Navio de guerra russo participará de exercícios com as marinhas da China e da África do Sul


0

A fragata russa armada com mísseis hipersônicos Zircon participará de exercícios conjuntos na África do Sul em fevereiro, diz a TASS.

Fragata russa chamada ‘Almirante da Frota da União Soviética Gorshkov’ atracada no rio Neva durante a celebração do Dia da Marinha em São Petersburgo, Rússia, em julho passado [File: Dmitri Lovetsky/ AP]

Um navio de guerra russo armado com armas de cruzeiro hipersônico participará de exercícios com as marinhas chinesa e sul-africana em fevereiro, de acordo com a agência de notícias estatal russa TASS.

A reportagem desta segunda-feira foi a primeira menção oficial à participação da fragata russa Almirante da Frota da União Soviética Gorshkov.

A fragata está armada com mísseis Zircon, que voam a nove vezes a velocidade do som e têm um alcance de mais de 1.000 km (620 milhas).

Os mísseis formam a peça central do arsenal hipersônico da Rússia, juntamente com o veículo planador Avangard que entrou em serviço de combate em 2019.

“’Almirante Gorshkov’ … irá para o ponto de apoio logístico em Tartus, na Síria, e depois participará de exercícios navais conjuntos com as marinhas chinesa e sul-africana”, disse a TASS em seu relatório, citando uma fonte de defesa não identificada.

A Força de Defesa Nacional da África do Sul disse que os exercícios ocorrerão de 17 a 26 de fevereiro perto das cidades portuárias de Durban e Richards Bay, na costa leste da África do Sul.

Ele disse na quinta-feira que o exercício conjunto visa “fortalecer as relações já florescentes entre a África do Sul, a Rússia e a China”.

O exercício será o segundo envolvendo os três países da África do Sul, depois de um exercício em 2019, acrescentou a força de defesa.

O Gorshkov realizou exercícios no Mar da Noruega no início deste mês, depois que o presidente Vladimir Putin o enviou ao Oceano Atlântico em um sinal ao Ocidente de que a Rússia não recuaria com a guerra na Ucrânia.

Putin disse anteriormente que a fragata e seus mísseis Zircon “não têm análogos no mundo”.

O presidente russo vê as armas como uma forma de perfurar as defesas antimísseis cada vez mais sofisticadas dos Estados Unidos.

Rússia, Estados Unidos e China estão em uma corrida para desenvolver armas hipersônicas, vistas como uma forma de ganhar vantagem sobre qualquer adversário por causa de sua velocidade e manobrabilidade, características que as tornam mais difíceis de detectar.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *