Alguém já disse que você fala ‘demais’? Pode ser apenas sua personalidade


0

dois amigos conversando na mesa do café ao ar livre
Westend61 / Getty Images

Tagarela. Tagarela. Prolixo. Apaixonado pelo som da sua própria voz.

Se você é uma pessoa falante, provavelmente já ouviu um ou dois deles antes. Comentários pontuais como esses podem até causar algumas preocupações de que você fale um pouco também Muito de.

Talvez você se desafie a ficar quieto por um ou dois dias, mas é difícil porque você tem muito a compartilhar. Sem mencionar que, quando você não participa de uma conversa, as pessoas parecem surpresas e se perguntam por que de repente você não tem nada a dizer.

A loquacidade não é tão ruim. Na verdade, é uma característica valiosa em muitos campos profissionais.

Mas quando o dom da palavra se torna mais uma maldição?

Quanto é muito?

“Falar demais” não significa a mesma coisa para todos.

Nem todo mundo gosta de conversar com outras pessoas, então algumas pessoas consideram algumas frases muito. Outros que amam uma boa história podem ficar felizes em ouvir qualquer coisa que você queira compartilhar. Às vezes, as pessoas podem dizer que você fala demais simplesmente porque não gostam do que você tem a dizer.

Em vez de prestar atenção na contagem real de palavras, tente explorar o espaço que sua conversa ocupa e como ela afeta os outros.

Você corta colegas de trabalho? Conversar com amigos? Dominar a conversa em jantares de família? Dizer coisas que outras pessoas podem considerar rudes, rudes ou ofensivas?

Algumas dicas sobre termos médicos para falar em excesso também podem ajudá-lo a avaliar sua fala:

Discurso pressionado

Esse tipo de conversa envolve um discurso rápido, muitas vezes forte, que muitas vezes é difícil de interromper, mesmo quando outras pessoas tentam falar uma palavra.

Você fala mais do que normalmente, em um ritmo muito mais rápido, talvez até em um volume mais alto. Você pode sentir como se não pudesse controlar as palavras que fluem enquanto pula de ideia em ideia, juntando pensamentos tão rapidamente que os ouvintes lutam para acompanhá-lo.

Hiperverbal

Hiperverbal se refere a um discurso acelerado e aumentado.

Talvez você perceba que está falando rápido para dizer tudo o que tem a dizer. Você pode ter dificuldade em esperar sua vez de falar e se surpreender interrompendo outras pessoas regularmente.

Isso não é muito diferente da fala sob pressão, e alguns profissionais podem usar os dois termos alternadamente. Ainda assim, a fala hiperverbal não envolverá necessariamente transições rápidas entre pensamentos ou o uso de rimas ou trocadilhos para conectar os pensamentos, como a fala sob pressão costuma fazer.

Discurso desorganizado

Este tipo de discurso freqüentemente envolve uma troca rápida entre assuntos, sem qualquer conexão clara entre os tópicos.

Você pode responder às perguntas com respostas que outras pessoas consideram totalmente não relacionadas. Às vezes, a fala desorganizada envolve sequências de palavras aleatórias que aparentemente carecem de uma conexão clara.

A fala desorganizada pode não ser mais rápida do que a fala normal, mas ainda pode confundir outras pessoas. Quando é grave, pode atrapalhar a comunicação normal.

Comunicação compulsiva

Pesquisas mais antigas que exploram a supercomunicação apontam que, embora muitas pessoas considerem a tagarelice uma característica positiva, algumas pessoas levam a comunicação um pouco longe demais.

Os pesquisadores, que descrevem esse padrão como fala compulsiva ou “talkaholism”, delineiam alguns sinais-chave:

  • falando muito, muitas vezes mais do que qualquer outra pessoa, na maioria das situações
  • lutando para falar menos, mesmo durante o trabalho, durante a escola ou em outros momentos importantes de “silêncio”
  • reconhecendo que você fala muito, geralmente porque outros lhe disseram isso
  • achar difícil ficar quieto, mesmo quando continuar a falar representa problemas para você

Outra pesquisa sugere que alguns falantes compulsivos podem:

  • não percebem que falam excessivamente
  • tendem para a argumentatividade
  • tem o hábito de assumir conversas
  • se importam pouco com críticas ou comentários negativos de outros

De um modo geral, os falantes compulsivos têm dificuldade em dominar a fala, mesmo quando se esforçam.

O que pode estar acontecendo

Freqüentemente, a tagarelice nada mais é do que um traço de personalidade.

Extrovertidos, por exemplo, costumam ter ótimas habilidades de conversação. Muitas pessoas podem desfrutar de um bom tête-à-tête com amigos (ou perfeitos estranhos) e ainda assim reconhecer quando o silêncio pode ser a melhor resposta. Se você consegue parar de falar facilmente quando precisa, a conversa é provavelmente apenas um aspecto de sua personalidade única.

Dito isso, várias formas de falar excessivo posso aparecem como um sintoma de alguns problemas de saúde mental:

  • Discurso pressionado frequentemente acontece como parte de episódios maníacos ou hipomaníacos.
  • Discurso desorganizado pode aparecer como um sintoma chave da esquizofrenia e outros transtornos de psicose, junto com o transtorno de personalidade esquizotípica.
  • Divagar ou falar excessivamente pode aparecer com ansiedade social. Você tem medo de dizer a coisa errada ou de ser julgado pelos outros, mas acaba falando mais do que pretendia em um esforço para compensar sua ansiedade e ajudar a acalmar as preocupações que giram em torno do que os outros pensam de você.
  • Discurso hiperverbal pode aparecer como um sintoma de transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) ou ansiedade. Se você tem ansiedade, pode falar mais do que o normal ou falar muito rapidamente quando estiver mais nervoso.
  • Falar excessivamente sobre si mesmo. Não é incomum que pessoas com transtorno bipolar discutam longamente realizações, objetivos ou planos durante um episódio maníaco. Esse discurso muitas vezes parece grandioso ou menos realista. Pessoas com transtorno de personalidade narcisista podem falar muito sobre suas habilidades, coisas que realizaram ou pessoas importantes que conhecem para chamar a atenção.

Devo consultar um médico?

Lembre-se de que todas as condições mencionadas acima envolvem outros sintomas. Em geral, os sintomas são bastante aparentes e, muitas vezes, começam a afetar seus relacionamentos e sua vida diária.

Aqui está uma olhada em alguns outros sintomas principais dessas condições:

  • Episódios de mania no transtorno bipolar geralmente envolvem aumento de energia, menos necessidade de sono, pensamentos acelerados e aumento da produtividade na escola ou no trabalho. Você também pode se sentir inquieto e facilmente distraído.

  • A ansiedade e a ansiedade social envolvem preocupações frequentes e persistentes sobre vários aspectos da sua vida diária. Com a ansiedade social, essas preocupações se fixam nos ambientes sociais e no que os outros pensam de você. Essas condições também podem envolver sintomas físicos, como dor e tensão, desconforto estomacal e dificuldade para dormir.
  • Outros sintomas de TDAH incluem esquecimento, dificuldade em controlar o tempo, distração ou dificuldade de concentração e inquietação ou hiperatividade.
  • Com o transtorno de personalidade narcisista, você terá uma forte crença em sua própria importância, dificuldade em compreender as necessidades e sentimentos dos outros e uma forte necessidade de elogio e admiração.
  • A esquizofrenia geralmente envolve alucinações, delírios e outros sintomas que o desconectam da realidade.

Quando a tagarelice não acontece ao lado de qualquer sofrimento emocional ou causa sentimentos desagradáveis, provavelmente é apenas parte de quem você é.

Como falar com mais atenção

Mesmo quando o amor pelo bate-papo não sugere nenhum problema subjacente, ele ainda pode criar algumas dificuldades nas interações do dia a dia.

Você pode ter ouvido, em algum momento ou outro, que a comunicação é uma via de mão dupla. Você não pode simplesmente expressar suas próprias idéias. Ouvir também é essencial. A menos que você gaste tempo fazendo as duas coisas, você não pode se comunicar verdadeiramente.

Se alguém já se queixou, “Deixe outra pessoa falar” ou “Sim, você já contou essa história um milhão de vezes”, pode valer a pena revisar suas conversas recentes para pesar o tempo que você passa conversando com o tempo você passa ouvindo.

Essas dicas podem ajudá-lo a se comunicar com mais atenção.

Preste atenção em como os outros respondem

Muitas vezes, você pode aprender muito sobre o estilo e o volume da conversa, observando as reações das outras pessoas.

Experimente fazer a si mesmo estas perguntas:

  • As pessoas tendem a iniciar conversas dizendo rapidamente “Só tenho alguns minutos para falar” ou “Estou com pressa, então temos que ser curtos”?
  • As pessoas parecem relutantes em iniciar uma conversa? Eles podem acenar e sair da sala quando você entra ou responder a chamadas com uma mensagem curta.
  • As pessoas costumam parecer distraídas ou desinteressadas no que você tem a dizer? Talvez eles acenem com a cabeça ou percorram o telefone enquanto você fala, ou o final da conversa envolve muitos “Uau”, “Sim” e “Huh”. Essas respostas não são totalmente educadas, é claro, mas quando a maioria das pessoas com quem você fala reage dessa forma, pode valer a pena dar uma olhada mais de perto.
  • Você já se pegou interrompendo ou cortando outras pessoas?
  • Você às vezes diz mais do que pretendia ou compartilha informações que outras pessoas pediram para você manter em sigilo?

Se a maioria das suas respostas foi sim, considere colocar suas habilidades de conversação bem desenvolvidas de lado e aproveitar a oportunidade para aprimorar suas técnicas de escuta ativa.

Mantenha as conversas equilibradas

Mesmo se você for um grande falador, não precisa se calar completamente. Na verdade, você pode se encontrar em situações em que falar muito é uma vantagem.

Talvez você regularmente passe tempo com um amigo mais introvertido que fica perfeitamente feliz em ouvir enquanto você assume a liderança da conversa.

Em um grupo misto ou entre outros amigos loquazes, no entanto, você pode se esforçar mais para oferecer a todos uma chance de falar.

Aqui estão algumas dicas para manter o equilíbrio:

  • Faça perguntas em vez de preencher o espaço com suas próprias experiências.

  • Ouça quando outras pessoas responderem em vez de pensar no que você quer dizer a seguir.

  • Evite interromper assim que as conversas forem interrompidas. Algumas pessoas precisam de mais tempo para coletar suas ideias do que outras, e uma breve pausa dá às pessoas a chance de considerar o que outras pessoas disseram antes de falar.
  • Sempre evite interromper quando outra pessoa falar. Se você tiver uma pergunta ou quiser algum esclarecimento, deixe-os terminar a frase e fazer uma pausa natural antes de perguntar.

Fique confortável com o silêncio

As pessoas geralmente se sentem desconfortáveis ​​quando as conversas morrem.

Talvez você fale muito porque se preocupe em parecer chato. Você pode até se preocupar com o fato de que momentos tranquilos com seu parceiro signifiquem que vocês dois não têm nada a dizer um ao outro e tomem isso como um sinal de que seu relacionamento não durará.

O silêncio não é uma coisa ruim, porém, e algumas pessoas até gostam dele. Oferece uma chance de refletir e classificar os pensamentos. Participar de forma ativa e respeitosa em uma conversa consome energia – mesmo se você estiver apenas ouvindo. Seu parceiro, ou qualquer outra pessoa, pode não ter a mesma energia conversacional que você.

Tente manter um diário à mão para anotar os pensamentos que surgirem durante os momentos de silêncio. Às vezes, escrevê-los pode aliviar a necessidade de dizê-los em voz alta, mas se não – sempre há mais tarde!

Pense antes de falar

Claro, é um velho ditado, mas isso não diminui sua sabedoria.

Nunca é demais criar o hábito de considerar o que você quer dizer antes de dizê-lo. Pergunte a si mesmo: “Isso adiciona algo novo?” ou “Devo realmente compartilhar isso com todos?”

Talvez você tenha se tornado mais falante para compensar a diferença em um relacionamento com um parceiro que não falava muito, ou sua conversação se desenvolveu como resultado de uma infância solitária. Talvez a ansiedade ou o nervosismo impulsionem o desejo de aliviar suas preocupações preenchendo o espaço morto na conversa.

Experimente respiração profunda, exercícios de atenção plena e técnicas de ancoragem para verificar antes de falar e quebrar o hábito de derramar todos os pensamentos que vierem à mente.

As técnicas de atenção plena, em particular, podem ajudá-lo a aprender a manter o foco no momento e priorizar o que é mais importante e relevante em seu ambiente atual.

O resultado final

Nem sempre é fácil dizer onde fica a linha entre “falar demais” e “apenas o suficiente”.

Você provavelmente não precisa se preocupar com o quanto fala, se falar muito, mas os outros parecem gostar da sua conversa e continuam a procurá-la. Quando parece que as pessoas evitam ativamente conversar com você, no entanto, você pode se esforçar para compartilhar menos e ouvir mais.

Se quebrar o hábito de falar sem parar for desafiador, um terapeuta pode ajudá-lo a explorar as razões potenciais para a fala compulsiva e oferecer apoio para o desenvolvimento de habilidades de comunicação mais conscientes.


Crystal Raypole já trabalhou como escritor e editor da GoodTherapy. Seus campos de interesse incluem línguas e literatura asiáticas, tradução para o japonês, culinária, ciências naturais, positividade sexual e saúde mental. Em particular, ela está empenhada em ajudar a diminuir o estigma em torno de questões de saúde mental.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Choose A Format
Personality quiz
Series of questions that intends to reveal something about the personality
Trivia quiz
Series of questions with right and wrong answers that intends to check knowledge
Poll
Voting to make decisions or determine opinions
Story
Formatted Text with Embeds and Visuals
List
The Classic Internet Listicles
Countdown
The Classic Internet Countdowns
Open List
Submit your own item and vote up for the best submission
Ranked List
Upvote or downvote to decide the best list item
Meme
Upload your own images to make custom memes
Video
Youtube, Vimeo or Vine Embeds
Audio
Soundcloud or Mixcloud Embeds
Image
Photo or GIF
Gif
GIF format