Quais são as opções de tratamento para hepatite autoimune?


0

A hepatite é uma doença inflamatória que pode se desenvolver com ou sem infecção viral. No caso da hepatite auto-imune, o sistema imunológico do corpo ataca erroneamente as células saudáveis ​​do fígado. Isso pode levar à cirrose ou até mesmo à insuficiência hepática, se a condição não for tratada de forma eficaz.

As opções de tratamento para hepatite autoimune incluem corticosteroides e outros medicamentos imunossupressores, bem como um estilo de vida que promova a função hepática saudável. Com tratamento precoce e apropriado, a hepatite auto-imune geralmente pode ser controlada.

O que é hepatite autoimune?

A hepatite se refere a qualquer uma das várias condições inflamatórias que afetam o fígado. Por exemplo, existem cinco tipos diferentes de hepatite viral: A, B, C, D e E. Toxinas, como álcool ou várias drogas, também podem causar hepatite.

A hepatite autoimune é menos comum, com a Organização Nacional de Doenças Raras relatando cerca de 1 a 2 novos casos por 100.000 pessoas a cada ano. Mulheres e pessoas com outras doenças auto-imunes são muito mais propensas a desenvolver hepatite auto-imune do que homens ou indivíduos sem quaisquer doenças auto-imunes.

Embora a causa não seja totalmente compreendida pela comunidade médica, pesquisadores sugerem que os três fatores-chave a seguir podem estar na raiz da hepatite auto-imune:

  • predisposição genética (ter herdado uma mutação genética responsável pela doença)
  • gatilhos ambientais
  • uma resposta anormal do sistema imunológico natural do corpo

Tal como acontece com outras doenças auto-imunes, a hepatite auto-imune significa que o sistema imunológico do seu corpo ataca as células saudáveis ​​da mesma forma que o sistema imunológico tentaria combater uma infecção. Nesse caso, as células saudáveis ​​do fígado estão sob ataque. Como resultado, o tecido hepático fica inflamado.

Essa inflamação pode ser aguda ou crônica. Os casos agudos (de curto prazo) nem sempre requerem tratamento, mas em situações raras e graves, pode progredir para insuficiência hepática.

A inflamação crônica pode causar lesão hepática contínua ao longo de meses ou anos, que pode evoluir para cicatrizes e cirrose hepática. Se não for tratado rapidamente, o tecido afetado pode ficar cicatrizado e a função hepática pode diminuir. A hepatite autoimune mal controlada pode levar à insuficiência hepática e à necessidade de um transplante de fígado.

Quais são as opções de tratamento atuais?

Casos muito leves ou fases inativas da doença podem não exigir tratamento. No entanto, para casos mais graves, o tratamento para combater os episódios agudos é importante.

Para muitos indivíduos, o uso de medicamentos por toda a vida pode ser necessário para manter a resposta auto-imune do corpo sob controle e preservar a saúde do fígado.

Os dois principais medicamentos usados ​​para tratar a hepatite autoimune são:

  • prednisona: um corticosteróide
  • azatioprina: um imunomodulador ou “agente poupador de esteróide”

Outros medicamentos podem ser adicionados em casos graves. Se os medicamentos não forem mais eficazes e houver probabilidade de insuficiência hepática, pode ser necessário um transplante de fígado.

Se possível, seu tratamento deve ser supervisionado por um hepatologista, que é um médico especialista em saúde hepática.

Prednisona

Prednisona é o corticosteroide primário usado para tratar hepatite autoimune. Geralmente é administrado em altas doses, uma vez que o diagnóstico é feito para controlar rapidamente os surtos inflamatórios. À medida que os sintomas melhoram, a dosagem geralmente é reduzida.

Os corticosteroides são medicamentos que suprimem genes inflamatórios ativados por doenças como a hepatite autoimune. A prednisona é geralmente o primeiro medicamento prescrito para tratar a doença e aquele que é prescrito novamente em caso de recidiva.

Pesquisa publicada em 2017 descobriu que a taxa de mortalidade de alguém tratado com prednisona era de cerca de 5 por cento, sugerindo que o esteróide é um tratamento altamente eficaz.

No entanto, o uso a longo prazo de prednisona e corticosteroides semelhantes está associado a vários efeitos colaterais possíveis, incluindo:

  • ganho de peso
  • níveis elevados de glicose no sangue
  • perda óssea
  • insônia
  • mudanca de humor

Outro corticosteroide, a budesonida, foi menos estudado que a prednisona, mas pode ser igualmente eficaz e pode ser acompanhado por menos efeitos colaterais.

Azatioprina

O imunomodulador mais usado para hepatite autoimune é a azatioprina (Imuran). Ele age interferindo na produção de moléculas de DNA envolvidas na inflamação.

Os imunomoduladores são usados ​​para tratar doenças autoimunes, câncer e outras doenças inflamatórias nas quais o sistema imunológico do corpo precisa ser controlado.

A azatioprina é algumas vezes usada junto com a prednisona no início do tratamento. Também pode ser introduzido assim que a dosagem de prednisona for reduzida à medida que os sintomas melhoram.

Um estudo de 2017 descobriu que a combinação de azatioprina e prednisona levou à remissão em cerca de 80 a 90 por cento de pessoas com hepatite auto-imune.

A azatioprina pode causar desconforto gastrointestinal. Tomar doses menores duas vezes ao dia e com várias horas de intervalo pode ajudar a aliviar os efeitos colaterais que podem surgir com uma grande dose.

O seu médico pode solicitar análises sanguíneas regulares no início do tratamento para garantir que está a tolerar bem com baixo risco de efeitos secundários.

Micofenolato de mofetil

O micofenolato de mofetil é uma droga imunossupressora que reduz a intensidade da resposta do sistema imunológico. É amplamente utilizado por receptores de transplantes de órgãos (incluindo transplantes de fígado).

É também um tratamento de segunda linha eficaz para hepatite auto-imune quando os tratamentos convencionais de primeira linha não foram eficazes. Em um pequeno estudo de 2017, o micofenolato de mofetil foi usado como tratamento de segunda linha e alcançou remissão em cerca de 60 por cento dos participantes.

Os efeitos colaterais deste medicamento incluem náusea e dor de cabeça, bem como problemas de sono. Você também deve saber que tomar medicamentos imunossupressores enfraquece a capacidade do corpo de combater qualquer tipo de infecção.

Transplante de fígado

Se os tratamentos padrão não forem capazes de prevenir danos significativos à função hepática – ou se o tratamento foi iniciado após a ocorrência de danos graves ao fígado – a última opção é um transplante de fígado. Quando um transplante de fígado é necessário, considera-se que você tem uma doença hepática em estágio terminal.

Apesar da natureza invasiva de um transplante de fígado, da longa recuperação e da necessidade de drogas imunossupressoras, os receptores de transplantes de fígado geralmente se dão muito bem. Pesquisa de 2015 sugere que a taxa de sobrevivência é maior do que 75 por cento aos 5 anos após o transplante.

Existem tratamentos naturais que podem ajudar com a hepatite auto-imune?

O fígado é uma espécie de burro de carga, realizando centenas de funções essenciais para manter uma boa saúde. Apenas algumas dessas muitas funções incluem:

  • produzindo bile para ajudar a quebrar as gorduras e transportar os resíduos durante a digestão
  • produzindo colesterol e várias proteínas que ajudam a mover as gorduras por todo o corpo
  • filtrando drogas e outras toxinas do sangue

Tudo o que você puder fazer para proteger o fígado, além de tomar os medicamentos prescritos pelo médico, ajudará muito. Infelizmente, não existem remédios naturais comprovados ou tratamentos alternativos para a hepatite auto-imune. No entanto, é importante tentar viver um estilo de vida saudável que ajude a proteger o fígado.

Manter uma dieta saudável com baixo teor de gordura e fazer exercícios regularmente são sempre importantes. Você também deve limitar a ingestão de álcool a uma bebida por dia, se beber. Se você experimentou danos significativos no fígado, seu médico provavelmente irá aconselhá-lo a se abster de álcool.

Quais são as perspectivas para alguém com hepatite auto-imune?

A hepatite autoimune é uma doença crônica, o que significa que você a terá pelo resto da vida. Com o tratamento adequado, é possível desfrutar de anos de remissão sem sintomas e com função hepática saudável.

A Sociedade Canadense de Pesquisa Intestinal sugere que as pessoas que respondem bem ao tratamento podem esperar ter uma expectativa de vida normal.

Além disso, um estudo de 2020 descobriu que, com terapia imunossupressora adequada, cerca de 90 por cento das 86 pessoas com hepatite autoimune neste estudo alcançaram remissão completa.

O takeaway

A hepatite autoimune é uma doença rara, mas séria, que pode levar a danos graves no fígado e potencialmente representar uma ameaça à vida. Mas, com o tratamento imediato e a manutenção da medicação em longo prazo, a hepatite auto-imune pode muitas vezes ser tratada para preservar uma vida longa e saudável.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Choose A Format
Personality quiz
Series of questions that intends to reveal something about the personality
Trivia quiz
Series of questions with right and wrong answers that intends to check knowledge
Poll
Voting to make decisions or determine opinions
Story
Formatted Text with Embeds and Visuals
List
The Classic Internet Listicles
Countdown
The Classic Internet Countdowns
Open List
Submit your own item and vote up for the best submission
Ranked List
Upvote or downvote to decide the best list item
Meme
Upload your own images to make custom memes
Video
Youtube, Vimeo or Vine Embeds
Audio
Soundcloud or Mixcloud Embeds
Image
Photo or GIF
Gif
GIF format