Estônia remove estátua da era soviética em meio a tensões


0

O primeiro-ministro diz que a estátua foi removida de uma cidade de língua russa para garantir a ‘ordem pública’ em meio a ‘tensões crescentes e confusão em torno dos memoriais’.

A cidade de Narva fica no limite do flanco leste da OTAN, com uma população de quase 60.000 habitantes, a maioria dos quais são falantes de russo [File: Jeff J Mitchell/Getty Images]

A Estônia removeu um memorial da Segunda Guerra Mundial da era soviética de Narva, uma grande cidade de maioria de língua russa, acusando a Rússia de usar tais monumentos para aumentar as tensões.

O primeiro-ministro Kaja Kallas disse em comunicado que a medida foi uma resposta ao “aumento das tensões e confusão em torno dos memoriais em Narva”.

“Devemos agir rapidamente para garantir a ordem pública e a segurança interna”, disse ela na terça-feira.

A oposição local à remoção do monumento provocou temores de uma repetição dos distúrbios que eclodiram em Tallinn em 2007 devido à remoção de um monumento soviético.

Um tanque T-34 da era da Segunda Guerra Mundial que fazia parte do memorial em Narva será levado para o Museu da Guerra da Estônia e uma vala comum de vítimas da guerra receberá uma “marca de sepultura neutra”.

O prefeito de Narva, Katri Raik, havia se recusado a entregar o tanque ao museu.

O memorial é um foco para as cerimônias anuais de comemoração do Dia da Vitória na cidade e o conselho da cidade de Narva não conseguiu tomar uma decisão sobre a remoção do monumento, apesar de uma ordem do governo para fazê-lo antes do final do ano.

O ministro das Relações Exteriores Urmas Reinsalu disse que a Rússia está tentando explorar “divisões internas” na Estônia.

Kallas disse: “Não vamos dar à Rússia a oportunidade de usar o passado para perturbar a paz”.

O ministro do Interior, Lauri Laanamets, disse que é “do interesse da ordem pública e da segurança interna remover os monumentos em questão antes de um novo aumento das tensões em torno deles”.

Os estados bálticos da Estônia e da Letônia têm grandes minorias de língua russa que às vezes estão em desacordo com os governos nacionais.

Houve preocupações de que Moscou poderia tentar explorar essas diferenças para desestabilizar os países, que são membros da UE e da OTAN.

Narva, cujos 57.500 habitantes são principalmente falantes de russo, fica a cerca de 210 quilômetros (130 milhas) a leste de Tallinn e separada da cidade russa de Ivangorod pelo rio Narva.

Autoridades russas criticaram a iniciativa da Estônia de remover os monumentos remanescentes da era soviética.

“Achamos isso ultrajante. Uma guerra com uma história comum, livrar-se de monumentos para aqueles que salvaram a Europa do fascismo, é claro, é ultrajante. Isso não faz nenhuma nação parecer boa, incluindo a Estônia”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, no início deste mês.

No início deste mês, a Estônia decidiu proibir a entrada de pessoas da vizinha Rússia com visto de turista no país báltico mais ao norte como consequência da guerra na Ucrânia.

A União Européia, da qual a Estônia é membro, já proibiu as viagens aéreas da Rússia depois que Moscou invadiu a Ucrânia em 24 de fevereiro. Mas os russos ainda podem viajar por terra para a Estônia e aparentemente pegar voos para outros destinos europeus.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *