Talk It Out: Comunicação 101 para Casais


0

casal se comunicando

Se você está em um relacionamento, é provável que tenha tido sua parte justa de momentos tensos. Não há problema em discutir – confronto é uma parte completamente normal de ser um casal.

Mas a chave para qualquer relacionamento duradouro é trabalhar para construir um vínculo mais forte e íntimo.

"A comunicação é importante porque promove a confiança e a conexão", explica Shelley Sommerfeldt, PsyD, psicóloga clínica especializada em relacionamentos. "Para ter um relacionamento aberto, honesto e vulnerável com nosso parceiro, precisamos ser capazes de nos comunicar livremente de maneira saudável".

Se você está apenas começando como casal ou está junto há anos, essas estratégias podem ajudar você a melhorar suas habilidades de comunicação.

Reconhecendo a falta de comunicação

Antes de começar a trabalhar para melhorar suas habilidades de comunicação, é importante primeiro identificar as áreas que precisam de algum trabalho.

Aqui estão alguns sinais para procurar.

Comportamento agressivo passivo

A agressão passiva é uma maneira de expressar a raiva oculta em vez de enfrentar o conflito de frente.

Isso pode se parecer com:

  • contando piadas sobre seu parceiro estar sempre atrasado
  • puni-los por se atrasarem, dando o tratamento silencioso
  • fazendo escavações sobre suas decisões

Todos esses comportamentos permitem que você expresse sua frustração sem precisar falar sobre isso. Pode parecer satisfatório no momento, mas não servirá a nenhum favor a longo prazo.

Escovar as coisas debaixo do tapete

Simplesmente evitar conflitos também não ajudará. Ignorar problemas apenas oferece a eles espaço e tempo para criar algo maior no futuro.

Usando discurso agressivo

Tornar-se abertamente defensivo ou hostil ao conversar com seu parceiro é um sinal de que você caiu em um padrão de comunicação tóxico.

A fala agressiva pode envolver:

  • levantando sua voz
  • culpar ou criticar
  • controlar ou dominar a conversa

Dicas para uma melhor comunicação

Reconhece algum dos sinais acima em seu relacionamento? Essas dicas podem ajudá-lo a promover uma comunicação mais aberta e honesta.

Processe seus sentimentos primeiro

Antes de conversar com seu parceiro sobre um problema que é perturbador para você, certifique-se de processar seus próprios sentimentos sobre o assunto e se acalmar primeiro, diz Sommerfeldt.

"Se entramos em uma conversa muito zangados, chateados ou muito emocionais, a comunicação tende a ficar muito quente e difícil de encontrar uma solução", diz Sommerfeldt.

Tente dar um passeio rápido ou ouvir música relaxante antes de falar com seu parceiro. Dessa forma, você estará mais no controle de suas emoções e poderá se comunicar bem.

Pensando em tempo

Escolher o momento certo para conversar com seu parceiro pode fazer toda a diferença, observa Sommerfeldt.

Se algo estiver pesando em sua mente, avise seu parceiro que você gostaria de se sentar e conversar.

"Se seu parceiro sabe que você gostaria de falar com ele, isso também pode ajudar a diminuir a situação, porque é menos provável que eles se sintam emboscados ou surpreendidos com um debate acalorado", diz Sommerfeldt.

Comece com declarações e sentimentos "eu"

Como falamos com nosso parceiro pode fazer toda a diferença. Muitas vezes, os casais começam uma conversa apontando o dedo para a outra pessoa e colocando a culpa, diz Sommerfeldt.

Ela recomenda iniciar conversas sobre como vocês estão sentindo. Você pode garantir isso usando instruções que começam com "I."

Por exemplo, em vez de chamar seu parceiro para se concentrar demais no trabalho, você pode dizer: "Sinto-me magoado quando você sempre se concentra no trabalho". Isso é menos acusador do que dizer: "Você está sempre focando no trabalho. "

Concentre-se em ser ouvido e ouvido

"Muitos casais entram em conversas como se fossem debates ou argumentos que devem vencer", diz Sommerfeldt.

Embora você possa não concordar com o ponto de vista do seu parceiro, é importante realmente ouvir por que ele se sente da mesma forma. Eles devem fazer o mesmo por você.

Ao discutir, não faça concorrência para ver quem ganha. Em vez disso, ouça ativamente e tente entender o ponto de vista deles.

Tornar comprometimento e resolução a meta

"Lembre-se de que o foco da comunicação com seu parceiro está chegando a um entendimento", explica Sommerfeldt.

Se você está provocando sentimentos feridos ou abordando idéias conflitantes sobre planos futuros, os dois devem deixar uma conversa com a sensação de que há algum tipo de resolução.

Geralmente, essa resolução depende de algum nível de compromisso, seja sobre a divisão de tarefas ou a tomada de decisões financeiras.

"Isso ajuda as pessoas a perdoar e seguir em frente", acrescenta ela. "Também pode trazer sentimentos de força e conexão entre parceiros".

Definir limites claros

A colocação de limites firmes também pode ajudar a evitar falhas de comunicação, aconselha Cali Estes, PhD.

Por exemplo, se as finanças são um ponto sensível, considere criar alguns limites. Talvez você decida que qualquer compra acima de US $ 500 deve ser discutida e aprovada por ambas as partes antes de pressionar o gatilho.

Deixe notas para o seu parceiro

Pode parecer pouco, mas deixar uma nota para informar seu parceiro sobre o que você está fazendo pode ser extremamente útil, diz Estes. Além de fornecer informações práticas, ele mostra ao seu parceiro que você está pensando neles e sendo atencioso com as possíveis preocupações sobre onde está.

Se você sabe que vai se encontrar com um amigo depois de comprar mantimentos, deixe um comentário rápido informando seu parceiro.

Check-in regular durante o dia

Da mesma forma, Estes recomenda fazer check-ins regulares pela manhã, na hora do almoço e à noite.

"Isso incluiria tomar o que eu chamo de temperatura do seu humor", diz Estes. "Se você estiver de mau humor, deseja que seu parceiro saiba antes de explodir." Tente usar uma escala de 1 a 10 para que seu parceiro saiba como está seu dia.

Armadilhas da comunicação a evitar

Quando se trata de comunicação, há coisas que você deseja evitar sempre que possível.

O tratamento silencioso

"As pessoas geralmente adotam o tratamento silencioso pensando que está estabelecendo limites", diz o terapeuta licenciado Jor-El Caraballo, "mas os limites funcionam melhor quando comunicados explicitamente com um parceiro, caso contrário, eles podem não perceber que cruzaram um".

É melhor ser assertivo sobre um limite, acrescenta Caraballo, do que assumir que um parceiro sabe por que você está machucado e o exclui, o que geralmente pode causar mais danos a um relacionamento.

Trazendo à tona erros do passado

É fácil adotar o hábito de relembrar o passado durante um momento de calor. A dragagem regular dos erros de seu parceiro pode ser contraproducente e apenas torná-los mais defensivos.

Gritando ou gritando

Levantar sua voz durante uma discussão ou recorrer a gritos e gritos é uma maneira ineficaz de processar sua raiva.

A longo prazo, isso pode fazer com que os argumentos se tornem mais intensos e corroam a auto-estima do seu parceiro.

Indo embora

Bloquear ou afastar-se do meio da discussão é uma maneira de se desvencilhar do seu parceiro e deixar o conflito não resolvido.

É compreensível sentir-se oprimido e precisar de um tempo limite. Certifique-se de explicar que você precisa tirar um momento da conversa.

Sarcasmo e insultos

Esteja ciente de humor inadequado quando estiver discutindo. Se você quiser quebrar o gelo, é melhor fazer uma piada inofensiva sobre si mesmo do que dizer algo negativo sobre eles.

Comportamento não verbal desrespeitoso

A linguagem corporal pode comunicar volumes. Verificar o telefone em vez de encará-lo e fazer contato visual, por exemplo, pode fazer com que a outra pessoa se sinta desrespeitada.

A linha inferior

A comunicação eficaz é a base de um relacionamento bem-sucedido, mas isso não significa que é sempre fácil.

Se estiver com dificuldades para trabalhar com as comunicações em seu relacionamento, procure um terapeuta, sozinho ou com o seu parceiro, para resolver os problemas subjacentes e desenvolver novas ferramentas.


Cindy Lamothe é uma jornalista freelancer sediada na Guatemala. Ela escreve frequentemente sobre as interseções entre saúde, bem-estar e a ciência do comportamento humano. Ela escreveu para The Atlantic, New York Magazine, Teen Vogue, Quartz, The Washington Post e muito mais. Encontre-a em cindylamothe.com.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Choose A Format
Personality quiz
Series of questions that intends to reveal something about the personality
Trivia quiz
Series of questions with right and wrong answers that intends to check knowledge
Poll
Voting to make decisions or determine opinions
Story
Formatted Text with Embeds and Visuals
List
The Classic Internet Listicles
Countdown
The Classic Internet Countdowns
Open List
Submit your own item and vote up for the best submission
Ranked List
Upvote or downvote to decide the best list item
Meme
Upload your own images to make custom memes
Video
Youtube, Vimeo or Vine Embeds
Audio
Soundcloud or Mixcloud Embeds
Image
Photo or GIF
Gif
GIF format