Você pode tomar naltrexona se tiver hepatite C? O que saber


0

  • A naltrexona é um medicamento que pode ser usado como parte de um plano de tratamento para transtornos por uso de álcool ou opióides.
  • Existe alguma preocupação de que este medicamento possa causar danos ao fígado causados ​​por produtos químicos (hepatoxicidade) ou possa interagir com outros medicamentos.
  • Discutir a infecção por hepatite C e sua função hepática atual com seu médico é um passo importante para determinar se este medicamento é adequado para você.

A naltrexona (nomes comerciais Revia e Vivitrol) é um medicamento usado no tratamento de transtornos por uso de álcool e opióides como parte de um programa de tratamento assistido por medicação (MAT).

Isso significa que pode ser usado em combinação com aconselhamento e terapias comportamentais como tratamento para esses transtornos por uso de substâncias.

Você pode ter dúvidas sobre se este medicamento é seguro para uso se você tiver hepatite C. Continue lendo para obter respostas para algumas perguntas comuns.

Você pode tomar naltrexona se tiver hepatite C?

Devido aos seus efeitos no fígado, existe a preocupação de que o medicamento possa causar danos no fígado causados ​​por produtos químicos (hepatoxicidade).

No entanto, seu médico ainda pode recomendar que você tome naltrexona – mesmo se você tiver hepatite C. Em alguns casos, os benefícios deste medicamento podem superar os riscos de danos ao fígado.

Na verdade, alguns profissionais de saúde sugerem que o uso continuado de álcool ou opioides pode representar mais perigo para a saúde do que tomar naltrexona.

Além disso, os ensaios clínicos e o uso pós-comercialização deste medicamento descobriram que as causas em pessoas que desenvolveram hepatoxicidade estavam mais provavelmente relacionadas a doenças hepáticas subjacentes ou outras substâncias.

Como a naltrexona é administrada?

A naltrexona pode ser fornecida por injeção intramuscular a cada 4 semanas ou diariamente na forma de comprimido. Ambas as versões são aprovadas para adultos com 18 anos de idade ou mais, embora a medicação oral seja destinada apenas ao tratamento de transtorno de uso de álcool.

Antes de começar a usar a naltrexona, é importante discutir todos os riscos e efeitos colaterais em comparação com os benefícios pretendidos desse medicamento.

Converse com seu médico sobre os seguintes fatos para ver se tomar naltrexona é apropriado para sua condição.

Riscos da naltrexona

A naltrexona bloqueia os efeitos da euforia e sedação do álcool e opioides. Também ajuda a diminuir o desejo por essas substâncias.

Ter o vírus da hepatite C (HCV) enquanto toma medicamentos que afetam o fígado pode, teoricamente, aumentar o risco de danos tóxicos ao fígado.

Foi observado um aumento das enzimas hepáticas que pode indicar doença hepática em algumas pessoas a tomar naltrexona. A forma como a naltrexona pode causar danos ao fígado é atualmente desconhecido.

No entanto, os transtornos por uso de álcool e opioides também têm consequências graves.

O consumo continuado de álcool é particularmente preocupante se você tiver uma doença hepática como o HCV. Pode aumentar o risco de complicações adicionais, como cirrose (cicatrizes) e câncer de fígado.

Portanto, seu médico pode recomendar o uso de naltrexona em um esforço para prevenir lesões por opióides e álcool em um fígado já danificado.

Outra consideração é a gravidade do HCV. Um estudo de homens com doença hepática e dependência de opióides descobriram que a naltrexona injetável era segura em participantes que tinham HCV leve a moderado. Ao mesmo tempo, a naltrexona não é recomendada para pessoas com insuficiência hepática aguda.

Efeitos colaterais da naltrexona

Apesar de sua segurança observada em pesquisas e ensaios clínicos, você ainda deve monitorar os sintomas de eventos relacionados ao fígado enquanto estiver tomando naltrexona se você tiver HCV. Os sinais de toxicidade hepática podem incluir:

  • amarelecimento dos olhos e da pele (icterícia)
  • dor de estômago crônica
  • urina escura
  • cansaço excessivo

Além de mais danos ao fígado, existem outros efeitos colaterais deste medicamento a serem considerados, tais como:

  • náusea ou vômito crônico
  • irritação da pele no local da injeção (apenas com versões intramusculares)
  • sonolência diurna
  • insônia
  • apetite diminuído
  • tontura
  • dor de cabeça
  • dores de dente
  • sintomas nasais semelhantes a um resfriado
  • dores nas articulações ou músculos
  • depressão
  • pensamentos suicidas

Fale com o seu médico se sentir quaisquer efeitos secundários da naltrexona. Não pare de tomar este medicamento a menos que seu médico lhe diga para fazer.

Ao usar opióides OTC ou prescritos enquanto toma naltrexona, há também um risco aumentado de overdose de opióides.

Com o que a naltrexona interage?

A naltrexona está disponível em comprimidos e formas injetáveis. Não importa a versão que seu médico prescreve para você, há uma possibilidade de que esse medicamento possa interagir com outros medicamentos de venda livre (OTC) e prescritos. Esses incluem:

  • Dextrometorfano (DXM), um ingrediente encontrado em alguns xaropes para tosse OTC e outros antitussígenos. Algumas marcas com este ingrediente incluem Vicks, Robitussin e Delsym.
  • Loperamida, que é encontrado em alguns medicamentos antidiarreicos OTC. Os exemplos incluem produtos feitos por Imodium e Pepto-Bismol. A pesquisa também descobriu que o uso de loperamida para a abstinência de opióides também pode aumentar o risco de emergências cardíacas.
  • Opioides de prescrição, incluindo xaropes de codeína para tosse, morfina e hidro ou oxicodona.
  • Paracetamol (Tylenol), que pode aumentar os efeitos da naltrexona no fígado.

Antes de tomar naltrexona, informe o seu médico sobre quaisquer medicamentos OTC que você toma, bem como suplementos e ervas. Você também deverá parar de tomar opioides 7 a 10 dias antes de iniciar este medicamento.

Remover

A naltrexona, um medicamento usado para tratar distúrbios do uso de opióides e álcool, pode aumentar as enzimas hepáticas e acarretar o risco de hepatotoxicidade. Esses efeitos podem ser preocupantes se você tiver uma doença hepática, como hepatite C.

No entanto, o atual corpo de pesquisa sugere que os benefícios de tomar este medicamento superam os riscos. Esse é especialmente o caso do álcool. As exceções incluem casos de formas mais graves de doença hepática, bem como insuficiência hepática.

Seu médico o ajudará a decidir se você é um bom candidato ao tratamento com naltrexona com base em sua saúde atual e função hepática. Enquanto estiver tomando este medicamento, certifique-se de seguir seu plano de tratamento cuidadosamente e relatar quaisquer reações adversas ao seu médico imediatamente.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Choose A Format
Personality quiz
Series of questions that intends to reveal something about the personality
Trivia quiz
Series of questions with right and wrong answers that intends to check knowledge
Poll
Voting to make decisions or determine opinions
Story
Formatted Text with Embeds and Visuals
List
The Classic Internet Listicles
Countdown
The Classic Internet Countdowns
Open List
Submit your own item and vote up for the best submission
Ranked List
Upvote or downvote to decide the best list item
Meme
Upload your own images to make custom memes
Video
Youtube, Vimeo or Vine Embeds
Audio
Soundcloud or Mixcloud Embeds
Image
Photo or GIF
Gif
GIF format