Uzbequistão diz que 18 crianças morreram após consumir xarope feito na Índia


0

Incidente segue mortes semelhantes de pelo menos 70 crianças na Gâmbia depois de tomarem xaropes para tosse e resfriado feitos por uma empresa indiana.

A Índia é conhecida como a “farmácia do mundo” e suas exportações farmacêuticas mais que dobraram na última década [Courtesy: Creative Commons]

Pelo menos 18 crianças morreram após consumir um xarope fabricado pela farmacêutica indiana Marion Biotech Pvt Ltd, informou o Ministério da Saúde do Uzbequistão.

O ministério disse que 18 das 21 crianças que tomaram o xarope Doc-1 Max enquanto sofriam de uma doença respiratória aguda morreram após consumi-lo. É comercializado no site da empresa como tratamento para sintomas de gripes e resfriados.

Um lote do xarope continha etileno glicol, que o ministério disse ser uma substância tóxica. O xarope foi importado para o Uzbequistão pela Quramax Medical LLC, informou o ministério em comunicado divulgado na terça-feira.

Também disse que o xarope foi dado a crianças em casa sem receita médica, seja pelos pais ou por indicação de farmacêuticos, e em doses que excediam a dose padrão para crianças.

Não ficou imediatamente claro se todas ou algumas das crianças consumiram o lote suspeito ou consumiram mais do que a dose padrão, ou ambos.

Funcionários do ministério da saúde indiano disseram estar cientes do relatório do Uzbequistão, mas se recusaram a comentar, de acordo com uma reportagem do jornal hindu da Índia.

A Índia lançou na terça-feira inspeções de algumas fábricas de medicamentos em todo o país para garantir altos padrões de qualidade, informou a agência de notícias Reuters.

As mortes uzbeques seguem-se a semelhantes na Gâmbia, onde a morte de pelo menos 70 crianças foi atribuída a xaropes para tosse e resfriado produzidos pela Maiden Pharmaceuticals Ltd., com sede em Nova Délhi.

A Índia é conhecida como a “farmácia do mundo” e suas exportações farmacêuticas mais que dobraram na última década para US$ 24,5 bilhões no último ano fiscal.

O ministério da saúde uzbeque disse que demitiu sete funcionários por negligência por não analisar as mortes em tempo hábil e não tomar as medidas necessárias. Disse ter tomado medidas disciplinares contra alguns “especialistas”, sem especificar qual o papel dos especialistas.

Também está retirando os comprimidos e xaropes Doc-1 Max de todas as farmácias.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *