Compreendendo a esquizofrenia


0

O que é esquizofrenia?

A esquizofrenia é um tipo raro, embora complexo, de transtorno mental que pode ter ramificações que alteram a vida. Embora menos de 1 por cento das pessoas em todo o mundo corram o risco de desenvolver esquizofrenia, aqueles que o fazem podem sofrer de delírios, alucinações e ter grandes dificuldades em situações sociais ou ocupacionais.

Conhecer os sintomas e fatores de risco da esquizofrenia – incluindo quando os sintomas começam a se manifestar – pode ajudá-lo a identificar os sinais de alerta. Clique em “próximo” para começar a aprender mais sobre esse complicado transtorno mental.

Sintomas de Esquizofrenia

Os sintomas da esquizofrenia são categorizados de duas maneiras:

Positivo: reflete um excesso ou distorção de funções normais, como delírios, alucinações, fala desorganizada e comportamento extremamente desorganizado ou catatônico Negativo: reflete funcionamento diminuído, incluindo expressão emocional limitada, produtividade restrita de pensamento e fala, bem como a falta de iniciando um comportamento orientado para um objetivo Um mito sobre a esquizofrenia é que ela envolve personalidades divididas. Embora o termo esquizofrenia signifique “mente dividida”, ele se refere a emoções e processos de pensamento, não a personalidades.

Esquizofrenia paranóica

A esquizofrenia paranóica envolve delírios – crenças errôneas envolvendo uma interpretação errônea de experiências ou percepções – ou alucinações auditivas – “vozes” distintas dos próprios pensamentos de uma pessoa. Os delírios são muitas vezes grandiosos, seguindo um único tema: perseguição, ciúme, religião, etc. Eles também podem exibir o seguinte:

  • ansiedade
  • raiva
  • comportamento indiferente ou argumentativo
  • Aqueles com delírios persecutórios também podem ser violentos ou suicidas, mas têm a maior capacidade de se tornar funcionalmente estáveis ​​com o tempo.

Esquizofrenia Desorganizada

A esquizofrenia desorganizada, anteriormente chamada de hebefrênica, inclui diferentes tipos de desorganização na fala e no comportamento. Isso significa que uma pessoa pode falar em círculos ou fora do tópico ou dar respostas não relacionadas ao que está sendo perguntado. Esse comportamento prejudica a capacidade da pessoa de realizar atividades diárias, como preparar refeições, tomar banho ou vestir-se.

Uma pessoa com esquizofrenia desorganizada geralmente terá uma expressão neutra ou se comportará de maneira inadequada em situações sociais. A pessoa pode apresentar um comportamento estranho, como fazer caretas ou agir como bobo e rir em momentos inadequados.

Esquizofrenia Catatônica

A esquizofrenia catatônica pode aparecer como extrema imobilidade e indiferença, enquanto outras vezes se manifesta como um comportamento semelhante ao do gato. Os sintomas estão relacionados a distúrbios psicomotores, como imobilidade, mutismo ou recusa persistente de ordens e instruções sem motivo (negativismo). A pessoa, às vezes, pode parecer estar em um estado de estupor.

Os esquizofrênicos catatônicos podem frequentemente repetir algo que alguém acabou de dizer (ecolalia) ou repetir as ações de alguém (ecopraxia).

Esquizofrenia residual e indiferenciada

A esquizofrenia residual refere-se ao tempo depois que uma pessoa teve pelo menos um episódio esquizofrênico, mas não mostra mais nenhum sintoma positivo importante. No entanto, a pessoa apresenta alguns sintomas negativos, como falar pouco, ter uma fala levemente desorganizada ou ter crenças inexplicáveis.

A esquizofrenia indiferenciada é uma classificação usada quando uma pessoa apresenta sintomas de diferentes tipos de esquizofrenia.

Esquizofrenia em crianças e adultos

A esquizofrenia com início na criança geralmente aparece após os 5 anos de idade e segue um desenvolvimento normal específico para a idade. A esquizofrenia infantil é rara e pode ser difícil distingui-la de outros transtornos do desenvolvimento infantil, como o autismo.

Em adultos, os sintomas da esquizofrenia geralmente começam a aparecer antes dos 45 anos. Os homens costumam apresentar sintomas na adolescência ou na casa dos 20 anos, enquanto as mulheres começam a apresentar os sintomas na casa dos 20 ou 30 anos. As taxas de incidentes são divididas igualmente entre homens e mulheres.

Causas e fatores de risco da esquizofrenia

Embora a pesquisa ainda não tenha determinado o que causa a esquizofrenia, alguns estudos apontaram algumas explicações e gatilhos possíveis:

  • fatores genéticos
  • infecção durante o desenvolvimento no útero
  • infecções graves durante a primeira infância
  • fatores psicológicos e sociais

Testes e diagnóstico de esquizofrenia

Nenhum exame médico pode confirmar a esquizofrenia, mas uma tomografia computadorizada (TC) costuma ser usada para descartar outros distúrbios cerebrais. Os psiquiatras ou psicólogos geralmente fazem o diagnóstico final de esquizofrenia com base nas informações fornecidas pelo paciente, família ou amigos. Isso inclui:

  • tempo que os sintomas estiveram presentes (mais de seis meses)
  • mudanças no nível de função de uma pessoa
  • fundo de desenvolvimento
  • histórico médico
  • história familiar da doença
  • respostas à medicação

Tratamento para Esquizofrenia

Um grande obstáculo no tratamento de uma pessoa que sofre de esquizofrenia é sua disposição em obedecer.

Para prevenir uma recaída, a esquizofrenia requer um tratamento vitalício, mesmo após a diminuição dos sintomas. Durante os períodos em que os sintomas são graves, a hospitalização pode ser necessária para manter a pessoa segura e fornecer cuidados adequados.

Enquanto um psicólogo ou psiquiatra faz um diagnóstico oficial, o atendimento coordenado pode envolver assistentes sociais, gerentes de caso e enfermeiras psiquiátricas como parte da terapia contínua.

Medicação para esquizofrenia

Os medicamentos de prescrição mais comuns para esquizofrenia são os antipsicóticos, por causa de seu efeito sobre os neurotransmissores com efeitos colaterais baixos. Alguns antipsicóticos comumente prescritos incluem:

  • Aripiprazol (Abilify) – aprovado para adolescentes
  • Clozapina (Leponex)
  • Olanzapina (Zyprexa)
  • Paliperidona (Invega)
  • Quetiapina (Seroquel)
  • Risperidona (Risperdal) – aprovado para adolescentes
  • Ziprasidona (Geodon)

Vivendo com Esquizofrenia

Os avanços na medicação e em outras terapias estão ajudando os esquizofrênicos todos os dias, mas não há cura. Muitos esquizofrênicos também se beneficiam da reabilitação ou vida assistida, o que ajuda a prevenir outros problemas como abuso de substâncias, automutilação, doença física ou recidiva dos sintomas.

Acompanhar os tratamentos da esquizofrenia é a melhor maneira de prevenir a recorrência dos sintomas, mas obter ajuda – para você ou um ente querido – é o mais importante. Continuar a aprender sobre a esquizofrenia pode ajudá-lo a alcançar os objetivos do tratamento de viver uma vida feliz e funcional.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Choose A Format
Personality quiz
Series of questions that intends to reveal something about the personality
Trivia quiz
Series of questions with right and wrong answers that intends to check knowledge
Poll
Voting to make decisions or determine opinions
Story
Formatted Text with Embeds and Visuals
List
The Classic Internet Listicles
Countdown
The Classic Internet Countdowns
Open List
Submit your own item and vote up for the best submission
Ranked List
Upvote or downvote to decide the best list item
Meme
Upload your own images to make custom memes
Video
Youtube, Vimeo or Vine Embeds
Audio
Soundcloud or Mixcloud Embeds
Image
Photo or GIF
Gif
GIF format