Afeganistão assina acordo de extração de petróleo com empresa chinesa


0

O contrato é o primeiro grande acordo de investimento estrangeiro desde que o Talibã tomou o poder em Cabul em 2021.

O ministro interino de Minerais e Petróleo do Afeganistão, Sheikh Shahabuddin Delawar, e um representante da CAPEIC trocam acordos durante a cerimônia de assinatura em Cabul [Ali Khara/Reuters]

A administração liderada pelo Talibã do Afeganistão assinou um contrato com uma empresa chinesa para extrair petróleo da bacia de Amu Darya e desenvolver uma reserva de petróleo na província de Sar-e Pul, no norte do país.

O contrato foi assinado na quinta-feira pelo ministro interino de Minas e Petróleo Sheikh Shahabuddin Delawar e um funcionário da Xinjiang Central Asia Petroleum and Gas Co (CAPEIC) em uma cerimônia realizada na capital Cabul.

Foi o primeiro grande acordo público de extração de commodities que o governo do Talibã assinou com uma empresa estrangeira desde que assumiu o poder em 2021.

O vice-primeiro-ministro interino Mullah Abdul Ghani Baradar e o embaixador chinês no Afeganistão, Wang Yu, também testemunharam a cerimônia de assinatura, informou a agência estatal de notícias Bakhtar.

Vice-primeiro-ministro afegão Mullah Abdul Ghani Baradar
O vice-primeiro-ministro afegão Mullah Abdul Ghani Baradar em entrevista coletiva em Cabul [Ali Khara/Reuters]

“Recentemente, vários projetos foram aprovados pela Comissão Econômica e, com a sua execução, serão dados passos fundamentais para a prosperidade do país e o bem-estar público”, disse Baradar, citando a agência.

“Solicitamos que a empresa continue o procedimento de acordo com os padrões internacionais e no melhor interesse do povo de Sar-e Pul”, acrescentou.

Falando na ocasião, Delawar disse que, sob o acordo, a empresa chinesa extrairá petróleo de uma área de 4.500 quilômetros quadrados (1.737 milhas quadradas) coletivamente nas províncias do norte de Sar-e Pul, Jawzjan e Faryab.

“Mais de 3.000 pessoas locais conseguirão empregos neste projeto”, disse ele.

O enviado chinês considerou o acordo importante para o crescimento econômico do país devastado pela guerra e um passo positivo para estreitar as relações entre Cabul e Pequim.

“O contrato de petróleo Amu Darya é um projeto importante entre a China e o Afeganistão”, disse Wang Yu.

A CAPEIC investirá US$ 150 milhões por ano no Afeganistão sob o contrato, disse o porta-voz do governo do Talibã, Zabihullah Mujahid, no Twitter.

Seu investimento aumentaria para US$ 540 milhões em três anos para o contrato de 25 anos, disse ele.

A administração comandada pelo Talibã terá uma participação de 20 por cento no projeto, que pode ser aumentada para 75 por cento, acrescentou.

A empresa estatal China National Petroleum Corp (CNPC) assinou um contrato com o governo anterior do Afeganistão apoiado pelos Estados Unidos em 2012 para extrair petróleo na bacia de Amu Darya, nas províncias do norte de Faryab e Sar-e Pul.

Na época, estimava-se que até 87 milhões de barris de petróleo estavam em Amu Darya. Delawar disse que uma condição do acordo era que o petróleo fosse processado no Afeganistão.

Baradar disse na entrevista coletiva de quinta-feira que outra empresa chinesa, que ele não identificou, interrompeu a extração após a queda do governo anterior, de modo que o acordo foi fechado com a CAPEIC.

Estima-se que o Afeganistão tenha recursos inexplorados de mais de US$ 1 trilhão, o que atraiu o interesse de alguns investidores estrangeiros, embora décadas de turbulência tenham impedido qualquer exploração significativa.

Uma empresa estatal chinesa também está em negociações com o governo liderado pelo Talibã sobre a operação de uma mina de cobre na província oriental de Logar, outro acordo assinado pela primeira vez no governo anterior.

A China não reconheceu formalmente a administração do Talibã, mas tem interesses significativos em um país no centro de uma região importante para sua iniciativa de infraestrutura do Cinturão e Rota.

O contrato de petróleo também ressalta o envolvimento econômico da vizinha China na região, embora o grupo ISIL (ISIS) tenha como alvo seus cidadãos no Afeganistão.

O anúncio foi feito um dia depois que o governo do Taleban disse que suas forças mataram oito membros do ISIL em ataques, incluindo alguns que estavam por trás de um ataque no mês passado a um hotel que atende empresários chineses na capital, Cabul.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *