As armas que estão sendo enviadas para a Ucrânia e por que elas podem não ser suficientes


0

As armas que a Ucrânia recebe serão vitais para o resultado da guerra, mas conseguirá o afluxo de armas pesadas de que necessita?

Um militar ucraniano dispara uma arma antitanque NLAW durante um exercício na Operação de Forças Conjuntas, na região de Donetsk, no leste da Ucrânia, em 15 de fevereiro de 2022 [File: AP Photo/Vadim Ghirda]

A Ucrânia surpreendeu o mundo ao paralisar a invasão da Rússia. A maior parte do mundo ficou horrorizada quando o presidente russo, Vladimir Putin, ordenou que seus militares atacassem seu vizinho no final de fevereiro. Esperava-se que o novo exército russo profissional fizesse avanços radicais, sua reputação de eficácia ainda não conquistada, mas assumida.

No entanto, a resistência ucraniana foi muito mais forte do que o previsto e as colunas blindadas russas não foram apenas interrompidas, mas em muitos casos destruídas à medida que a Ucrânia alavancou as armas que tinha com o maior efeito, seu compromisso de se defender com grande energia, surpreendendo a Rússia e o mundo. Desde então, a Ucrânia tem visto uma enxurrada de armas à medida que as armas chegam da Europa e dos Estados Unidos.

No início da guerra, a Ucrânia tinha um exército ligeiramente maior que o da França. Bem treinado, foi equipado principalmente com armas herdadas soviéticas, como os tanques T-72 e T-80, baterias de mísseis de defesa aérea S-300 e uma mistura de caças Sukhoi e MiG.

Apesar dos muitos sucessos da Ucrânia, da paralisação do avanço sem brilho da Rússia e da negação da Ucrânia de seu espaço aéreo aos jatos russos, o desgaste do conflito no estoque de armas da Ucrânia era inevitável.

A Ucrânia precisará de um influxo de armas pesadas se quiser sobreviver e prevalecer sobre a próxima ofensiva russa. A reputação da Rússia está em frangalhos, suas forças armadas agora são sinônimo de inépcia e brutalidade. Putin juntou armas e tropas de fora de suas fronteiras para se concentrar no ataque que se aproxima. A promoção do general Aleksandr Dvornikov, famoso por táticas brutais na Chechênia e na Síria, significa que ele agora está no comando das forças russas para a próxima fase desta guerra.

A Rússia transferiu a maioria de suas tropas e blindados que estavam estacionados na Bielorrússia, distribuindo suas forças para que se concentrem no leste da Ucrânia, sendo o Donbas o alvo principal. Com as concentrações militares russas no norte perto de Kharkiv, no sul perto de Mariupol e agora grandes concentrações no leste, as unidades mecanizadas ucranianas que detêm a Rússia correm o risco de serem cercadas e isoladas.

O que a Ucrânia precisa e o que está sendo enviado

Com a próxima ofensiva em mente e seis semanas de conflito em nível industrial, a necessidade da Ucrânia por sistemas de armas pesadas é aguda. No topo da lista estão os caças, algo que a União Europeia e os Estados Unidos têm relutado em fornecer.

A UE e os EUA abordaram países da Europa Oriental que ainda operam os MiGs e jatos Sukhoi que a Ucrânia precisa desesperadamente. Os acordos fracassaram porque nem os vizinhos da Rússia nem o Ocidente querem que o conflito ucraniano se espalhe e se torne uma guerra mais ampla, provavelmente envolvendo a OTAN, com o potencial de uso de armas nucleares firmemente na mente de todos.

As armas enviadas até agora são de natureza defensiva. A Eslováquia forneceu baterias de mísseis S-300 para a Ucrânia para manter os ataques aéreos russos à distância. Os jatos russos agora precisam voar abaixo da cobertura do radar, já que a rede de defesa aérea da Ucrânia está em pleno funcionamento, e as perdas da Rússia foram pesadas nos primeiros dias da guerra.

Os caças russos voando baixo tornaram-se presas fáceis para sistemas de defesa aérea lançados pelo ombro, como o Skystreak enviado pelo Reino Unido e o Stinger enviado pelos EUA.

Os MANPADS, ou Sistemas de Defesa Aérea Portáteis do Homem, tiveram um enorme efeito na guerra. As perdas de caças e helicópteros da Rússia foram substanciais, o suficiente para neutralizar os ataques.

Outras armas lançadas no ombro, como o Javelin, devastaram as colunas blindadas russas. As forças ucranianas mais ágeis e móveis foram capazes de lançar ataques fortemente armados contra alvos russos e destruí-los antes de escapar rapidamente.

Mas os estoques dos EUA estão acabando. Um terço de seu inventário de lanças já foi enviado para a Ucrânia e os planejadores militares dos EUA precisam manter um estoque para seus próprios fins de defesa, caso ocorra um conflito com um dos adversários dos EUA, como Rússia, Coréia do Norte ou China.

Na semana passada, o presidente Joe Biden apelou diretamente aos fabricantes de armas americanos para ajudar a aumentar sua produção de armas portáteis para atender às demandas dos militares ucranianos.

No entanto, a decisão dos EUA de transferir artilharia pesada de 155 mm é um desvio de sua cláusula de doar apenas equipamentos militares defensivos para a Ucrânia. O que quer que forneça será recebido com gratidão, pois a Ucrânia demonstrou claramente que pode usar qualquer arma que tenha com grande efeito. Drones e munições vagabundas, conhecidos como drones kamikaze, como o Switchblade, fizeram-se sentir nos campos de batalha do leste da Ucrânia.

Os EUA não são o único fornecedor de armas que relaxou sua política de transferência de armas, as idéias da Europa sobre defesa mudaram drasticamente nas últimas seis semanas.

A política de defesa coletiva da UE

A política de defesa coletiva da UE foi galvanizada pelo conflito ucraniano. Vários resultados surgiram: a UE está agora agindo mais como um bloco do que como uma coleção díspar de países vagamente afiliados. Forneceu mais de US$ 1,6 bilhão em ajuda militar à Ucrânia. Em uma clara demonstração de solidariedade, a presidente do bloco, Ursula von der Leyen, visitou Kiev, prometendo o apoio da Europa e afirmando que a Ucrânia tem um “futuro europeu” e que sua adesão à união será acelerada.

A ideia de defesa coletiva baseada em forças armadas da UE é agora uma consideração importante. Até agora, apenas uma força de implantação rápida de 5.000 foi acordada, muito longe de um exército da UE que tem seus detratores dentro do bloco. No entanto, a invasão da Ucrânia está mudando isso constantemente, à medida que os europeus acordam para o fato de que a Rússia não tem escrúpulos em usar a força militar aberta para alcançar seus objetivos de política externa.

A Alemanha reverteu sua aversão de longa data ao aumento de seu poder militar, alocando quantias significativas de ajuda à Ucrânia, ao mesmo tempo em que atribuiu US$ 112 bilhões extras para gastos com defesa. O orçamento de defesa da Alemanha era de US$ 50 bilhões em 2021. Também prometeu que aumentaria seu orçamento de defesa para 2% de seu produto interno bruto (PIB) dentro de alguns anos.

A UE ainda está tentando manter o nível de ajuda logo abaixo do limite que pode arriscar uma escalada do conflito além da Ucrânia. Isso está sendo testado pela gigante alemã de armas Rheinmetall, que se ofereceu para reformar e enviar até 50 tanques de batalha principais Leopard 2 para a Ucrânia, juntamente com uma oferta para treinar tripulações de tanques ucranianos. O fato de esta ser uma oferta “privada” de uma empresa, não de um país, mantém o potencial de resposta da Rússia sob controle, embora a Rússia esteja perfeitamente ciente de que um negócio desse tamanho não seria permitido sem o aprovação do governo alemão.

A Ucrânia, agredida e sitiada por mais de seis semanas de guerra, está se preparando para uma ofensiva que moldará o resultado do conflito. Ambos os lados têm muito a perder e procuram romper o sangrento impasse que congelou temporariamente o avanço estratégico da Rússia.

As armas que a Ucrânia recebe serão vitais para esse resultado, mas sua força aérea foi reduzida e está exausta. Para que as próximas batalhas sejam decisivas para a Ucrânia, ela precisará de poder aéreo e essa é a única coisa que o Ocidente se recusou repetidamente a fornecer, temendo um conflito mais amplo que atraia a OTAN.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *