Chanceler austríaco diz a Putin da Rússia para acabar com guerra na Ucrânia


0

O chanceler Karl Nehammer disse que manteve conversas “muito diretas, abertas e duras” com o presidente russo em Moscou.

Nehammer disse ter dito a Putin que a União Europeia está “tão unida como nunca na questão das sanções e que elas permanecerão em vigor – e podem até ser reforçadas – enquanto os ucranianos continuarem a morrer”. [Maxim Shemetov/Reuters]

O chanceler austríaco, Karl Nehammer, disse que instou o presidente russo, Vladimir Putin, a encerrar a invasão da Ucrânia e levantou a questão de “graves crimes de guerra” cometidos pelos militares russos durante as negociações em Moscou.

Nehammer foi o primeiro líder europeu a se encontrar com Putin desde que a Rússia lançou sua invasão da Ucrânia em 24 de fevereiro.

Em um comunicado divulgado após a reunião na segunda-feira, o chanceler austríaco disse que sua principal mensagem a Putin nas conversas “muito diretas, abertas e duras” foi que “esta guerra precisa terminar, porque na guerra ambos os lados só podem perder”.

Nehammer disse a Putin que todos os responsáveis ​​por crimes de guerra na cidade ucraniana de Bucha e em outros lugares seriam “prestados a prestar contas”.

Ele também enfatizou a necessidade de abrir corredores humanitários para que civis presos em cidades sob ataque possam acessar suprimentos básicos como comida e água, segundo seu comunicado.

O líder austríaco chamou a viagem a Moscou de seu “dever” de esgotar todas as possibilidades para acabar com a violência na Ucrânia, apenas dois dias depois de viajar a Kiev para conversar com o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy.

A Áustria, membro da União Européia, apoiou as sanções do bloco de 27 nações contra a Rússia, embora até agora tenha se oposto ao corte de entregas de gás russo. O país é militarmente neutro e não é membro da OTAN.

Neutralidade militar, mas não moral

Mas Nehammer e outras autoridades austríacas fizeram questão de enfatizar que a neutralidade militar não significa neutralidade moral.

“Somos militarmente neutros, mas temos uma posição clara sobre a guerra de agressão russa contra a Ucrânia”, escreveu Nehammer no Twitter no domingo. “Tem que parar!”

Nehammer disse ter dito a Putin que a UE está “tão unida como sempre” na questão das sanções, e que elas permanecerão em vigor – e podem até ser reforçadas – se a guerra continuar.

Críticos em casa

Embora o chanceler alemão, Olaf Scholz, tenha saudado a reunião, as reações em casa incluíram surpresa e ceticismo.

O parceiro de coalizão do conservador Nehammer, os verdes de esquerda, criticou a visita.

“Não posso tolerar uma visita a Putin”, escreveu no Twitter a porta-voz de relações exteriores dos Verdes, Ewa Ernst-Dziedzic.

“Isso não tem nada a ver com diplomacia. Este também não é um roteiro acordado para as negociações. Putin usará isso para sua propaganda.”

Reinhard Heinisch, professor de política comparativa austríaca da Universidade de Salzburgo, escreveu no Twitter: “Esperamos que haja mais na visita do chanceler austríaco #Nehammer a Putin do que foi dito e aparenta. A Áustria serviu com muita frequência no papel de idiota útil de Moscou no passado.”


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *