Após a vitória de Lula, o Brasil pergunta: Cadê Bolsonaro?


0

O líder de extrema-direita não comentou a derrota para seu rival, o presidente eleito Lula da Silva, levantando preocupações.

Apoiadores do presidente do Brasil Jair Bolsonaro reagem ao lado de uma figura de papelão de Bolsonaro, no Rio de Janeiro, Brasil, em 30 de outubro de 2022 [Lucas Landau/Reuters]

Mais de 24 horas depois que Luiz Inácio Lula da Silva foi declarado o próximo presidente do Brasil, o atual presidente Jair Bolsonaro ainda não abordou sua derrota eleitoral, levantando preocupações de que o líder de extrema-direita possa estar planejando contestar os resultados.

Lula, mais conhecido como Lula, superou Bolsonaro no segundo turno no domingo, conquistando 50,9% de apoio em comparação com 49,1% do ex-capitão do Exército.

Enquanto Lula adotou um tom conciliador – prometendo “governar para 215 milhões de brasileiros, e não apenas para aqueles que votaram em mim” – e líderes mundiais o parabenizaram por sua vitória, Bolsonaro ainda não comentou publicamente ou nas redes sociais.

Bolsonaro passou meses alegando falsamente que o sistema eleitoral brasileiro era vulnerável a fraudes, estimulando temores de que ele planejasse contestar os resultados caso perdesse para Lula, como a maioria das pesquisas previu.

No passado, Bolsonaro também expressou admiração pelo antigo regime militar do Brasil, que governou de 1964 a 1985, aumentando as preocupações em torno da campanha eleitoral.

Um funcionário sênior da sede da campanha de Bolsonaro disse que o presidente saiu desacompanhado de sua residência oficial ao palácio presidencial na manhã de segunda-feira, mas estava recusando reuniões e ligações até mesmo de seus assessores mais próximos e associados políticos.

Comboio presidencial em Brasília, Brasil.
O comboio presidencial com o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, é visto no Palácio da Alvorada, em Brasília, em 31 de outubro de 2022 [Adriano Machado/Reuters]

Reportando da capital Brasília, Teresa Bo, da Al Jazeera, disse que os chefes de ambas as câmaras do Congresso brasileiro aceitaram a vitória de Lula, enquanto o diretor do tribunal eleitoral disse que falou com Bolsonaro “e [said] que se espera que ele aceite os resultados”.

“Mas ninguém sabe quando isso vai acontecer”, relatou Bo na segunda-feira, ressaltando que Bolsonaro ainda não havia concedido, nem havia ligado para Lula. “Nós ouvimos, no entanto, que alguns de seus ministros estão aconselhando-o a reconhecer esse resultado”, disse ela.

Vários meios de comunicação informaram que Bolsonaro deveria falar ainda nesta segunda-feira, mas um ministro do gabinete disse à agência de notícias Reuters que ele não abordaria publicamente sua perda até terça-feira.

Alguns dos aliados mais próximos de Bolsonaro reconheceram publicamente a vitória de Lula, incluindo o governador eleito de São Paulo Tarcísio de Freitas e a senadora eleita Damares Alves, ambas ministras de Bolsonaro.

“A vontade da maioria vista nas urnas nunca será contestada”, disse outro aliado, o presidente da Câmara, Arthur Lira, a repórteres no domingo. O pastor evangélico Silas Malafaia, que tem sido um estridente apoiador de Bolsonaro, também pediu que Deus conceda sua “bênção” a Lula.

Seu filho mais velho, o senador Flavio Bolsonaro, também twittou agradecendo aos apoiadores do pai e disse: “Vamos levantar a cabeça e não desistir do nosso Brasil! Deus está no comando!”

Apoiadores de Bolsonaro bloqueiam estradas
Apoiadores de Bolsonaro bloqueiam rodovia BR-251, em Planaltina, Brasil, 31 de outubro [Diego Vara/Reuters]

Enquanto isso, caminhoneiros e outros manifestantes bloquearam rodovias em vários estados brasileiros ao longo do dia em um aparente protesto contra a derrota de Bolsonaro, que contava com caminhoneiros como um de seus principais eleitores e era apoiado por grandes interesses empresariais.

Caminhões, carros e pneus em chamas bloquearam vários pontos na fazenda centro-oeste do estado de Mato Grosso, disse uma empresa que administra uma rodovia no estado, ameaçando interromper os embarques agrícolas.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) do Brasil disse que os caminhoneiros bloquearam parcial ou totalmente as estradas em 16 estados do país. Imagens de vídeo mostraram alguns caminhoneiros exigindo “intervenção militar” e dizendo que não aceitariam Lula como presidente.

O maior número de bloqueios foi em Santa Catarina, estado onde Bolsonaro tem uma enorme base de apoio, e Mato Grosso do Sul, um importante estado de produção de grãos e pecuária, segundo a agência nacional da PRF.

Lula havia criticado Bolsonaro na noite de domingo por não reconhecer o resultado.

“Em qualquer outro lugar do mundo, o presidente derrotado teria me chamado para reconhecer sua derrota”, disse o presidente eleito em seu discurso de vitória para um mar eufórico de torcedores vestidos de vermelho em São Paulo.

Lula havia prometido reverter algumas das políticas mais divisivas de Bolsonaro, inclusive reforçando as proteções ambientais e indígenas após anos de crescente desmatamento na floresta amazônica.

Mas seu primeiro desafio será unir uma nação profundamente dividida, disseram especialistas. “Não há dois Brasils. Somos um país, um povo, uma grande nação”, disse Lula no domingo em seu discurso de vitória.

Na segunda-feira, Lula se encontrou com o presidente da Argentina, Alberto Fernández, que viajou para São Paulo para se encontrar com o líder recém-eleito. Fernández saudou a vitória de Lula como inaugurando “uma nova era para a história da América Latina”.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, também conversou com Lula para parabenizá-lo.

“O presidente Biden elogiou a força das instituições democráticas brasileiras após eleições livres, justas e confiáveis”, disse a Casa Branca em comunicado descrevendo as negociações.

“Os dois líderes discutiram o forte relacionamento entre os Estados Unidos e o Brasil e se comprometeram a continuar trabalhando como parceiros para enfrentar desafios comuns, incluindo combater as mudanças climáticas, salvaguardar a segurança alimentar, promover a inclusão e a democracia e gerenciar a migração regional.”


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *