Como recuperar arquivos excluídos no Linux com testdisk


0

Uma ilustração de uma janela de terminal em um computador Linux.
Fatmawati Achmad Zaenuri / Shutterstock

Você já excluiu um arquivo e se arrependeu instantaneamente? Você precisa disso de volta e rápido! Mas e se o arquivo for tão novo que ainda não tenha sido feito o backup? Felizmente, há algo que você pode fazer a respeito.

rm: Abreviação de Remorse?

É muito fácil usar o rm comande e encontre-se olhando para uma janela de terminal com um sentimento de pesar cada vez mais profundo. Um pequeno erro com curingas, e você pode eliminar muito mais do que pretendia.

O sistema de arquivos Linux padrão, ext4 usa inodes para armazenar dados sobre cada arquivo e uma tabela de inodes para controlar os inodes. O inode contém metadados sobre o arquivo, como seu nome, quem o possui, quais são as permissões e assim por diante.

Ele também contém pontos de entrada para links físicos que apontam para o arquivo. Cada arquivo possui pelo menos um link físico. Cada vez que você cria um novo link físico, a contagem de links físicos aumenta em um. Cada vez que você remove um link físico, a contagem de links físicos no inode é reduzida em um.

Quando você exclui um arquivo que o inode marcou como não utilizado (e pronto para reutilização), o último link físico é removido. Quando isso acontece, o arquivo não aparece nas listas de diretórios e não pode ser usado ou acessado.

No entanto, os dados que compõem o conteúdo do arquivo ainda estão presentes no disco rígido. Se você pudesse corrigir o inode para que contivesse as informações corretas, o arquivo seria restaurado. Claro, isso só funcionaria se os dados que compõem o arquivo no disco rígido permanecessem intactos e não fossem sobrescritos.

Como alternativa, você pode criar um novo inode, copiar os dados remanescentes do inode antigo e, em seguida, substituir os bits ausentes.

Essas são atividades não triviais. Normalmente, quando você exclui um arquivo por engano, é no pior momento possível. É sempre quando você precisa desse arquivo e precisa dele agora. Você não tem tempo para se sujar com os editores do setor e outros utilitários. Além disso, se for um arquivo que você acabou de criar, provavelmente ainda não foi feito o backup, então isso também não vai ajudá-lo.

Onde testdisk vem. É fácil de usar e não requer conhecimento detalhado e de baixo nível do sistema de arquivos. Vamos dar uma olhada em como usá-lo!

RELACIONADOS: Tudo o que você sempre quis saber sobre inodes no Linux

Instalando testdisk

Para instalar testdisk no Ubuntu, use este comando:

sudo apt-get install testdisk

No Fedora, você precisa digitar:

sudo dnf install testdisk

No Manjaro, você deve usar pacman:

sudo pacman -Sy testdisk

Usando testdisk

Embora seja executado em uma janela de terminal, testdisk tem uma interface rudimentar. Use as teclas de seta para navegar e Enter para fazer uma seleção. Para manter as coisas organizadas, é melhor criar um diretório para os arquivos restaurados.

Nós digitamos o seguinte para criar um diretório chamado “restaurado” para nossos arquivos restaurados:

mkdir restored

Nós digitamos o seguinte para mudar para o novo diretório e iniciar testdisk de lá:

cd restored/

Temos que usar sudo com testdisk, então digitamos o seguinte:

sudo testdisk

A primeira pergunta testdisk pergunta é sobre registro. Ele pode criar um novo arquivo de log, usar um existente ou não registrar nada. Não importa qual opção você escolher; não afetará o caminho testdisk opera.

Você pode simplesmente pressionar Enter para aceitar a opção destacada e criar um novo arquivo de log. Será criado no diretório a partir do qual você começou testdisk. Quando você faz sua seleção, testdisk pergunta qual disco rígido contém o sistema de arquivos no qual você deseja trabalhar.

Ele lista os discos rígidos que pode encontrar, bem como os squashfs Arquivos “/ dev / loop”. Haverá um para cada aplicativo que você instalou de um snap. Eles são somente leitura, então você não deveria ter excluído nada desses sistemas de arquivos.

Há apenas um disco rígido físico neste computador de teste, então usamos a seta para baixo para destacar a opção “/ dev / sda”. Em seguida, usamos a seta para a direita para selecionar “Continuar” e pressionamos Enter.

testdisk também precisa saber o tipo de partição. Ele apresenta um menu de opções, junto com o tipo de partição que é detectado automaticamente na parte inferior.

A menos que você tenha um bom motivo para não fazê-lo, destaque o tipo de partição que foi detectado automaticamente e pressione Enter.

No menu de funções que aparece, destaque “Advanced” e, a seguir, pressione Enter.

O menu de seleção de partição aparecerá.

Os arquivos que procuramos estão na partição do sistema de arquivos Linux. Temos apenas uma partição Linux em nosso disco rígido, mas você pode ter mais.

Selecione a partição em que seus arquivos estavam, use as teclas de seta para a esquerda e para a direita para selecionar “Listar” e pressione Enter. O menu de seleção de arquivo aparecerá.

Use as setas para cima e para baixo ou as teclas PgUp e PgDn para navegar pela lista de arquivos e diretórios. Pressione a seta para a direita ou Enter para entrar em um diretório e a seta para a esquerda ou Esc para sair de um diretório.

Estamos procurando arquivos que pertenciam a dave. Os arquivos de todas as contas de usuário estão no diretório “Home”. Assim, destacamos o diretório “Home” e, em seguida, podemos pressionar a seta para a direita ou Enter para entrar nesse diretório.

Todas as contas de usuário são listadas para nós. Destacamos davee, a seguir, pressione a seta para a direita ou Enter para entrar nesse diretório.

Agora podemos ver os arquivos que pertencem ao dave conta. As entradas em vermelho foram excluídas. Navegamos pelos arquivos e diretórios até localizar os arquivos que desejamos recuperar.

Para recuperar um arquivo, basta realçá-lo e pressionar c (minúsculas).

O visor muda e informa para você escolher um destino para o arquivo recuperado. Porque criamos um diretório chamado “Restaurado” e começamos testdisk dele, a primeira entrada da lista (.) é esse diretório. Para recuperar esse arquivo excluído para aquele diretório, pressionamos C (maiúscula).

Depois de fazer isso, você retornará à tela de seleção de arquivos. Se você quiser recuperar mais arquivos, basta repetir o processo. Destaque um arquivo excluído, pressione c (minúsculas) para copiá-lo e, em seguida, pressione C (maiúsculas) para recuperá-lo.

Trabalho com arquivos restaurados

Depois de restaurar um arquivo, a árvore de diretórios em seu local original é reconstruída, o que é útil porque lembra onde no disco rígido o arquivo original costumava residir. Isso significa que, se precisar copiá-lo de volta, você sabe onde colocá-lo.

Se você recuperar vários arquivos de locais diferentes do sistema de arquivos que possuem o mesmo nome de arquivo, eles precisarão ser armazenados separadamente de qualquer maneira.

Você pode digitar o seguinte para ver o conteúdo do diretório “Restaurado”:

ls

Se você perguntou testdisk para criar um arquivo de log, ele estará no diretório “Restaurado”. Como nossos arquivos recuperados estavam localizados em “/ home / dave”, eles foram copiados para nosso diretório “Restaurado”, aninhado em diretórios com o mesmo nome.

Podemos mudar para o diretório “dave” copiado usando cd. Certifique-se de não incluir uma barra inicial (/) no caminho – você deseja mudar para a “casa” local, não o sistema “/ casa”.

Nós digitamos o seguinte:

cd home/dave

Os arquivos recuperados estão nesse diretório, então digitamos:

ls

Vamos dar uma outra olhada nos arquivos recuperados usando o -l (lista longa) opção:

ls -l

Porque usamos sudo lançar testdisk, os arquivos recuperados foram restaurados com “root” como proprietário. Podemos mudar o proprietário de volta para “dave” usando chown:

sudo chown dave.dave *

Digitamos o seguinte para garantir que a propriedade correta foi restaurada:

ls -l

testdisk: Code for Relief

Aquela sensação de alívio depois de recuperar um arquivo importante que, há poucos instantes, parecia irremediavelmente perdido, é algo que você sempre apreciará.

É por isso testdisk é um utilitário muito útil. Depois de percorrer os menus e começar a restaurar arquivos, é fácil cair em um ritmo de destaque, c, C, repetir.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Choose A Format
Personality quiz
Series of questions that intends to reveal something about the personality
Trivia quiz
Series of questions with right and wrong answers that intends to check knowledge
Poll
Voting to make decisions or determine opinions
Story
Formatted Text with Embeds and Visuals
List
The Classic Internet Listicles
Countdown
The Classic Internet Countdowns
Open List
Submit your own item and vote up for the best submission
Ranked List
Upvote or downvote to decide the best list item
Meme
Upload your own images to make custom memes
Video
Youtube, Vimeo or Vine Embeds
Audio
Soundcloud or Mixcloud Embeds
Image
Photo or GIF
Gif
GIF format