7 maneiras pelas quais a doença de Peyronie pode afetar sua vida sexual


0

A doença de Peyronie ocorre quando placas (tecido cicatricial) se formam sob a pele do pênis e o fazem dobrar. Viver com essa condição geralmente inclui dor e mudanças na função sexual que podem afetar a intimidade pessoal, seus relacionamentos e a saúde mental.

Compreender como a doença de Peyronie pode afetar sua vida sexual e parceiro pode ajudá-lo a saber o que esperar da doença, juntamente com como as opções de tratamento podem ajudar.

Aqui estão sete coisas que você deve saber sobre a doença de Peyronie e sexo.

1. Obter e manter uma ereção pode ser um desafio

A disfunção erétil é mais comum entre pessoas com doença de Peyronie. Um estudo de 2020 com 656 homens que estavam recebendo cuidados em uma clínica de urologia no Brasil descobriu que quase 60% dos homens com doença de Peyronie tinham disfunção erétil, em comparação com 46% dos homens sem a doença.

Existem algumas razões possíveis para a conexão entre a doença de Peyronie e a disfunção erétil. Para alguns, a cicatriz pode dificultar a obtenção de uma ereção.

As ereções também podem ser desafiadoras se os nervos ou vasos sanguíneos do pênis foram danificados por inflamação ou trauma no pênis, que está associado à doença de Peyronie.

Muitas pessoas que vivem com Peyronie sofrem de ansiedade e depressão por causa da doença. Esses sentimentos também podem levar a desafios na função sexual, de modo que os sintomas geralmente se combinam.

Finalmente, a dor (especialmente durante a fase ativa da doença) pode contribuir para a disfunção erétil em algumas pessoas com doença de Peyronie.

2. Seu parceiro pode sentir dor e desconforto

A doença de Peyronie geralmente causa dor durante as ereções. Mas essa condição não causa apenas dor para aqueles que vivem com ela – também pode tornar o sexo desconfortável para seus parceiros.

Um estudo de 2020 descobriu que quase metade das parceiras sexuais femininas dos homens com a doença experimentaram pelo menos uma dor ou desconforto moderado durante a relação sexual vaginal.

Em alguns casos, os casais não podiam se envolver em certas atividades sexuais de que gostavam antes do início da doença de Peyronie.

Com isso dito, a aparência de seu pênis pode não ser um problema para seu parceiro. A pesquisa descobriu que quase 60% dos homens com a doença de Peyronie ficavam muito ou extremamente incomodados com a aparência do pênis ereto, enquanto apenas 20% das parceiras sexuais se sentiam da mesma forma.

3. A comunicação pode ajudar os casais a lidar com

Embora possa ser difícil falar sobre a doença de Peyronie, a comunicação é a chave para manter a intimidade com seu parceiro e encontrar novas maneiras de ser sexual.

Aqui estão algumas maneiras de tornar a conversa mais fácil, de acordo com a Association of Peyronie’s Disease Advocates (APDA):

  • Discuta a condição e seus efeitos em várias conversas. Não sinta que precisa cobrir tudo de uma vez.
  • Seus sentimentos e sintomas podem mudar com o tempo, portanto, pode ser necessário revisar os tópicos em conversas futuras. Tente ser honesto sobre o que você está passando.
  • Certifique-se de que a conversa seja um diálogo, não um monólogo. Por mais que você compartilhe suas preocupações, ouça seu parceiro expressar como sua condição o está afetando também.

A APDA também incentiva as pessoas com doença de Peyronie a envolverem seus parceiros na exploração de opções de tratamento e na ida às consultas médicas.

4. Os casais podem precisar explorar novas formas de intimidade

Se a doença de Peyronie está tornando difícil fazer sexo do jeito que você está acostumado, talvez seja hora de explorar novas técnicas.

Os parceiros podem usar posições diferentes ou explorar outras formas de intimidade e prazer além da relação sexual para obter satisfação.

Falar com um terapeuta ou conselheiro sexual pode ajudar as duas pessoas no relacionamento a compartilhar suas necessidades e desejos sexuais e a superar os desafios do relacionamento.

5. Medicamentos de venda livre (OTC) podem fornecer alívio da dor

Os tratamentos para a doença de Peyronie, que vão de injeções a cirurgias e implantes penianos, geralmente têm o objetivo de reduzir a curvatura e melhorar a função sexual.

No entanto, nem todas as pessoas com a doença precisam de tratamento médico. Se a dor for o seu principal sintoma, analgésicos OTC, como antiinflamatórios não esteroidais (AINEs) como ibuprofeno (Advil) ou naproxeno (Aleve), podem ser tudo de que você precisa para ter uma ereção mais confortável.

6. Os tratamentos podem aumentar a satisfação sexual

Existem vários tratamentos cirúrgicos e não cirúrgicos para a doença de Peyronie. Embora normalmente se concentrem em reverter a curvatura e quebrar as placas, alguns tratamentos têm o benefício adicional de aumentar a satisfação dos parceiros de pessoas com a doença.

UMA Revisão de 2020 de pequenos estudos descobriram que 70 por cento das parceiras de homens com doença de Peyronie que foram tratados com injeções de colagenase clostridium histolyticum tiveram maior satisfação sexual.

A satisfação sexual da parceira também subiu de 34 a 88 por cento quando os homens foram tratados com plicatura peniana, 90 a 100 por cento após serem submetidos à incisão da placa ou excisão parcial com enxerto e 40 a 75 por cento após a implantação de prótese peniana (um tratamento normalmente reservado para pessoas com doença de Peyronie grave e disfunção erétil).

É importante observar que as pesquisas disponíveis pesquisaram apenas mulheres que eram íntimas de homens com doença de Peyronie, portanto, estudos adicionais são necessários para determinar como a condição e os tratamentos podem afetar as parceiras não femininas.

7. Falar com outras pessoas pode fazer você se sentir melhor

Os impactos psicológicos da doença de Peyronie podem afetar seu bem-estar emocional, bem como sua capacidade de ser íntimo.

De acordo com a APDA, a condição pode mudar a maneira como uma pessoa se vê e prejudicar sua autoconfiança.

Pessoas com doença de Peyronie podem evitar a intimidade, perder o interesse pelo sexo e retrair-se emocionalmente. Isso pode causar uma série de desafios psicológicos para ambas as pessoas no relacionamento.

Superar o isolamento emocional e social pode ajudar a reduzir o impacto da doença em sua vida sexual e bem-estar geral. Considere conversar com outras pessoas que vivem com a doença ou ingressar em um grupo de apoio.

Um profissional de saúde mental, como um psicólogo ou terapeuta, também pode oferecer um espaço seguro para resolver suas preocupações e encontrar maneiras de enfrentá-las.

Remover

A doença de Peyronie pode ter um grande impacto na vida sexual de uma pessoa, tanto devido aos sintomas físicos quanto aos impactos emocionais da doença.

A condição também pode afetar o conforto e a satisfação de seu parceiro durante o sexo.

Explorar opções de tratamento, ter conversas abertas e honestas e consultar um terapeuta sexual são algumas das maneiras de reduzir os efeitos da doença de Peyronie na intimidade.

Você também pode considerar ingressar em um grupo de apoio para se conectar com outras pessoas que têm a doença.


Like it? Share with your friends!

0

What's Your Reaction?

hate hate
0
hate
confused confused
0
confused
fail fail
0
fail
fun fun
0
fun
geeky geeky
0
geeky
love love
0
love
lol lol
0
lol
omg omg
0
omg
win win
0
win

0 Comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Choose A Format
Personality quiz
Series of questions that intends to reveal something about the personality
Trivia quiz
Series of questions with right and wrong answers that intends to check knowledge
Poll
Voting to make decisions or determine opinions
Story
Formatted Text with Embeds and Visuals
List
The Classic Internet Listicles
Countdown
The Classic Internet Countdowns
Open List
Submit your own item and vote up for the best submission
Ranked List
Upvote or downvote to decide the best list item
Meme
Upload your own images to make custom memes
Video
Youtube, Vimeo or Vine Embeds
Audio
Soundcloud or Mixcloud Embeds
Image
Photo or GIF
Gif
GIF format