Como navegar na cena das drogas na faculdade


0

Decidir ou não usar drogas é uma decisão pessoal que só você pode tomar.

Imagens Maskot / Getty

Ir para a faculdade é um momento de mudança de vida. Mesmo que você já tenha feito algumas incursões no “mundo real”, provavelmente encontrará certas coisas pela primeira vez no campus.

As drogas são apenas um exemplo. Talvez você nunca tenha convivido com drogas antes, mas ouviu muitos rumores no colégio sobre quem estava usando o quê. Ou talvez você já tenha experimentado um pouco. Independentemente de sua experiência anterior com as drogas, navegar na cultura das drogas na faculdade pode ser intimidante.

Quer você pretenda usar drogas ou não, essas dicas podem ajudá-lo a navegar melhor no cenário das drogas e manter você (e seus amigos) seguros.

Acreditamos que saúde e bem-estar são para todos. É por isso que temos o compromisso de fornecer informações imparciais e baseadas em evidências sobre drogas, incluindo estratégias de redução de danos, independentemente do status legal.

Saiba mais sobre os princípios da redução de danos.

Eduque-se

Sempre haverá um grau de risco associado ao consumo de qualquer droga, não importa o quão cuidadoso você seja. Mas se você decidir usar drogas, um pouco de pesquisa leve pode fazer uma grande diferença.

Você não precisa ser um especialista, mas vale a pena se familiarizar com os medicamentos que está considerando. Quais são os potenciais efeitos colaterais? O que constitui uma dose típica?

Preste muita atenção a qualquer menção de potenciais interações com:

  • Medicamentos prescritos. Por exemplo, consumir cocaína enquanto toma certos antidepressivos (especialmente SSRIs como Zoloft) aumenta o risco de uma condição séria chamada síndrome da serotonina.
  • Outras drogas. Isso inclui álcool. Quando você combina álcool com outros depressores (ou “deprimentes”), pode diminuir sua freqüência cardíaca a um nível perigosamente baixo. Misturar álcool com estimulantes (ou “gáspeas”), por outro lado, tende a mascarar os efeitos comuns do álcool, aumentando suas chances de intoxicação por álcool.

O site TripSit oferece fichas técnicas sobre vários medicamentos e um banco de dados de possíveis interações. Esteja ciente de que muitas dessas informações são baseadas nas experiências das pessoas e podem não ser 100 por cento precisas. Use-o como uma fonte de orientação, não uma resposta definitiva.

Se você estiver experimentando uma droga pela primeira vez, tente fazê-lo em um ambiente seguro e confortável, como seu quarto ou o de um amigo. Tenha pelo menos uma pessoa por perto que não participará, para que possa intervir se as coisas mudarem.

Pode ser tentador pular na hora quando alguém oferece algo em uma festa, especialmente se você não conhece ninguém e está tentando fazer novos contatos. Mas isso pode deixá-lo em uma posição vulnerável se começar a sentir efeitos inesperados.

No final do dia, ouça seu instinto. Se algo não parecer certo, você pode dizer “não” a qualquer momento e se retirar da situação.

Não se esqueça da queda

Como a ressaca depois de beber álcool, você pode se ver enfrentando uma “queda” depois de usar drogas. A natureza da redução varia de medicamento para medicamento e depende de vários outros fatores, como a quantidade que você ingeriu e a composição corporal.

Isso pode parecer alarmante, especialmente se você acabou de tentar algo pela primeira vez. Mas, embora desagradáveis, as quedas são uma parte esperada do consumo de uma variedade de substâncias, especialmente estimulantes como cocaína ou metanfetamina. Se você já caiu depois de tomar muito café, provavelmente já teve uma pequena amostra de como é isso.

Se você se encontrar nesse cenário, dê ao seu corpo o máximo de tempo possível para se recuperar. Descanse bastante, mantenha-se hidratado e tente comer alguma coisa. Alimentos fáceis e leves, como biscoitos ou torradas, costumam ser uma aposta segura se você estiver se sentindo um pouco enjoado. Se você estiver tendo dificuldade em manter alguma coisa no estômago, tente chupar gelo ou um picolé para colocar um pouco de líquido em seu sistema.

Acima de tudo, lembre-se de que é apenas temporário. Pode não parecer no momento, mas você vai sinta-se melhor em 1 ou 2 dias. Lembre-se de que essa é uma parte esperada do uso de certas drogas, então não se sinta constrangido em dizer a seus amigos ou colegas de quarto que você não está se sentindo bem ou pedir ajuda. Não significa que você é “fraco” ou “não consegue lidar com isso”.

Se você está preocupado com seus amigos

Talvez você não queira usar drogas, mas está preocupado com seus amigos que estão experimentando. Se quiser ajudar, a maior coisa que você pode fazer é ficar de olho neles para observar quaisquer sinais de uma experiência ruim.

Se você decidir encerrar a noite antes deles, tente confirmar onde eles dormirão ou passarão o resto da noite. Se você não se importa em ser um recurso, certifique-se de que eles saibam que podem ligar para você se algo der errado ou se eles não estiverem se sentindo bem.

Você (e seus amigos) também devem saber como reconhecer uma overdose potencial. Ligue para o seu número de emergência local imediatamente se perceber que alguém está passando por:

  • frequência cardíaca rápida, lenta ou irregular
  • respiração anormal ou dificuldade para respirar
  • mudanças na cor da pele
  • convulsões ou perda de consciência
  • mudanças na temperatura corporal
  • ansiedade ou agitação
  • forte dor de cabeça ou no peito

Ao ligar para pedir ajuda, tente dar à operadora o máximo de informações possível, incluindo quais medicamentos foram tomados e a quantidade. Preocupado com as consequências legais de ligar para o 911? Veja o que esperar quando você ligar.

Atenha-se aos seus limites

Em última análise, decidir usar drogas é uma decisão pessoal que só você pode tomar. O mesmo vale para quando, como e com quem você usa drogas.

Reserve algum tempo para escrever quaisquer limites que você deseja seguir. Por exemplo:

  • Existem certas drogas que você deseja evitar?
  • Existem certos cenários em que você deseja ter certeza de que não está sob a influência de nada?
  • Você quer se limitar a um certo número de noites de “festa” por semana ou mês?

Ter todas essas informações em mente com antecedência pode tornar mais fácil tomar decisões rápidas quando necessário.

Se você se sente pressionado a participar, mas prefere não, lembre-se de que não precisa experimentar drogas para ter a “verdadeira” experiência da faculdade. Provavelmente, muitos outros alunos estão tendo sentimentos semelhantes, então, se você decidir ficar longe do cenário das drogas, não estará sozinho.

Também é importante notar que muitos estudantes universitários relatam que a pressão dos colegas não é tão problemática quanto era no ensino médio. Você provavelmente também está cercado por uma população estudantil muito maior do que no ensino médio. Se um determinado grupo decidir que não quer ficar perto de você por causa de sua escolha, há muitos outros amigos para fazer, clubes para ingressar e atividades para se envolver.

O resultado final

A cena das drogas na faculdade pode ser difícil de navegar, especialmente porque não existem muitos recursos oferecidos externamente sobre como navegá-la. Mas com um pouco de pesquisa e preparação, você pode tomar medidas para tornar as coisas um pouco menos assustadoras (para não dizer mais seguras) para você e seus amigos.

Não importa o quanto você se envolva, mantenha o que for confortável para você, cuide de seus amigos e saiba o que fazer em uma emergência.

Se você está preocupado com o uso de drogas, há ajuda disponível:

  • Fale com o seu profissional de saúde primário se você se sentir confortável para fazê-lo.
  • Faça a autoavaliação do Shatterproof e obtenha orientação sobre as próximas etapas.
  • Ligue para a Linha de Apoio Nacional da Administração de Abuso de Substâncias e Serviços de Saúde Mental no telefone 800-662-4357, a qualquer hora do dia.
  • Encontre um grupo de apoio local por meio de Narcóticos Anônimos ou Projeto de Grupo de Apoio.

Adam England é um escritor e jornalista freelance. Seu trabalho apareceu em publicações incluindo The Guardian, Euronews e VICE UK. Ele se concentra em saúde, cultura e estilo de vida. Quando ele não está escrevendo, provavelmente está ouvindo música.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Choose A Format
Personality quiz
Series of questions that intends to reveal something about the personality
Trivia quiz
Series of questions with right and wrong answers that intends to check knowledge
Poll
Voting to make decisions or determine opinions
Story
Formatted Text with Embeds and Visuals
List
The Classic Internet Listicles
Countdown
The Classic Internet Countdowns
Open List
Submit your own item and vote up for the best submission
Ranked List
Upvote or downvote to decide the best list item
Meme
Upload your own images to make custom memes
Video
Youtube, Vimeo or Vine Embeds
Audio
Soundcloud or Mixcloud Embeds
Image
Photo or GIF
Gif
GIF format