Como a musicoterapia pode melhorar os sintomas da demência


0

Embora ainda não entendamos por quê, foi demonstrado que vários tipos de musicoterapia ajudam a aliviar os sintomas da demência.

Um homem branco sênior ouvindo música e dançando em sua cozinha.

Demência é um termo genérico para diversas condições caracterizadas por uma perda de cognição, levando a alterações na memória, na linguagem, no raciocínio e até no comportamento. A demência afeta aproximadamente 55 milhões de pessoas em todo o mundo, segundo estatísticas da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Embora não haja cura para a demência, existem abordagens de tratamento que podem ajudar a retardar a progressão da doença e aliviar alguns dos sintomas da doença.

A musicoterapia – que consiste em intervenções como ouvir, cantar ou dançar música – é uma das abordagens que pode ser útil para aliviar os sintomas da demência e melhorar a sua qualidade de vida geral.

Abaixo, compartilharemos o que a pesquisa diz sobre os benefícios da música para a demência, incluindo por que a música pode ser benéfica para a demência e quais intervenções baseadas na música são mais úteis.

Ouvir música ajuda pessoas com demência?

A música é uma linguagem universal, que pode nutrir as nossas emoções, aliviar o nosso humor e até melhorar a nossa saúde geral. Na verdade, muitos anos de investigação sugerem que a música pode trazer benefícios significativos para a saúde – especialmente para pessoas que vivem com demência.

Além da forma como ouvir música melhora o humor em geral, as intervenções musicais dirigidas por um musicoterapeuta treinado também foram examinadas como um tipo de terapia para pessoas com demência.

Um grande revisão sistemática de 2020 explorou os efeitos da musicoterapia na demência. Nesta revisão, os pesquisadores avaliaram 82 estudos sobre os benefícios da musicoterapia para a função cognitiva, sintomas comportamentais e psicológicos e qualidade de vida em pessoas que vivem com demência.

De acordo com a revisão, alguns estudos descobriram que a musicoterapia pode ajudar a melhorar a memória, a cognição, o funcionamento diário e a qualidade de vida em pessoas com demência. Mas o maior impacto da musicoterapia foi na área dos sintomas comportamentais e psicológicos como depressão, ansiedade e agitação.

Um mais recente revisão de 2021 explorou a eficácia da musicoterapia para múltiplas condições, incluindo demência. Os resultados da revisão descobriram que a musicoterapia não só melhorou os sintomas de humor, como depressão e ansiedade, mas também melhorou a memória em pessoas com doença de Alzheimer leve.

Por que as pessoas com demência se lembram da sua música favorita?

A memória musical descreve o tipo de memória associada a experiências relacionadas à música, como ouvir música e tocar instrumentos musicais. A pesquisa mostrou que a área do cérebro que forma as memórias musicais pode estar separada das áreas do cérebro que formam as nossas outras memórias.

Como a área de memória musical do cérebro não parece ser tão afetada pelo declínio cognitivo, isto pode explicar por que as pessoas com demência são mais propensas a lembrar memórias musicais do que outros tipos de memórias.

Isto foi útil?

Como a musicoterapia afeta nossos cérebros?

Mas como a música pode realmente ajudar a melhorar os sintomas da demência? Embora os especialistas ainda não tenham certeza de como a musicoterapia funciona para a demência, estudos sugerem que pode haver alguns mecanismos subjacentes diferentes:

  • A música pode desencadear emoções, algo que pode promover a criação de novos neurônios no cérebro e ajudar a melhorar a memória e o humor em pessoas com demência.
  • A música ativa o sistema de recompensa do cérebro e libera dopamina, um neurotransmissor que pode ajudar a reduzir o declínio das funções cognitivas e motoras relacionado à idade.
  • A música pode reduzir o estresse e ajudar a regular o sistema imunológico, o que pode reduzir a taxa de neurodegeneração na demência e na doença de Alzheimer.

É claro que estas são apenas algumas das teorias sobre os benefícios da música para a demência – e ainda são necessárias mais pesquisas antes de podermos dizer exatamente como a musicoterapia funciona para esta condição.

Quer se envolver?

Se você quiser ajudar os pesquisadores a aprender mais sobre como a música nos afeta, você pode conferir ClinicalTrials.gov. Certifique-se sempre de discutir a participação em um ensaio clínico com seu médico.

Isto foi útil?

Que tipo de música é melhor para pessoas com demência?

Embora não pareça haver um tipo específico de música melhor para a demência, estudos sugerem que existem vários tipos diferentes de intervenções baseadas na música que podem ser promissoras.

Algumas dessas intervenções incluem:

  • sessões musicais individuais e personalizadas
  • dançar, fazer exercícios ou relaxar ao som de música
  • escrever ou discutir letras de músicas
  • cantando junto com canções ou música
  • tocar ou aprender instrumentos musicais
  • gravar e criar vídeos musicais

Como a demência afeta cada pessoa de maneira diferente, o que é útil para uma pessoa pode não ser tão útil para outra. Por exemplo, alguém que tem dificuldades com a linguagem ou a escrita pode não gostar de praticar terapia lírica. Em vez disso, eles podem achar que a dança ou a terapia de relaxamento são mais fáceis e úteis para seus sintomas.

Tal como acontece com qualquer abordagem de tratamento, a musicoterapia deve sempre ser adaptada ao indivíduo e às suas necessidades específicas.

Outros tratamentos promissores para demência

Atualmente, não há cura conhecida para a demência. No entanto, existem tratamentos que podem ajudar a retardar a progressão da doença, bem como controlar os sintomas que a doença causa.

Algumas das opções de tratamento existentes para a demência podem incluir:

  • Medicamentos: Os medicamentos para demência podem ajudar a aliviar os sintomas cognitivos e retardar a progressão da doença. Os inibidores da colinesterase e a memantina são dois medicamentos comumente prescritos para a demência.
  • Mudancas de estilo de vida: Embora não haja como reverter as alterações que a demência causa no cérebro, as mudanças no estilo de vida podem potencialmente ajudar a retardar a progressão da doença. Seguir uma dieta nutritiva, praticar exercícios regularmente, dormir o suficiente e limitar o fumo e o consumo de álcool são apenas algumas das mudanças que podem reduzir o risco de demência e retardar a progressão.
  • Tratamentos alternativos: Abordagens de tratamento complementares também podem ser benéficas para aliviar os sintomas da demência, especialmente juntamente com medicamentos e mudanças no estilo de vida. Tratamentos como fisioterapia, psicoterapia e até abordagens alternativas, como massagem terapêutica, podem ajudar a aliviar alguns dos sintomas físicos e emocionais que a demência causa.

Se alguém que você ama foi diagnosticado com demência, os tratamentos podem ajudar a retardar a progressão da doença, aliviar alguns dos sintomas e melhorar a qualidade de vida geral. Fale com o seu médico se achar que os sintomas de demência de você ou do seu ente querido não estão sendo totalmente controlados.

Saiba mais sobre tratamentos alternativos para demência aqui.

Remover

A demência é uma condição progressiva que pode ter um impacto significativo na saúde cognitiva, emocional e física de alguém.

A pesquisa mostrou que a musicoterapia pode ser benéfica para pessoas que vivem com doenças como demência e doença de Alzheimer.

Quando usadas em conjunto com outras opções de tratamento, as terapias relacionadas à música podem ajudar a aliviar alguns dos sintomas da doença e possivelmente até retardar a progressão da doença.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *