais fortemente danificados por ataques militares russos permanentes na cidade de Avdiivka, na linha de frente, em meio ao ataque da Rússia à Ucrânia, na região de Donetsk, Ucrânia, 8 de novembro de 2023. Radio Free Europe/Radio Liberty/Serhii Nuzhnenko via REUTERS /Arquivo Foto
Prédios residenciais são fortemente danificados por ataques russos na cidade de Avdiivka, na linha de frente, na Ucrânia [File: Radio Free Europe/Radio Liberty/Serhii Nuzhnenko via Reuters]

As tropas ucranianas retiraram-se da cidade de Avdiivka, na linha da frente, anunciou o novo chefe do exército, após meses de intensos combates e pouco progresso na repulsão das forças russas na frente oriental do país.

“Decidi retirar as nossas unidades da cidade e passar para a defesa a partir de linhas mais favoráveis, a fim de evitar o cerco e preservar a vida e a saúde dos militares”, disse Oleksandr Syrskii no sábado, dias depois de assumir o comando dos militares ucranianos numa grande abalo.

A batalha pelo centro industrial, a menos de 10 quilómetros a norte da cidade de Donetsk, controlada pela Rússia, foi uma das mais sangrentas da guerra de dois anos. Muitos comparam isso com a batalha por Bakhmut, na qual dezenas de milhares de soldados foram mortos.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, disse no sábado que a retirada das tropas “foi uma decisão profissional que salvará muitas vidas ucranianas”.

“Nossas ações são limitadas apenas pela suficiência e extensão do alcance de nossa força”, acrescentou, apontando para a situação em Avdiivka.

A Rússia tenta capturar a cidade desde outubro e cercou-a por três lados, deixando rotas de reabastecimento limitadas para as forças ucranianas.

Avdiivka tinha cerca de 34.000 habitantes antes da invasão russa. A maior parte da cidade foi destruída desde então, mas cerca de 1.000 residentes permanecem, segundo as autoridades locais. Vídeos nas redes sociais mostraram uma cidade em ruínas.

“Numa situação em que o inimigo avança sobre os cadáveres dos seus próprios soldados com uma vantagem de tiro de 10 para um, sob bombardeamento constante, esta é a única decisão correcta”, disse Oleksandr Tarnavsky, comandante do exército na área de Avdiivka.

Antes de emitir ordens para a retirada de Avdiivka, Tarnavsky disse na sexta-feira que vários soldados ucranianos foram capturados pelas forças russas.

A cidade tem um importante valor simbólico e Moscovo espera que a sua captura torne mais difícil o bombardeamento de Donetsk pela Ucrânia. A retirada ocorre antes das eleições presidenciais russas marcadas para março, nas quais o atual Vladimir Putin deverá ganhar um quinto mandato, o que lhe permitirá continuar a liderar a invasão da Ucrânia.

Avdiivka fica na região de Donetsk, na Ucrânia, que o Kremlin afirma fazer parte da Rússia desde uma anexação em 2022 que permanece não reconhecida por quase todos os membros das Nações Unidas.

Na Conferência de Segurança de Munique, no sábado, Zelenskyy pressionou para que os países fornecessem à Ucrânia armas de maior alcance e mais sistemas de defesa aérea.

“Infelizmente, manter a Ucrânia num défice artificial de armas, particularmente num défice de artilharia e capacidades de longo alcance, permite a Putin adaptar-se à actual intensidade da guerra”, disse Zelenskyy na Alemanha. “O enfraquecimento da democracia ao longo do tempo prejudica os nossos resultados conjuntos.”

Ele também prometeu “surpreender a Rússia” ainda este ano com novos sistemas de drones e guerra electrónica.

Zelenskyy assinou na sexta-feira pactos de segurança com a França e a Alemanha para garantir o apoio a Kiev. Espera-se também que ele faça mais apelos por financiamento e armamentos na Conferência de Segurança de Munique, no sábado.

Todos os 27 países da União Europeia concordaram este mês com um pacote de ajuda adicional de 50 mil milhões de euros (54 mil milhões de dólares) para a Ucrânia.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse na quinta-feira que Avdiivka corria o risco de cair nas mãos das forças russas devido à escassez de munição após meses de oposição republicana no Congresso a um novo pacote de ajuda militar dos EUA para Kiev.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *