UE dá luz verde às empresas para comprar gás da Rússia


0

As empresas europeias estão começando a avançar para cumprir as exigências russas e manter o fluxo de gás.

A orientação da União Europeia não impede que as empresas abram contas no Gazprombank e permitirá que comprem gás de acordo com as sanções da UE após a invasão da Ucrânia pela Rússia [File: Krisztian Bocsi/Bloomberg]

A União Europeia disse que as empresas podem continuar comprando gás sem violar as sanções, uma vez que suavizou sua posição em um impasse com Moscou sobre o fornecimento de energia.

A Comissão Europeia enviou suas diretrizes revisadas aos Estados membros na sexta-feira, disse um porta-voz na segunda-feira. Nas recomendações atualizadas, disse que as empresas devem fazer uma declaração clara de que consideram suas obrigações cumpridas quando pagam em euros ou dólares.

As sanções da UE “não impedem os operadores económicos de abrir uma conta bancária num banco designado para pagamentos devidos ao abrigo de contratos de fornecimento de gás natural em estado gasoso, na moeda especificada nesses contratos”, afirmou a comissão. “As operadoras devem fazer uma declaração clara de que pretendem cumprir suas obrigações nos contratos existentes e considerar suas obrigações contratuais em relação ao pagamento já realizado mediante pagamento em euros ou dólares, de acordo com os contratos existentes.”

A orientação não impede que as empresas abram uma conta no Gazprombank e permitirá que comprem gás de acordo com as sanções da UE após a invasão da Ucrânia pela Rússia. Mas não atende à exigência de Moscou de abrir uma segunda conta em rublos, o que, de acordo com um decreto do presidente Vladimir Putin, é necessário para concluir o pagamento. A orientação corresponde ao que a Bloomberg informou no sábado.

Os preços do gás europeu estenderam as perdas na segunda-feira.

As empresas europeias estão começando a avançar para cumprir as exigências russas e manter o fluxo de gás. A gigante italiana de energia Eni SpA vai abrir contas em rublos e euros com o Gazprombank até quarta-feira para que possa fazer pagamentos em dia este mês e evitar riscos ao fornecimento de gás, segundo pessoas familiarizadas com a situação.

A empresa estava esperando que essas diretrizes fossem formalmente publicadas antes de agir, disse uma das pessoas.

A gigante alemã Uniper SE e a austríaca OMV AG também disseram esperar que as compras de gás continuem.

O ministro da Economia alemão, Robert Habeck, expressou otimismo na segunda-feira de que as empresas de serviços públicos alemãs poderão fazer seus próximos pagamentos de gás a Moscou, apesar do regime de sanções e das novas regras de Moscou.

“As empresas pagarão suas próximas contas em euros”, disse Habeck a repórteres durante uma visita à refinaria de Leuna, no leste da Alemanha. As sanções da UE ainda permitiriam que os bancos russos transferissem esse dinheiro internamente para as “chamadas contas K”, acrescentou, deixando em aberto se seriam contas em euros ou rublos. “Isso está, na minha opinião, em conformidade com as sanções, também de acordo com a comissão da UE”, disse ele.

O primeiro-ministro polonês Mateusz Morawiecki criticou a UE por suavizar sua posição sobre pagamentos em rublos.

“Estou desapontado ao ver que na União Europeia há consentimento para pagar o gás em rublos”, disse ele no domingo. “A Polônia seguirá as regras e não cederá à chantagem de Putin.” A Rússia interrompeu o fluxo de gás para a vizinha Polônia no final de abril.

Na íntegra, a orientação da UE diz:

“O Regulamento (UE) n.º 833/2014 do Conselho e o Regulamento (UE) n.º 269/2014 do Conselho não impedem os operadores económicos de abrir uma conta bancária num banco designado para pagamentos devidos ao abrigo de contratos de fornecimento de gás natural em estado gasoso, no moeda especificada nesses contratos para o cumprimento dos pagamentos ao abrigo dos mesmos, desde que os pagamentos sejam efetuados nessa moeda, em condições comerciais normais, ficando entendido que tais pagamentos nessa moeda exoneram definitivamente o operador económico das obrigações de pagamento decorrentes desses contratos, sem qualquer outra ação da sua parte em relação ao pagamento. Para o efeito, esses operadores devem fazer uma declaração clara de que pretendem cumprir as suas obrigações decorrentes dos contratos existentes e considerar as suas obrigações contratuais relativamente ao pagamento já cumprido mediante pagamento em euros ou dólares, de acordo com os contratos existentes.”

(Atualizações com citações de Habeck a partir do 9º parágrafo)

–Com a ajuda de Alberto Brambilla, Chiara Albanese e Arne Delfs.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *