Uma carta aberta ao terapeuta que mudou minha vida


0

Suas palavras foram o torniquete que me impediu de sangrar continuamente.

Quando você disse que trabalhava para ajudar as pessoas a terem vidas incríveis, admito que ri de você. Eu ri porque, até aquele ponto, minha vida tinha sido tudo menos isso.

Você conhece a história tão bem quanto eu: fui pego em um turbilhão de vício, anorexia e trauma.

Por volta dos meus 20 e poucos anos, parecia que vivi várias vidas dignas de dor. E eu me tornei tão profundamente acostumada com isso, eu descobri que viveria o resto da minha vida como uma casca do que eu poderia ter sido.

Mas você viu além da concha e tirou a luz de mim como alquimia, como uma magia suave.

Você não teve que desmontar minhas paredes. Em vez disso, você me fez sentir seguro o suficiente para derrubá-los sozinho, para que eu pudesse encontrá-lo do outro lado.

Eu não sabia que isso poderia acontecer.

Suas palavras foram o torniquete que me impediu de sangrar continuamente. Tudo o que era doloroso, feio e cru, você encontrou com amor feroz e compaixão.

Quando eu não pude ver um futuro, você pintou um quadro vívido das noites de São Francisco, de uma vida além da borda em que eu estava, e me ajudou a reescrever a história.

Quando cheguei ao fundo do poço, a sua mão foi a que me garantiu que não havia escuridão que eu jamais encontraria sozinho.

Quando eu estava perdido, você desviou meu olhar para ver os pontos brilhantes ao meu redor, me guiando de volta para mim.

Quando viver parecia uma tarefa árdua, você me ajudou a ver a beleza do tédio.

Quando o mundo era cruel – e quando minha mente também era – suas palavras amorosas se tornaram um escudo que carreguei para a guerra.

Eu pensei que era algo quebrado para ser consertado; não alguém inteiro, para ser amado.

Mas, assim como a memória muscular, aprendi a me amar porque você fazia isso parecer tão fácil de fazer.

Estou me mudando em algumas semanas, o que significa que nossa jornada compartilhada se tornará mais separada.

Eu não era o tipo de pessoa que mergulhava na mudança, mas aprendi a abraçar os ventos inconstantes, deixando-os me levar.

Eu confio em mim mesmo.

Eu sei agora que posso confiar em mim mesmo para dirigir o navio.

A tristeza se transforma em gratidão sempre que penso em nos separar.

Gratidão porque esse profundo senso de autoestima é um jardim que plantamos juntos.

Gratidão porque a vida que construí para mim – uma aventura alegre e selvagem – foi possibilitada pelas ferramentas que você me deu.

Gratidão porque não há fio da minha vida que você não tenha tocado e, juntos, nos transformamos em ouro.

O mosaico de lições que me resta é uma bússola que manterei perto, um norte verdadeiro que sempre me apontará de volta para a direção da esperança restaurada.

Lições como: É bravura, não perfeição, que torna o mundo um lugar melhor. É a autocompaixão, não a autodisciplina, que nos ajuda a crescer. É a vulnerabilidade, não apenas a coragem, que nos torna mais fortes. É o fazer, o mover e o crescer – não o “acabado”, “lá” e “feito” – que contribui para uma vida significativa.

E o mais importante de tudo: é a conexão autêntica, não a autoproteção, que finalmente nos permite curar.

Quando estar vivo parecia um castigo, você me ajudou a ver os presentes que eu segurava em minhas pequenas mãos assustadas.

O dom de ter tempo para aprender, a capacidade de mudar e a resiliência para começar de novo, quantas vezes forem necessárias para acertar.

O presente de estar aqui o tempo suficiente para ter cruzado com você. O dom de ter subestimado você.

(Acho que o universo acertou desta vez, não é?)

Olhando para trás, eu entendo agora que não precisei ser consertado ou remontado. Eu não estava quebrado; Eu não fui um erro.

Tudo que eu realmente precisava era ser visto.

Obrigado por me receber.

Sam


Sam Dylan Finch é escritor, psicólogo positivo e estrategista de mídia em Portland, Oregon. Ele é o editor-chefe de saúde mental e condições crônicas da Healthline e cofundador da Queer Resilience Collective, uma cooperativa de coaching de bem-estar para pessoas LGBTQ +. Você pode dizer olá em Instagram, Twitter, Facebook, ou aprenda mais em SamDylanFinch.com.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Choose A Format
Personality quiz
Series of questions that intends to reveal something about the personality
Trivia quiz
Series of questions with right and wrong answers that intends to check knowledge
Poll
Voting to make decisions or determine opinions
Story
Formatted Text with Embeds and Visuals
List
The Classic Internet Listicles
Countdown
The Classic Internet Countdowns
Open List
Submit your own item and vote up for the best submission
Ranked List
Upvote or downvote to decide the best list item
Meme
Upload your own images to make custom memes
Video
Youtube, Vimeo or Vine Embeds
Audio
Soundcloud or Mixcloud Embeds
Image
Photo or GIF
Gif
GIF format