Mapeando a batalha por Bakhmut da Ucrânia


0

A Al Jazeera registra seis meses de ataques a Bakhmut enquanto a luta contra as forças russas se intensifica.

A cidade de Bakhmut, na linha de frente, no leste da Ucrânia, tem sido o foco de intensos combates há meses.

As batalhas se tornaram mais acirradas esta semana, mas as forças ucranianas parecem estar resistindo aos russos, que recentemente afirmaram ter tomado a cidade vizinha de mineração de sal de Soledar – uma vitória que Kyiv nega.

Se as forças russas ou os mercenários de Wagner, que também estão lutando no leste da Ucrânia, ou ambos, conseguirem capturar Bakhmut, sua queda marcaria a vitória mais significativa de Moscou após meses de reveses humilhantes.

A cidade, famosa por sua produção de vinho, é simbolicamente relevante para os ucranianos para quem “Hold Bakhmut” é agora um slogan popular.

Nuvens de fumaça sobem de um ataque russo
Nuvens de fumaça sobem de um ataque russo na cidade de Bakhmut, na linha de frente, no leste da Ucrânia, em 7 de janeiro de 2023, durante um cessar-fogo de 36 horas durante o Natal ortodoxo declarado pelo presidente russo Vladimir Putin [Clodagh Kilcoyne/Reuters]

A população pré-guerra de Bakhmut era de cerca de 70.000. Hoje, cerca de 2.000 civis permanecem na cidade; muitos estão sobrevivendo em condições miseráveis ​​à medida que o conflito se intensifica.

Charles Stratford, da Al Jazeera, relatando a cerca de um quilômetro de Bakhmut, disse que os moradores ocasionalmente arriscam suas vidas para chegar a um centro de voluntários no coração da cidade para conseguir comida e bebidas quentes.

“Não há abastecimento de água na cidade desde outubro e não há eletricidade desde agosto”, disse ele.

O foco da Rússia em Bakhmut

Depois que as forças russas capturaram as cidades de Severodonetsk e Lysychansk na região de Luhansk em junho e julho, Moscou iniciou uma ofensiva implacável em Bakhmut na região vizinha de Donetsk.

Ele usou táticas familiares, avançando com ataques terrestres destrutivos em assentamentos ao sul da cidade.

No final de julho, Moscou obteve ganhos territoriais em torno de Bakhmut e Avdiivka, assumindo o controle da usina termelétrica de Vuhlehirska, a sudeste de Bakhmut. A Rússia também tomou barricadas ucranianas ao redor da mina de carvão de Butivka, a sudoeste de Avdiivka, após a retirada da Ucrânia da área.

Em agosto, as forças russas e os mercenários do Grupo Wagner estavam pressionando em direção a Bakhmut com aumento de ataques aéreos e bombardeios. Os mercenários do Grupo Wagner também romperam as defesas ucranianas na periferia leste de Bakhmut.

Em outubro, as tropas russas conseguiram penetrar nos subúrbios do nordeste e do sul de Bakhmut, mas acabaram sendo forçadas a sair por contra-ataques ucranianos.

INTERATIVO-QUEM CONTROLA O QUE EM BAKHMUT

Escalada no inverno

Em novembro, enquanto Bakhmut suportava barragens incessantes da artilharia russa, a batalha se transformou em uma guerra de trincheiras, e centenas de pessoas foram mortas e feridas todos os dias em ambos os lados.

Kyiv disse que a Rússia estava sofrendo pesadas perdas e que muitos dos mortos pertenciam ao Grupo Wagner. Yevgeny Prigozhin, o chefe Wagner, ofereceu perdão aos condenados se eles se juntassem ao grupo e lutassem por seis meses. Desde a oferta de Prigozhin, alguns foram lançados.

Como nenhum dos lados obteve ganhos significativos, os civis foram forçados a se abrigar em porões propensos a inundações.

No final de novembro, as forças russas haviam avançado na frente sul de Bakhmut, capturando assentamentos como Ozarianivka, um vilarejo 15 km (9 milhas) a sudoeste da cidade.

Mesmo assim, de acordo com o Instituto para o Estudo da Guerra na época, era improvável que os avanços russos gerassem “efeitos em nível operacional”.

Em 20 de dezembro, o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy visitou Bakhmut, onde pediu aos combatentes ucranianos que mantivessem seu moral.

Captura de Soledar

Em 13 de janeiro, Moscou disse que suas forças haviam tomado o controle da vizinha cidade de mineração de sal ucraniana de Soledar, após semanas de intensas batalhas.

O Ministério da Defesa russo disse que a captura foi possível devido ao “bombardeio constante do inimigo” de Moscou, usando mísseis, artilharia e aeronaves.

Kyiv nega que Soledar tenha sido capturado e diz que as tropas ucranianas estão resistindo.

O ministério russo disse que o controle de Soledar permitiria que suas forças cortassem as linhas de abastecimento da Ucrânia em Bakhmut e então “bloqueassem e cercassem as unidades ucranianas lá”.

Tomar Bakhmut também abriria uma rota para as forças russas avançarem em direção a Kramatorsk e Sloviansk, redutos ucranianos na região de Donbass, que Moscou espera assumir o controle em sua totalidade.

Falando à Al Jazeera em Bakhmut, um soldado ucraniano que se identificou como Sergey, disse que as forças terrestres russas lançaram ataques maciços contra as posições de Kyiv nos últimos meses.

“Eles enviam suas tropas como ondas”, disse Sergey. “Não podemos detê-los sempre porque temos menos homens e, infelizmente, perdemos muitos homens.”

Em sua visita à linha de frente, Zelenskyy disse que a Rússia também sofreu muitas baixas: “Toda a terra perto de Soledar está coberta com os cadáveres dos ocupantes e cicatrizes dos ataques. É assim que a loucura se parece.”

Descrita como uma das campanhas mais sangrentas da guerra, a batalha por Bakhmut continua.

INTERATIVO-QUEM CONTROLA O QUE NA UCRÂNIA
(Al Jazeera)

Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *