Variante Delta: Que tipo de imunidade oferece a maior proteção?


0

Uma nova pesquisa compara a imunidade por ter contraído o SARS-CoV-2 uma vez com a imunidade conferida por uma vacina. Ian Forsyth / Stringer / Getty Images
  • Muitas questões persistem sobre a imunidade contra SARS-CoV-2, especialmente a variante Delta.
  • Pesquisadores em Israel compararam a imunidade natural adquirida com a infecção e a imunidade adquirida com a vacinação.
  • A imunidade natural mais uma dose de vacina pode ser a combinação mais eficaz para prevenir a reinfecção.

Há muitas perguntas sobre a proteção de longo prazo fornecida pelas vacinas COVID-19. Quanto tempo dura a proteção? São necessários reforços? As vacinas são eficazes contra a variante Delta? As vacinas são tão eficazes quanto a imunidade natural?

Um estudo recém-lançado fornece dados que podem responder a algumas dessas perguntas. O papel ainda não foi revisado por pares e aparece no servidor de pré-impressão medRxiv.

Fique informado com atualizações ao vivo sobre o surto atual de COVID-19 e visite nosso centro de coronavírus para obter mais conselhos sobre prevenção e tratamento.

Proteção de longo prazo contra a vacinação

O estudo foi conduzido em Israel, um país com uma das maiores taxas de vacinação COVID-19 do mundo. Como Israel experimentou um aumento recente de casos envolvendo a variante Delta, as pessoas expressaram muitas preocupações sobre a eficácia dessas vacinas. Além disso, houve relatos oficiais de redução da proteção contra o vírus.

A Dra. Elitza S. Theel, diretora do Laboratório de Serologia de Doenças Infecciosas da Mayo Clinic, em Rochester, MN, disse recentemente Notícias médicas hoje, “A partir de vários estudos, sabemos que indivíduos soropositivos (positivos para anticorpos), seja de infecção natural anterior ou vacinação, têm um risco significativamente menor de COVID-19, em comparação com indivíduos não infectados ou não vacinados.”

No entanto, a eficácia a longo prazo das vacinas contra diferentes variantes ainda é desconhecida, apesar de relatos ocasionais de diminuição da imunidade.

Enquanto isso, o grau e a duração da proteção fornecida por uma infecção anterior por SARS-CoV-2 permanecem obscuros. E identificar reinfecções, em oposição a derramamento viral prolongado, continua a ser um desafio.

Agora, tempo suficiente já passou desde o início da pandemia e a implantação de vacinas para finalmente avaliar a proteção de longo prazo no que se refere à imunidade natural e induzida pela vacina.

Comparação de dados

Os pesquisadores em Israel compararam as taxas de infecção após a vacinação – chamada de infecção breakthrough – com as taxas de reinfecção. Os pesquisadores obtiveram os dados do banco de dados Maccabi Healthcare Services, a segunda maior organização de manutenção da saúde de Israel.

O Maccabi Healthcare Services é um fundo de saúde sem fins lucrativos, mandatado pelo estado, que cobre 26% da população de Israel e fornece uma amostra representativa dos residentes israelenses, afirmam os autores do estudo. O banco de dados inclui dados demográficos abrangentes, medições clínicas, diagnósticos ambulatoriais e hospitalares e dados laboratoriais abrangentes.

A população do estudo incluiu pessoas com pelo menos 16 anos de idade e se enquadravam em uma das três categorias:

  • aqueles que foram vacinados pelo menos 6 meses antes
  • aqueles que tiveram uma infecção de SARS-CoV-2 documentada pelo menos 6 meses antes
  • aqueles que tiveram uma infecção por SARS-CoV-2 pelo menos 6 meses antes e recebeu uma dose da vacina Pfizer-BioNTech pelo menos 7 dias antes do início do período de estudo

A imunidade natural e uma vacinação podem oferecer a melhor proteção

A análise indicou que pessoas que nunca tiveram a infecção e receberam a vacina em janeiro ou fevereiro de 2021 tinham até 13 vezes mais chances de contrair o vírus do que pessoas que já haviam contraído a infecção.

Os pesquisadores também compararam as taxas de reinfecção entre pessoas que já tiveram uma infecção confirmada de SARS-CoV-2 e ainda não foram vacinadas e pessoas que já tiveram a infecção e também receberam uma dose da vacina Pfizer-BioNTech.

Os resultados mostraram que o grupo não vacinado tinha duas vezes mais chance de contrair a infecção novamente, em comparação com aqueles que receberam uma dose da vacina.

Os resultados parecem indicar maior proteção da imunidade natural sobre a imunidade conferida pela vacina. Isso pode ser devido a uma resposta imune mais extensa às proteínas SARS-CoV-2, em comparação com a ativação imune fornecida pela vacina, sugerem os pesquisadores.

Especialistas em doenças infecciosas alertam que as descobertas não devem ser vistas como uma desculpa para renunciar à vacinação. Em uma entrevista com MNT, Dr. William Schaffner, professor de doenças infecciosas no Vanderbilt University Medical Center, em Nashville, TN, disse que as vacinas estão fazendo exatamente o que foram projetadas para fazer.

“Todas as vacinas que temos, Moderna, Pfizer e [Johnson & Johnson], são muito eficazes na prevenção da hospitalização – uma doença grave que requer admissão ao hospital. ”

Limitações do Estudo

Os pesquisadores por trás do novo estudo reconhecem várias limitações. Uma vez que a variante Delta foi dominante durante o período do estudo, os achados relativos à imunidade natural podem não se aplicar a infecções com outras variantes do SARS-CoV-2.

Além disso, a análise incluiu apenas a vacina Pfizer-BioNTech mRNA BNT162b2, portanto, os resultados podem não se aplicar a pessoas com outros tipos de vacina COVID-19.

Outras limitações incluem uma possível subestimação de infecções assintomáticas, visto que esses casos muitas vezes não são testados ou registrados.

Por fim, a análise não levou em consideração fatores como distanciamento social e uso de máscara, o que pode ter afetado os resultados.

Conclusões finais

Os resultados sugerem que a imunidade natural fornece proteção mais duradoura e mais forte contra infecções, doenças sintomáticas e hospitalização devido à variante Delta, em comparação com a proteção da vacina de duas doses Pfizer-BioNTech, concluem os pesquisadores.

Além disso, aqueles com imunidade natural apresentam proteção adicional contra a variante Delta quando administrados em dose única da vacina, de acordo com os resultados.

Os pesquisadores continuam investigando a proteção de longo prazo fornecida por uma terceira dose, ou reforço, dessa vacina.

Para obter atualizações ao vivo sobre os desenvolvimentos mais recentes relacionados ao novo coronavírus e COVID-19, clique aqui.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Choose A Format
Personality quiz
Series of questions that intends to reveal something about the personality
Trivia quiz
Series of questions with right and wrong answers that intends to check knowledge
Poll
Voting to make decisions or determine opinions
Story
Formatted Text with Embeds and Visuals
List
The Classic Internet Listicles
Countdown
The Classic Internet Countdowns
Open List
Submit your own item and vote up for the best submission
Ranked List
Upvote or downvote to decide the best list item
Meme
Upload your own images to make custom memes
Video
Youtube, Vimeo or Vine Embeds
Audio
Soundcloud or Mixcloud Embeds
Image
Photo or GIF
Gif
GIF format